12.6.17

JOGO PERIGOSO - PARTE XXVIII


A dor que Daniela sentiu foi tão intensa que não resistiu. Sentiu que a visão se  lhe nublava, teve a nítida sensação de que o chão vinha ao encontro da sua cabeça e mergulhou no abismo.
Acordou minutos mais tarde, estendida no sofá. Sentado ao seu lado, David, passava-lhe uma toalha molhada pela testa.
- Sentes-te melhor? – Perguntou apreensivo.
- Já passou. Queres ou não ouvir-me?
 -Achas que vale a pena? - Perguntou com amargura
-Talvez sim, talvez não. Tu dirás. Lembras-te, de me teres perguntado porque me divorciei? Perguntaste se houve traição e eu respondi que sim e não. Bom para ir ao princípio da questão, casei-me aos vinte e quatro anos,   profundamente apaixonada, sonhando com uma relação para toda a vida. Um ano depois de casada, Felipe começou a questionar-me porque eu não engravidava, e ele queria logo ser pai. Consultei um ginecologista, fiz vários exames e no fim ele disse-me que era estéril. Calculas a dor que é para uma mulher de vinte e cinco anos, cujo marido a pressiona todos os dias, para lhe dar um filho, saber que nunca vai poder fazê-lo? Foi como se o mundo inteiro ruísse à minha volta. Fiquei destroçada. Quando contei ao Filipe, ele disse-me que não importava e durante alguns dias, eu acreditei nisso. Mas foi sol de pouca dura. Pouco depois começou a marcar-me consulta em vários médicos, sempre acreditando que um deles ia fazer o milagre. A minha vida, deixou de fazer sentido, era um verdadeiro calvário, de médico em médico, de exame em exame.
David estava pálido. Percebeu a crueldade, que as suas palavras tinham representado, e a causa do  desmaio da jovem, e recriminou-se por isso.  Abraçou-a.
- Perdoa-me. Não precisas continuar, não quero que sofras.
- Tenho de o fazer. Não percebes que é um espinho que trago cravado no peito? Deixa-me continuar. Ao fim de quatro anos, quando o último médico aconselhou o Filipe, a esquecer os filhos biológicos e a fazer uma adoção, ele pediu o divórcio. Sofri muito. Não tinha sido traída por nenhuma outra mulher, fui traída pelo meu ventre inútil. Jurei que nunca mais me ia interessar por nenhum homem, e durante mais de três anos, consegui viver apenas para o trabalho, mas quando te conheci, esqueci todos os meus propósitos, e apaixonei-me que nem uma idiota. Espera, deixa-me ir até ao fim, - disse colocando-lhe uma mão no peito e empurrando-o ao perceber que ele se inclinava para a beijar. -Via nos teus olhos, que me desejavas, e pensei que podia ser feliz mantendo uma relação de amante contigo. Tinhas fama de mulherengo, não te ias prender, não quererias mais do que isso, e eu poderia desfrutar desse arremedo de felicidade, pelo menos até que te cansasses de mim. Era um jogo perigoso, sabia que mais cedo ou mais tarde, te ia perder, mas enganava-me dizendo que teria tempo suficiente para me habituar à ideia. Tu nunca quererias mais do que uma relação passageira, não tinhas que saber da minha inutilidade, como mulher. Mas depois daquela noite, tu disseste que me amavas, que querias casar, e eu fiquei apavorada, - concluiu com um soluço.
Ele apertou-a nos braços, e deixou um rasto de beijos no rosto molhado.



Aceito a critica de que o David entrou a matar. Mas temos que convir não foi pior do que a Daniela fez aquando do pedido de casamento. Os dois usaram a crueldade como um escudo.

16 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, que situação agora! Está com tudo para acabar bem, haver o entendimento entre os dois de uma vez! Será? Só tu o sabes,rs...bjs,chica

Tintinaine disse...

Acredito que ainda não vai ser desta que eles se acertam! Qual será a reviravolta que vai acontecer agora?

Anete disse...

Torcendo, o verdadeiro amor é compreensivo e sensível!...
Penso que os dois ainda serão superfelizes juntos!!!
Bjst

Edumanes disse...

De momento é só loucura,
o que mais poderá acontecer
depois dessa amorosa aventura
como será amanhã o amanhecer?

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Uau!
O que será que vão fazer?
Será que ele também é estéril?
e aí Elvira?
Eta cabeça fértil esta minha, rsrsrsr.
Beijinhos.

Pedro Coimbra disse...

A propósito das criticas dá vontade de dizer que amor com amor se paga.
Um abraço

rendadebilros disse...

E agora? Situações difíceis! O amor tudo vence? Há felicidade entre dois seres apaixonados se não puderem ter filhos? Boa semana! beijinhos.

lua singular disse...

Obrigada pelo carinho da visita
Beijos
Lua Singular

Majo Dutra disse...

Muito bem contado, Elvira.
Abraço.
~~~

Ailime disse...

Excelente o desenrolar da história.
Adorei!
Beijinhos,
Ailime

Roaquim Rosa disse...

boas
penso que ele não será estéril pois anteriormente tinha ido comprar os respetivos preservativos mas acho que e vão entender já que são duas pessoas adultas e com o dialogo tudo se torna mais claro, para alem de se amarem mutuamente .
vamos aguardar para ver o que a autora tem para amanhã !!!
JAFR

Os olhares da Gracinha! disse...

Espero que se acertem!!!
Bj

Janita disse...

Onde é que o David entrou a matar? Não me apercebi de nada. Se foi a sua observação no capítulo anterior, quanto a uma eventual gravidez dela, pois ele disse-o mais porque se sentia ferido- Já agora, ela é que foi longe demais ao permitir o uso do contraceptivo sabendo que não era necessário. Adiante.
Hoje, até as lágrimas me assomaram aos olhos com a sinceridade da jovem. A verdade deve colocar-se sempre acima de tudo, ainda que doa muito.
Auguro e desejo, um final feliz para estes dois...:)

Um abraço, Elvira.

Gaja Maria disse...

Ele estava magoado, é compreensível :)

Rosemildo Sales Furtado disse...

As coisas estão mudando e eu gostando e aguardando os futuros acontecimentos.

Abraços,

Furtado

Berço do Mundo disse...

Bem, vejo que a coisa se encaminha para um bom final