11.6.17

JOGO PERIGOSO - PARTE XXVII









A vida que conhecera em África dera-lhe força para o que ia fazer e ajudaram-na a tomar uma decisão. Sabia que amava David, e que se ele a rejeitasse, ia sofrer muito. Mas não podia continuar a fugir dos seus sentimentos. Se não desse certo, vender-lhe-ia as suas ações e juntar-se-ia ao irmão em Marrere. Onde tudo falta, ela encontraria decerto uma boa razão para viver, e uma oportunidade de esquecer, a sua tragédia pessoal. Naquela manhã levantou-se cedo, tomou banho, vestiu o conjunto da segunda página do catálogo que tanto a encantara e comprara antes de partir, e seguiu para a fábrica. Passou pelo gabinete de Madalena que abraçou com alegria e depois bateu na porta do gabinete e entrou.
- Olá,- cumprimentou tentando aparentar uma naturalidade que não sentia.
Ele levantou-se. Estava mais magro, tinha um ar cansado. Não devia ser fácil gerir as duas fábricas e simultaneamente preparar o catálogo para a próxima época. Reparou no olhar de admiração quando a olhou. Seria pelo fato, que ele reconheceria, como criação sua, ou pela sua presença?
-Olá. Julgava-te em Moçambique.
-Regressei na madrugada de ontem, mas levei quase vinte horas horas a dormir.
- Vens trabalhar?
- Ainda não. Vim convidar-te a jantares comigo. Na minha casa.
Viu que como o corpo musculado enrijecia, enquanto o rosto se tornava pálido. Notou o apertar dos punhos, e antes que ele falasse, inclinou-se para a frente e pediu.
-Por favor, não digas nada que não possa perdoar-te. Já nos ferimos o suficiente. Tenho que te contar uma coisa, que pode ou não mudar toda a nossa história. Se ainda tens algum carinho por mim, não faltes.
Ele esticou o braço e segurou-a pelo pulso. Olharam-se profundamente, estudando-se mutuamente.
-A que horas? – Perguntou largando-lhe o pulso.
-Às oito.
Voltou-lhe as costas e saiu deixando o homem perplexo.
Ela seguiu para o supermercado onde fez as compras para o jantar.
Uma perna de borrego para assar, os ingredientes para a sobremesa, um gelado e vinho.
Fez um bolo de chocolate, preparou e pôs no forno o borrego com batatas, e fez a salada. Hesitou sem saber bem como ia por a mesa, acabando por decidir por uma mesa simples para duas pessoas, sem qualquer detalhe romântico que o levassem a tirar conclusões apressadas, e não muito abonatórias para ela.
Com tudo pronto, foi tomar banho, e vestir-se. Acabava a maquilhagem, quando ouviu a campainha. Abriu a porta e ele estendeu-lhe um ramo de tulipas amarelas. Ela aceitou-as como uma promessa de paz e amor.
- Obrigada, são lindas. Entra, o jantar está pronto, é só por as flores numa jarra, e levo-o já para a mesa.
Seguiu-a para a cozinha.
- Não tenho fome. Deixa as flores aí e vem para a sala. Quero saber o que tens de tão importante para me dizer. Decerto não será que estás grávida. Porque se é isso, escusas de tentar. Lembro-te que usei proteção.

******************************************************************************


Na reta  final. Será que estes dois, se vão entender?

20 comentários:

lua singular disse...

Não consegui comentar os de baixo, mas li alguns
Êta mulher porreta, ela terá o que quiser.
Beijos
Lua Slingular

Edumanes disse...

Daniela foi a Moçambique. Será que o clima de África lhe fez bem? Parece que de lá voltou mais meiga! Disposta a não lutar contra ao amor que sente por David...
Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

O meu pensamento viaja disse...

Boa semana e continuação de muita e boa escrita.
Bj

Majo Dutra disse...

Ele começou muito mal, fpi mesmo estúpido!
Eu perdia toda a vontade de me confessar...
Muito bom.
Beijinho
~~~~

Maria do Mundo disse...

Ele não foi lá muito simpático!

AvoGi disse...

Quiça o calor de africa mudou as hormonas e tungas....já pode engravidar...
Gosto do azul lembra verão
Kis :=}

✿ chica disse...

Puxa, ela cheia de boa vontade e ele grosseiro que foi! Será terá chances?rs bjs, chica

Gaja Maria disse...

:) Que será que vai acontecer?

Tintinaine disse...

Li os comentários anteriores e também sou da opinião que ele meteu a pata na poça. Se calhar já não vai ter direito ao borrego para o jantar. Uma situação delicada para ela!

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Que coisa. Ele não foi nada agradável.
Não sei não se ela vai confiar nele.
Aguardemos o desenrolar dos acontecimentos.
Beijinhos,
Ailime

Pedro Coimbra disse...

O gajo entrou a matar.
Bruto, o fulano.
Um abraço, boa semana

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar uma ótima semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

bom dia
tudo leva a crer que se vão entender , claro depois de uma conversa entre adultos que se amam e vier ao de cima o que lhes vai no coração !!
JAFR

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continua bem interessante minha amiga.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Está cada vez melhor querida Elvira!
O que será que acontecerá?
Beijinhos no coração.

redonda disse...

Um comentário muito infeliz da parte dele...vamos ver qual vai ser a reacção dela...

Os olhares da Gracinha! disse...

Tal como disse outros ares...outra disposição! Bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Tal como disse outros ares...outra disposição! Bj

Rosemildo Sales Furtado disse...

Parece que a viagem a Moçambique abriu-lhe os olhos. Quem sabe, ela releve a grosseria dele?

Abraços,

Furtado

Berço do Mundo disse...

Caramba, o que lhe terá passado pela cabeça para fazer aquele comentário parvo? Espero que não a faça desistir....

P.S. Voltei para terminar de ler a história e vejo que já estou atrasada para a próxima!