8.6.17

JOGO PERIGOSO - PARTE XXII








Às quinze horas, entraram juntos no refeitório, e depois de pedir que se sentassem, Daniela disse.
-Como sabem, há dois meses que esta empresa, passou a ter um novo sócio. O senhor David Ribeiro aqui presente, e que já vos apresentei informalmente. Acontece que o senhor Ribeiro, vai investir um bom capital na fábrica, acaba de comprar novas máquinas de tecelagem, a primeira das quais será montada já para a semana. Vai criar mais postos de trabalho, e como tal é justo que vá assumir a gerência da fábrica, motivo pelo qual, a partir deste momento, todo e qualquer assunto referente à laboração, deve ser comunicado ao senhor Ribeiro. 
Calou-se e recuou, esperando o que ele poderia dizer, mas David, limitou-se a fazer um gesto com a mão e acrescentou.
- Espero que a nossa relação laboral continue a ser boa para ambas as partes. Podem voltar aos vossos postos de trabalho.
Virou-lhes as costas e ela apressou-se a segui-lo.
Uma vez no gabinete, ela sentou-se e disse:
-Vamos lá então tratar disto. Aqui estão as pastas com as encomendas, e o prazo de entregas estipulado para cada uma. O livro de cheques, a chave do cofre, e o endereço eletrônico da firma. A pasta do pessoal, dos Fornecedores, da Segurança Social, e das Finanças. Qualquer informação adicional, a Madalena dar-ta-á. É uma excelente secretária está na firma há muitos anos, sabe de tudo o que a ela diz respeito. Há três anos que não tiro férias. Uma vez que tomaste conta de tudo posso ir descansada.
Encarou-a com raiva.
-Não podes, fazer isso.
-Porque não? É um direito que me assiste.
- Mas posso precisar de ti.
- Para quê? Para alguma assinatura legal? Posso passar-te uma procuração.
- Faz isso e diz adeus às tuas ações na fábrica.
- Confio em ti. Sei que não o farás, - sorriu com tristeza.
Engoliu em seco. Como podia confiar nele, depois de conhecer o seu desejo de vingança? Que se passava com ela? Era muito ingénua, ou demasiado estúpida?
-Para onde vais?
- Estou a pensar ir até Moçambique. Há muito tempo não vejo o meu irmão. É a minha única família, estou com saudades.
Ele quis ser mordaz, dizer alguma coisa que a ferisse tanto, quanto ele se sentia, mas por qualquer razão não foi capaz. Voltou-lhe as costas, e por isso não pode ver o olhar de tristeza com que ela o brindou, antes de se dirigir  para a saída.



17 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Não convem misturar negócio com prazer!!! Bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Não convem misturar negócio com prazer!!! Bj

O meu pensamento viaja disse...

Aguardando.
Beijinhos

✿ chica disse...

Amos duros e turrões...Vamos ver! bjs, chica

redonda disse...

Ela está a fugir, ele não pode deixar que ela o faça, tem que inventar alguma coisa para que ela não vá...ou ir atrás dela...

um beijinho e boa-noite
(vou ficar à espera do próximo capítulo, estou a gostar muito desta história)

lis disse...

Nenhum dos dois quer dar o 'braço a torce'r como dizem por aqui
Há impasses! rs
Vamos aguardar,Elvira
Um abraço

Rosemildo Sales Furtado disse...

Os dois se equiparam. A recíproca é verdadeira em tudo. Continuo gostando, curioso e aguardando.

Abraços,

Furtado

Pedro Coimbra disse...

Uma mulher a fugir dos sentimentos e dos problemas.
Um abraço

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
o jogo começa a voltar a ficar competitivo.
está difícil mas interessante !!!
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a gostar deste "jogo perigoso".
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Ailime disse...

Vamos ver o que se seguirá.
Está muito interessante a história.
Beijinhos,
Ailime

Tintinaine disse...

Eu já sei o que vai acontecer, mas não digo!!!

Anete disse...

Tempos de ajustes e decisões. Para que haja mudança interior é preciso "desarrumações" doloridas! Depois vêm novidades construtivas...
Rsss, a travessia é uma "prova de fogo"...

Bjs e até o próximo capítulo...

Edumanes disse...

Vinganças não são saudáveis. Podem até causar feridas irreparáveis. Penso que entre Daniela e David, também existe alguma teimosia. Se dialogando não se entendem, não é cada uma puxando seu lado que conseguirão navegar a bom porto!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia!
Seria tão mais simples dizer a verdade não é?
Mas estou a gostar muito, beijinhos.

Berço do Mundo disse...

Os seres humanos gostam tanto de complicar