9.6.17

JOGO PERIGOSO - PARTE XXIII







Daniela, foi direita ao escritório do advogado, tratou da procuração em nome do sócio, assinou-a, registou-a no cartório e por fim meteu-a num envelope, e enviou-a pelo correio. Foi à agência, e comprou o bilhete de avião para Nampula, para o voo do dia seguinte. Já em casa, procurou a mala de viagem, escolheu algumas roupas simples e confortáveis, com que encheu a mala, tomou banho, enfiou uma camisa e um roupão, pegou na roupa suja, meteu-a na máquina, e só quando o tambor começou a rodar na lavagem, pensou que devia fazer alguma coisa para comer. Porém não lhe apetecia cozinhar. Abriu o congelador, retirou uma lasanha que aqueceu no micro-ondas e comeu.
Mais tarde, na sala, frente à televisão desligada, com um livro que não conseguia ler, recordou a noite anterior. Lembrou do sentimento contraditório, que a invadiu, quando David entrou, com a caixa de preservativos na mão. Alegria por saber que ele que os fora comprar naquele momento. Não os trouxera para o encontro, logo não tinha programado seduzi-la. Tristeza pela ironia que representavam. Depois, o carinho com que a despiu, a paixão com que a amou, a preocupação em levá-la ao clímax, uma, duas, três vezes.
Nunca, nem nos anos de casada se sentira tão mulher, tão amada e desejável.
Raios, porque é que não era uma mulher como as outras? E porque é que os homens haviam de fazer tanta questão em deixar descendência?  Impotente para refrear a dor que a atormentava, chorou até adormecer de cansada.
No dia seguinte acordou melhor. Procurou o passaporte, e demais documentos, verificou tudo, e depois do pequeno-almoço, dirigiu-se ao cabeleireiro, onde cortou os longos cabelos, deixando-os com um tamanho médio e um corte moderno. 
Depois passou pela perfumaria, comprou o perfume que sempre usava, e os artigos de higiene,  que utilizava habitualmente, pois não sabia se os encontraria à venda em Nampula e não queria prescindir deles.
Já passava das duas horas da tarde, quando almoçou. Tinha que estar no aeroporto às vinte e duas horas o avião partia à meia-noite. O melhor que tinha a fazer, era dormir umas horas. Acordou às dezasseis com o toque do telemóvel. Era David. Atendeu.
- Porque fizeste semelhante estupidez? – Perguntou alterado
- Porque confio em ti, - respondeu suavemente
- Raios, merecias que te tirasse tudo.
- Talvez. Mas não o farás.
  Um longo silêncio do outro lado. Depois...
- Estás muito confiante. Pode ser que te surpreenda. Quando partes?
- Logo, à meia-noite.
- Boa viagem.
Desligou sem lhe dar tempo a agradecer

*****************************************************************************************

Aqui está a explicação do que aconteceu lá atrás.  Para quem pensou que tinha saltado um episódio.

20 comentários:

✿ chica disse...

Estou gostando e vamos esperando mais e mais! bjs, chica

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia Elvira!
Estou adorando e muito curiosa, queria adivinhar seus pensamentos amiga Elvia, rsrsrs.
Um abraço.

Janita disse...

Ai, ai...depois não querem que os homens digam que as mulheres são complicadas!! Mau, muito mau, a Daniela não abrir o coração e contar da sua triste experiência. Para isso não tinha feito amor com o 'rapaz'!!
Como se sentiria ela se tivesse sido o contrário? Um objecto sexual, certamente.
"Não faças aos outros o que não gostarias que te fizessem a ti"...:)
Continuo seguindo, amiga Elvira.

Um abraço.

Roaquim Rosa disse...

Boas
continua a ferver !!!
JAFR

Os olhares da Gracinha! disse...

Provavelmrnte a separação vai fazer bem! Bj

Tintinaine disse...

Com absolutamente nada para fazer em Nampula, depressa se vai pôr a caminho de casa e do seu destino. Acredito eu.

© Piedade Araújo Sol disse...

Era tudo tão simples, quando ela viu que ele tinha os preservativos, dizia que não era preciso.
Depois...mais tarde explicaria.
Mas, se assim fosse acabava a estória que está a ser muito cativante,
Continue Elvira que eu estou a gostar bastante.
Ele ainda vai atrás dela para Nampula...

:)

Cadinho RoCo disse...

Tem hora que me pego a pensar no ritmo adotado adotado hoje por tantas pessoas em suas decisões. Te convidando para passeio na nossa www.hellowebradio.com ... você.Vem!
Cadinho RoCo

Edumanes disse...

Manias de mulher quando não está satisfeita com o que tem à sua disposição? ou então não sabe o que quer? Pode ser que a ida a Nampula-Moçambique, a faça mudar de ideias, em relação ao relacionamento com David!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Majo Dutra disse...

~~~
Está perfeito, Elvira.
Reações humanas muito naturais.
O desgosto dela deve ser imenso...
Abraço. grande contista.
~~~~

maria disse...

Penso que o afastamento de Daniela vai ser temporário, porque no fundo ela sabe que não vai conseguir lutar, durante muito mais tempo contra o amor e forte atração que já sente por ele... :D

Ailime disse...

Um desenrolar com muito 'suspense'.
Estou a gostar muito.
Um beijinho.
Ailime

AvoGi disse...

Hummmmmmmm, vi afogar as lágrimas numa praia. Tentar esquecer a sua dor.
Mais valia ser sincera
Kis :=}

Jaime Portela disse...

Os seus textos estão cada vez melhores e, como disse em tempos, nota-se que há fôlego para o romance.
Bom fim de semana, amiga Elvira.
Beijo.

Louraini Christmann - Lola disse...

Querida,muito obrigada pelo carinho.

Quero passar a ler teus escritos logo, logo.
Ainda estou muito doída. Mas logo, logo...

Odete Ferreira disse...

Colocada a leitura em dia, dispenso-me de dar palpites.
Sei que a narradora tem tudo bem planeado e gosto de ser surpreendida!
Bjinho, Elvira :)

redonda disse...

Ah finalmente :) afinal não faltava um capítulo a explicação veio de outra forma, gostei :)

Cantinho da Gaiata disse...

Vamos ver se a viagem lhe vai fazer bem.
Estou gostando.
Bjs

Gaja Maria disse...

Agora estou curiosa com o que se irá passar. Se rá que ele a vai deixar partir?

Rosemildo Sales Furtado disse...

Com certeza o irmão vai falar que vendeu as ações ao David por ele ser portador de um bom caráter, dizer quem ele é, e manda-la de volta, antes que seja tarde demais. Continuo gostando.

Abraços,

Furtado