26.6.17

SONHO AO LUAR - PARTE XII


Um mês depois, tinha-se estabelecido uma grande amizade entre os dois. O livro estava quase pronto, e era frequente vê-los, passeando, ora até à praia, ora aventurando-se pelos caminhos da serra. Para Isabel era como se tivesse voltado dez anos atrás, quando inseparáveis percorriam aqueles mesmos caminhos, em longas conversas.
Raro era o dia, que a avó não lhe chamava a atenção, preocupada que estava com a sua felicidade. Ela, fazia ouvidos de mercador, empenhada em desfrutar ao máximo da companhia dele. Tinha pedido férias sem vencimento, no escritório, e pensava todos os dias, que tinha que procurar um espaço para montar o seu escritório, mas arranjava sempre uma desculpa para adiar essa resolução.
Uma tarde, depois de terem estado durante uma hora a rever o último capítulo, ela lendo o que estava escrito, ele corrigindo frases, mudando palavras, deram enfim o livro por terminado.
No dia seguinte sairia para a editora.
Então, ele disse-lhe que ia visitar a idosa, da casa ao lado, e pediu-lhe para o acompanhar. Ficou aflita, não podia avisar a avó, e receava o que ela pudesse dizer.
Ele cumprimentou carinhosamente a senhora, que o levou para a sala, onde conversaram sobre a sua ausência, e o tempo que esperava ficar.
Depois a avó disse que ia fazer um chá, e Isabel ofereceu-se para a ajudar, a fim de recomendar à avó, que não a desmascarasse.
A visita foi muito agradável, e acabou por se prolongar. Na volta, ele rompeu o silêncio para dizer.
-É uma senhora muito agradável. Tanto que me esqueci de lhe perguntar pela neta. Antigamente ela estava sempre cá, de férias, nesta altura do ano.
Isabel estremeceu. Ele lembrava-se dela. Com voz tremente, perguntou:
-Eram amigos?
- Amigos? Não. Era muito mais do que uma amiga. Era uma irmã.
Ela deu graças a Deus por ele não a poder ver. Uma irmã. Foi assim que ele sempre a viu. Por isso ficou tão zangado naquele dia. Com raiva, limpou as lágrimas que iam deixando um rasto molhado no rosto pálido. Percorreram em silêncio, o resto do caminho. Depois ele recolheu-se ao quarto, enquanto ela morta de dor, arrumou a secretária, pegou na mala e foi para casa. Ficaria muito surpreendida, se tivesse visto o sorriso enigmático do homem, quando meia hora depois regressou ao escritório.

15 comentários:

Odete Ferreira disse...

Continuo na minha: ele reconheceu, desde o início, a voz.
:)

Pedro Coimbra disse...

A Odete Ferreira também sabe que as pessoas quando perdem um sentido aguçam outro(s).
Ele sabe quem ela é.
Boa semana

Roaquim Rosa disse...

bom dia
um sorriso enigmático ???
haver vamos o que esse sorriso nos vai trazer !!!
uma boa se mana de trabalho para quem o tiver .
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está interessante.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

✿ chica disse...

Ele está se "fazendo de salame",rs...Sabe muiiiiito bem de tudo! Estou adorando! bjs, chica

esteban lob disse...

Imaginación frondosa, amiga Elvira, asentada en la realidad y la fantasía.
Abrazo austral.

Prata da casa disse...

Hummm: bem me parecei que ele tinha reconhecido a voz dela e dois podem jogar o " faz de conta que não nos conhecemos".
Bjn
Márcia

Edumanes disse...

Será que Hélder ainda a não descobriu pela voz, ou será que anda a fingir?
Costuma-se dizer quem tudo quer tudo perde. Parece-me que Daniela quer acender o fogo para nele se queimar?

Tenha um bom dia amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Bell disse...

Mistério gostoso rs...

bjokas =)

Majo Dutra Rosado disse...

Então, ele reconheceu-a...
Interessante,Elvira!
Estou a gostar.
Abraço
~~~

rendadebilros disse...

Mas afinal onde anda o sexto sentido? Desta vez está a falhar! Ou não. Veremos. Boa semana. Beijinhos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muito interessante.

A amiga além de escrever bem é muito imaginativa.

Parabéns, por isso.

Bjs.
Irene Alves

Os olhares da Gracinha! disse...

Ele tem a faca e o queijo na mão!!! Bj

redonda disse...

Ele sabe, ele sabe, aposto que ele sabe!
Qual será a ideia dele?
Vamos lá ler o próximo capítulo, que sorte chegar aqui e ter dois para ler :)