21.1.17

UMA HISTÓRIA DE AMOR - PARTE XXI


O casal estava sentado na sala, conversando sobre as últimas gracinhas da neta, que passara com eles aquele dia.
Ouviu-se um sinal de mensagem, e Francisca pegou no telemóvel e leu.
“Olá Mãe.
Estou em Paris. Tinhas razão. Às vezes é preciso arriscar.
A fogueira foi ateada. E arde igual dos dois lados. Conta ao pai. Cuida de que não lhe dê algum ataque cardíaco.
Amamos-te. Beijos”
Sorriu feliz enquanto pousava o telemóvel.
Afonso, olhava-a curioso. Não era hábito, a mulher receber mensagens, aquela hora. Teve vontade de perguntar de quem era, mas não o fez.
Francisca, levantou-se. Olhou para ele, como quem vai dizer algo, mas nada disse. Voltou a sentar-se. Brincou com as mãos, num gesto característico de que estava nervosa.
 O marido inquietou-se. A coisa parecia séria. Perguntou suavemente:
-De quem era?
- Da Ana. Está em Paris.
- Em Paris? Mas não disse que ia para Barcelona?
- Mudou de ideias
- Aquela rapariga mata-me. O que é que fez agora, para te deixar tão nervosa?
- Foi em busca da felicidade.
Começava a ficar impaciente.
- Em Paris? Ela arrependeu-se? Não sabia que o Paulo  estava em Paris.
- Não, querido, não é o Paulo. É o Simão
- O Simão? Que Simão? Não conheço... Interrompeu-se abruptamente. O nosso Simão?
- Sim
- Não pode ser. São irmãos!
- Não são. E tu sabe-lo melhor que ninguém.
- Sim, tens razão, mas é que é tudo tão estranho. Eu pensava que eles se amavam como irmãos.
De súbito lembrou-se da conversa que tinha tido com Simão no jardim, aquando da festa de aniversário. Percebeu então, a razão que o tinha afastado de casa e da família durante aqueles anos. Pensou que ele amava Ana, desde sempre. Apesar da estranheza, gostava da ideia. Fá-la-ia feliz, tinha a certeza.  Mas será que Ana, não ia desistir de novo?  
 - Achas que desta vez, vai ser diferente? Que ela não vai desistir de novo? Sabes como tem sido inconstante.
- Tenho a certeza. Desta vez ela não vai desistir.
- O que te dá tanta certeza?
- O coração, - respondeu sorrindo. Depois pegou no telemóvel e escreveu:
“O pai já sabe. O Carmo não caiu. Estamos muito felizes.
Beijos.”

 *****************************************************************************

Casaram dois meses depois, numa manhã de sol, na mesma igreja onde seus pais o tinham feito, há vinte e cinco anos atrás. Diz quem viu, que a noiva estava radiante de felicidade, o noivo muito emocionado, e a restante família muito contente. E que foi uma cerimonia muito bonita.

 Fim

Elvira Carvalho


Esta história chegou ao fim. Gostaria que aqueles que me leram assiduamente, ( e penso que terão sido muito mais do que os que comentaram, a acreditar nas visualizações deste conto, que contava desde o primeiro episódio até ontem com 3215.) me dessem a vossa opinião sobre ele no seu todo.
Uma noite de inverno, será a nova história que vos vou contar de segunda até ao fim do mês. Mais pequena, e muito diferente das duas últimas, mas que espero vos agrade.

BOM FIM DE SEMANA

28 comentários:

Tintinaine disse...

Se não é baseado em factos reais, isso quer dizer que a autora tem uma capacidade inventiva a toda a prova. Uma trama complexa, bem desenvolvida e com suspense que baste.
Juntando os dois contos e dando-lhe mais umas voltas isto daria um romance com direito a tornar-se num best-seller.
Parabéns.

Rui disse...

Uma história belíssima, Elvira, que faz muito mais sentido com as duas associadas !!!
É um facto que eles nem sequer "meios irmãos" são e portanto um amor naturalíssimo , vivido desde tenra idade !
Mesmo assim, os receios mútuos dessa aproximação, que poderia parecer contra natura, foram dissipados pelo afastamento voluntário do Simão durante muitíssimos anos !
Eram portanto dois seres que se amavam, quase sem se dar conta, tal como acontecia com a Ana e nem tanto como o Simão, que esse, sim, mantinha a consciência plena do seu amor pela Ana !

A Elvira está de parabéns ! Um romance fantástico !!!

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia Elvira!
Como gosto de ler seus contos, suas histórias, viajo em cada uma delas e na minha imaginação todos tem rosto e cheiros diferentes.
Como gosto disso!
Parabéns querida amiga!
E vou seguir com certeza o outro conto, "Uma noite de inverno".
Um abraço e bom final de semana e lindas inspirações!

Socorro Melo disse...


Olá, Elvira!

Você é uma exímia contadora de histórias. O conto de amor de Ana e Simão, teve todos os ingredientes para despertar o interesse do leitor, que você sabe prender muito bem, com a sua delicadeza e criatividade. Nada deixou a desejar. Na verdade eu esperava certa resistência da família, mas, que bom que ocorreu tudo na paz. Parabéns!

E que venha " Uma noite de Inverno"!

Isa Sá disse...

A acompanhar a história...

Isabel Sá
Brilhos da Moda

BeatriceMar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Ponto Cruz disse...

Olá, Elvira! Sempre acompanhando os seus textos! Estou esperando "Uma noite de Inverno" !
Beijinhos,
♥Priscila♥

maria madeira disse...

Eu leio os seus contos/histórias como a página de um livro, não se pode dizer muito enquanto a história ainda decorre, vamos folheando até à ultima página que, traduzido, quer apenas dizer que os textos virtuais se sucedem. Achei a história simples, bem contada, logo, bem escrita. Não é original é um facto, mas nenhuma história de amor o é, será sempre original para os que a vivem ao vivo e pela primeira vez. É continuar, Elvira :)

Tenha um bom fim-de-semana.

Prata da casa disse...

Tudo está bem quando acaba bem. Bonita história.
Bjn
Márcia

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Gostei! Foi muito bem escrita essa história. Se o não foi baseado em factos reais. Parabéns pela seu tão vasto poder de imaginação!
Quando o amor é verdadeiro, a união entre dois seres que se ama sempre acaba em bem. Que tenham sido ou ainda sejam muito felizes!
Boa noite e um bom dia de domingo amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Odete Ferreira disse...

Elvira: sabes que acompanho sempre os contos (e as outras postagens) e que vou comentando referindo, de vez em quando, as características do narrador (autor) enquanto delineador da trama; assim, neste comentário, vou repetir-me: consegues, penso que com facilidade, engendrar uma trama bem estruturada, coerente e que desperta muita curiosidade no leitor; a par, elogio a correção linguística.
Venham daí os contos!
Parabéns.
Bjo e bom fim de semana

cesar farias disse...

Todos os trechos que li me agradaram. Admiro escritores que, ao contrário de mim, produzem incessantemente, dando vasão á universos multicoloridos de personagens.

Isa Sá disse...

A passar por cá para desejar um bom domingo.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Os olhares da Gracinha! disse...

Um final em bem e atual!!!
Vamos à próxima!!!
Bom domingo Elvira

Jaime Portela disse...

Gostei muito da história, não só pelo que foi acontecendo mas também pela qualidade da narrativa.
Elvira, bom resto de domingo e boa semana.
Beijo.

Roaquim Rosa disse...

Boa noite
foi o primeiro conto que acompanhei de principio ao fim e na verdade estou completamente impressionado com a qualidade que a senhora tem .
muitos parabens e desde dezembro que tem mais um seguidor e assim o terá daqui para a frente .
um bem haja dona Elvira.
JAFR

Zé Povinho disse...

Mais um final feliz para suavizar a cruel realidade com que temos de lidar.
Abraço do Zé

Gaja Maria disse...

Gostei muito Elvira, desde a história, à forma como foi contada e escrita, prendeu-me todos os dias. Abraço, aguardo a próxima :)

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Li todos os capítulos com grande interesse.
Muita emoção nos penúltimos capítulos, quando Simão deixa transparecer o seu sentimento por Ana e ela acaba descobrindo que correspondia ao seu amor.
Uma bela e bem elaborada história de amor, além de muito envolvente. Parabéns!

Feliz semana!

Beijo.

Pedro Coimbra disse...

Surpresa e suspense até ao fim numa trama bem urdida.
Não é isso que se pede de um bom romance, de uma boa narrativa?
Um abraço, boa semana

Anete disse...

Um final feliz e cheio de amor... Que bom!!!
O verdadeiro AMOR sempre vence..................
Uma boa semana, Elvira, e vamos p a px história...

Janita disse...

Gostei muito deste conto, amiga Elvira. Tal como «vaticinei», desde que comecei a suspeitar da inconstância amorosa da Ana, o coração acabou por falar mais alto.
Uma narrativa excelente com um enredo diferente do habitual.
Está, a autora, de parabéns, uma vez mais.
Um abraço amigo e grato.
Janita

maria disse...

Uma história muito interessante, bem contada e que aborda um problema muito actual,e com um final feliz,o que pessoalmente me agrada muito, apesar de saber que na realidade nem sempre é assim... beijinho amiga e mais uma vez obrigado por nos permitir leituras tão agradáveis!

As Mulheres 4estacoes disse...

Hoje vim acabar de ler a história.
Gosto da forma simples e objetiva da sua escrita.
Fico sempre imaginando um final para os personagens.
Um abraço

aluap Al disse...

Ola Elvira por falta de tempo tenho comentado menos, mas vim ler o fim deste romance de que gostei do princípio ao fim. "O Carmo não caiu". Graças a Deus!

Um abraço de amizade.

lua singular disse...

Oi Elvira.
Me perdi no final, já estava lendo outra postagem, aí voltei com a certeza que não tinha lido o último capítulo.Linda a sua estória, gostei muito, menina.
Beijos no coração.
Amanhã começo a outra- comigo agora tem que ser devagarzinho
Lua Singular