28.6.17

SONHO AO LUAR - PARTE XVI







- Deves estar muito contente.
- Por voltar a ver, sim. Mas vinha doido para ver a sua neta. Que se passa com ela?
- Não sei, Helder. Diz-me tu, porque a queres ver? Desde quando sabias que era ela?
- Quase desde o primeiro dia. A dona Lucinda conhece-me desde sempre. Sabe da amizade que me unia à sua neta. Também sabe como fiquei meio perdido quando os meus pais morreram. Sei que pode parecer estranho que tenha sido uma miúda, a fazer com que me reencontrasse, eu que era já na altura um homem. Mas foi o que aconteceu. Ela era encantadora, tão simples, tão natural, e eu sentia-me feliz a orientá-la nas leituras, a mostrar-lhe o mundo como eu o via. Era como se tivesse uma irmã mais nova, para amar e proteger. E esse sentimento levou-me a recuperar da dor e desorientação em que a morte dos meus pais, daquela forma trágica, me tinha deixado. Por muito estranho que pareça, dada a nossa diferença de idades,  durante quatro anos, fomos os melhores amigos do mundo. Depois um dia descobri que se tinha apaixonado por mim. Fiquei zangado. Foi como se a vida me tivesse roubado de novo, como se a minha irmãzinha tivesse morrido. E de certa forma assim foi, já que desde esse dia, nunca mais fui capaz de a ver, ou de pensar nela, da mesma maneira. Senti-me atraiçoado.  Fui para Lisboa, empreguei-me numa loja, e aluguei um pequeno apartamento com outro colega. Comecei a escrever. Sempre gostei muito de o fazer, mas nunca pensei que a minha vida seguisse esse rumo. Mas o livro foi um sucesso estrondoso, e de repente, o livro era traduzido em várias línguas, as edições sucediam-se, até se projetava um filme baseado nele, e então deixei o emprego e dediquei-me apenas à escrita. A recordação de Isabel nunca me abandonou. Era algo muito íntimo. Fazia parte de mim. Depois sofri o acidente deixei de ver, e durante muito tempo estive apenas centrado na tentativa de recuperar a visão. Quando perdi a esperança, voltei para casa. E de novo Isabel, veio e me salvou. Porque foi desde que tive a certeza que ela estava comigo, que a minha visão começou a dar sinais de querer voltar.  Durante estes meses, eu descobri porque é que nunca me interessei a sério, por nenhuma mulher nestes dez anos. O amor pela sua neta enchia o meu coração. Neste último mês, vivi entre o Céu e o Inferno, com o desejo de lhe confessar o meu amor, e o medo de não poder oferecer-lhe nem sequer um olhar apaixonado. Agora ela não quer falar comigo, e eu desespero.
Calou-se. A senhora estava emocionada.
- Sabes de uma coisa, Hélder? Vocês hoje em dia são demasiado complicados para o meu gosto. A Isabel foi-se embora desesperada, convencida de que nunca corresponderias ao seu amor.
- Convencê-la-ei do contrário. Só não sei onde encontrá-la.
- Eu sei. E vou ajudar-te. Mas tens que me prometer trazê-la de volta. Estou velha, não gostava de morrer, sem a ver feliz.
Inclinou-se para a mesa, apanhou um bloco e escreveu uma morada. Depois arrancou a folha, e deu-lha. Ele abraçou a idosa e deu-lhe dois carinhosos beijos.
- Fico-lhe eternamente grato. Parto depois de almoço.


12 comentários:

Edumanes disse...

O amor tem muita força. Quem sabe amar não o deixa de si fugir. Afinal Hélder ama Isabel, e lá vai ele a correr para os braços dela!
Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

✿ chica disse...

Maravilha!! Tudo vai acabar bem,na certa e ambos sofreram demais,agora devem ter muito amor em paz! bjs, chica

AvoGi disse...

Ah, assim sim
Esta malta nova compica as relações
Kis :={

redonda disse...

Quero ler o próximo!
Queria ler o próximo agora!
Estou a adorar esta história

um beijinho e boa noite

Pedro Coimbra disse...

Vamos ver se o reencontro vai ser tão cor-de-rosa como se projecta...
Abraços

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
um sonho que com toda a certeza se vai concretizar, pois estando os dois apaixonados , nem podia ser de outra forma.
só falta saber se ainda vão surgir alguns percalços .
JAFR

Anete disse...

A vida com os seus reveses e conflitos... Tudo agora será esclarecido e vêm alegrias sem fim...
Abçs

Jack Lins disse...

Que lindo!
Ansiosa para saber o que irá acontecer.
O amor vence tudo mesmo.
Grande beijo

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

O AMOR faz milagres.
Lindo!
Beijinhos no coração querida amiga Elvira!

Louraini Christmann - Lola disse...

Cumplicidade de vó é tudo de bom.
O amor deve vencer.

abraço
Lola

Os olhares da Gracinha! disse...

O amor por certo ... Vencerá!!!

Ailime disse...

Que história linda, Elvira.
Uma surpresa maravilhosa.
Beijinhos,
Ailime