8.11.15

FOLHA EM BRANCO PARTE XX




Acabava o sumo, quando Miguel voltou.
- Bom dia! Dormiu bem, Maria? – Perguntou, tentando ver se o nome lhe provocava alguma reacção. Mas não vislumbrou qualquer alteração no rosto da jovem.
- Bom dia Miguel. Dormi toda a noite, mas acordei com a cabeça pesada, e a boca seca.
- Efeito colateral da medicação. Tenho uma boa notícia. Consegui marcar o seu exame. Dentro de dez dias em Portimão. Vamos almoçar agora?
- Não tenho fome.
-Não se preocupe. Ela virá antes de chegarmos ao restaurante. Adélia está cá?- Perguntou de seguida
-Está lá dentro- respondeu.
-Vou falar com ela. Volto já.
Encontrou-a atarefada a limpar os vidros da janela.
- Adélia queria pedir-lhe um favor.
- Pois não, Menino.
- Como lhe disse esta manhã, a jovem que está lá dentro, está doente, toma medicação, que não a deixa acordar cedo. Por isso na próxima vez, não venha antes das dez.
-Fique descansado, Menino.
-Então, estamos combinados. Agora vamos sair. Até logo.
-Vão com Deus.
Saíram e seguiram em silêncio durante uns minutos. De súbito a jovem perguntou:
- O Miguel não tem família?
- Não, respondeu secamente como se a pergunta o tivesse incomodado.
-Desculpe. Não queria zangá-lo.
- Não me zanguei. Mas nem sempre é bom despertar lembranças.
- Quem dera que eu tivesse alguma, mesmo que não fossem muito boa, -murmurou com tristeza.
- Vá lá Amélia, não se torture. Como dizia a avó Ermelinda, não é por chorar sobre o leite derramado, que ele volta para a cafeteira.
A jovem não respondeu. Após alguns minutos Miguel quebrou o silêncio.
- Estive a pensar que tenho uma tela inacabada. Amanhã, vou voltar lá à falésia. Gostava que fosse comigo. Sente-se com coragem para isso?
Notou a contracção no rosto da jovem. E a tremura na voz quando respondeu:
-Penso… que sim.




16 comentários:

Olinda Melo disse...


Adélia, no capítulo anterior, tentando uma abordagem e ela retraindo-se.
Talvez com o tempo essa memória se vá abrindo à vida.
Bj
Olinda

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Os progressos são invisíveis.
Será que a doente vai acordar ou o Miguel se vai apaixonar por ela?

✿ chica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
✿ chica disse...

Será que vai mexer com ela essa ida à falésia? Tanto a acontecer, tantos detalhes... Ficamos esperando! Lindo domingo! bjs, chica

carolina g. ticala disse...

Great post! Would you like to follow each other to keep in touch? let me know !☺

Isa Sá disse...

Por cá à jeito para a escrita... tenha um ótimo domingo!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Quem sabe este retorno ao local onde a jovem tentara o suicídio ajudará a desperta-lhe alguma lembrança?

Aguardemos.

Ótimo domingo.

Beijo.

Edumanes disse...

Vale mais uma mulher nua,
do que de ouro vestida
a folha em branco continua
sem ferver em banho Maria!

Tudo se pode ainda imaginar,
do que estará para acontecer
preciso com paciência esperar
se o final feliz quiser saber!

Tenha uma boa noite se domingo, amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

lua singular disse...

Oi Elvira.
Memória é assim, deve ser estimulada que ela volta.
Vamos torcer.
Beijos
Lua Singular

Rosemildo Sales Furtado disse...

Talvez um pequeno susto provocado por Miguel lá na falésia, clareasse um pouco á memória da menina.

Abraços,

Furtado.

GLEISE CAIRES disse...

Acabo de encontrar seu blog e estou presa aos seus textos...Parabéns!!
Vou continuar acompanhando...bjs

Laura Santos disse...

Estive a ler os capítulos anteriores, e a situação continua difícil, e nem entendo realmente a dedicação de Miguel. Qualquer outra pessoa tê-la-ia deixado na Polícia e lavado daí as suas mãos. Mas de facto, é isso que torna a história interessante. Veremos se uma ida até à falésia poderá suscitar alguma lembrança....
Estou a gostar muito de ler, Elvira. Quanto ao possível nome dela,não faço ideia, mas acho que um dia será feliz.:-)
xx

Elvira Carvalho disse...

Amiga Laura, vai perceber com o acompanhamento da história, que o Miguel é um artista com toda a sensibilidade que esta palavra acarreta, um sonhador com alma de poeta. Mas é também um homem maduro, eu ainda não disse mas ele está prestes a fazer 47 anos, a quem a solidão de certa forma começa a pesar. Quando por impulso decide Levar a jovem com ele, não lhe passa pela cabeça, no que se vai meter nem nas consequências desse acto. Apenas pensa na fragilidade da jovem e receia que ela volte a tentar o suicídio. Quando começa a raciocinar, ele já está metido no problema até ao pescoço. Primeiro do ponto de vista legal pode até ser acusado de sequestro, uma vez que uma pessoa em amnésia, não é considerada senhora dos seus actos, segundo do ponto de vista afectivo, ele sente um carinho muito grande pela jovem, carinho esse que ele acredita ser o de um pai por um filho.
O que isto vai dar? Continue a acompanhar
Um abraço

Laura Santos disse...

Obrigada pela sua explicação, Elvira, embora eu tenha lido tudo até aqui, e tenha entendido que tudo o que ele está a fazer pela jovem seja com a melhor das intenções, mas é como explica, pode estar a meter-se numa "camisa de onze varas"!
Vou continuar a ler. :-)
xx

Socorro Melo disse...


Quem sabe à vista da falésia não lhe traz algo à memória!

Zilani Célia disse...

LENDO.

http://zilanicelia.blogspot.com.br/