27.11.15

FOLHA EM BRANCO PARTE LI


Encostou-se mais a ele, o corpo tremendo, mais de ansiedade que de medo. Insistiu
- Não te atormentes mais, nem me tortures. Deixa de lutar contra fantasmas que só existem na tua cabeça.  Eu sou real, e o meu amor por ti, é tão real, quanto esta tempestade.
 Segurou-lhe o rosto entre as mãos, e aproximou o seu do rosto dele, até quase se tocarem. Insistiu:
- Beija-me. Agora. Ou não te perdoarei nunca.
Incapaz de resistir, por mais tempo, ele obedeceu.
E, tal como um rio, que no auge da tempestade, galga  margens e arrasta tudo à sua passagem, assim o beijo que os uniu, despoletou tal paixão, que destruiu  medos e inseguranças, deixando apenas um homem e uma mulher que se amavam, e se entregavam às primícias desse amor.
Lá fora chovia torrencialmente. Aos poucos a tempestade afastava-se, e a trovoada, ficava cada vez mais distante.
Mais tarde, quando a luz voltou, ela sussurrou:
Tens fome?
-De ti. - Respondeu com paixão
Ela riu baixinho. E de novo as bocas se procuraram ansiosas, as mãos  se perderam nervosas, em carícias  delirantes,  e os corpos se envolveram na ancestral dança do amor.





************************************** - EPÍLOGO -******************************** 



Já se passaram mais de quatro anos, desde aquela noite de Dezembro.   Tempo em que muita coisa aconteceu na vida dos dois protagonistas desta história. 
Mariana recuperou os seus documentos, bem como a chave da sua casa.Continuou com as sessões de psicoterapia, durante algum tempo, até interiorizar que o sentimento de culpa, que quase a endoidecera, não tinha razão de ser.
 Casaram numa manhã de sol,no início da primavera. Numa cerimónia, simples e íntima, na presença de Luísa, da filha e do namorado desta, e de alguns amigos do noivo.
 Mariana, voltou à universidade e terminou o curso. Por seu lado, Miguel era cada dia mais respeitado por público, e críticos. O seu quadro,  " Folha em branco"., que retratava Mariana, naquele dia, entre a vegetação da falésia, tal como ele a vira, fizera o maior sucesso, e fora alvo de vários estudos, e muitas ofertas, mas Miguel não o vendeu. Tinha lugar de destaque na sua sala.  
Tinham vivido na casa dela, enquanto remodelavam aquele apartamento, e quando as obras acabaram e voltaram para ali, venderam a outra casa.
Mantinham Luísa como empregada. E Maria continuava a ser, a  sua melhor amiga, embora ela tivesse recuperado a antiga amizade de algumas colegas da Universidade.
Mariana estava cada dia mais bela, mais mulher, mais madura.
Irradiava felicidade.
Por vezes, ao olhá-la, voltava a insegurança de Miguel, o temor de a perder, o medo de que a jovem o trocasse por alguém da sua idade. Tinha esse medo enraizado no peito, muito embora lutasse contra isso todos os dias. Mas às vezes, era maior que as suas forças. Ensombrava-se-lhe o rosto, entristecia-se-lhe o olhar.
Atenta, Mariana afastava essa dúvida, com todo o amor que sentia pelo marido.
Ela sabe, que essa, é uma nuvem,  que ainda vai demorar a sair do horizonte de Miguel.
Mas  hoje é um dia especial. Miguel faz cinquenta e um anos. Daqui a pouco descerá do estúdio, sairão para jantar, e festejar com alguns amigos.  
Mariana acaba de se arranjar e espera ansiosa pelo marido. Ela tem uma prenda especial para ele.
Quando ele desce, ela enlaça-o e murmura-lhe  algo ao ouvido.
 -Verdade?- pergunta ansioso, mergulhando o olhar, naqueles olhos castanhos que tanto ama.
Acena afirmativamente  com a cabeça.
 Sentindo um nó na garganta, o coração batendo desenfreado no peito, ele aperta-a contra si, e murmura emocionado:
-Bendita sejas, Mulher!


FIM


Maria Elvira Carvalho.



33 comentários:

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

Tenho acompanhado a evolução desta história que só poderia ter um fim feliz - o contrário não se coadunaria com o bom coração de quem escreveu.

Um grande beijo

Fátima Pereira Stocker disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
© Piedade Araújo Sol disse...

andei a ler os atrasados...

acabou bem e é um bom conto, muito bem escrito.

beijinho Elvira

bom fim de semana.

:)

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Acabou como todos desejaríamos.Que se entendessem e que fossem muito felizes para sempre.
O Miguel era tão bom rapaz que merecia este acontecimento e a Mariana depois de tanto sofrimento merecia também ser feliz.
Uma história como muitas outras que nunca serão escritas.

Odete Ferreira disse...

Parabéns, Elvira, pelo conto que escreveu: bem escrito e sempre a despertar a curiosidade. Gostei da forma como foi encaminhando o desenlace.
Bjo :)

Rogerio G. V. Pereira disse...

Gostei
Gostei
Gostei
Os epilogos servem apenas
para sublinhar finais
sem se atreverem
a contrariar o fio da narrativa

(Só tive pena de não ter sido convidado para padrinho!)


Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Amei o final desse belo conto,querida amiga Elvira! Quente,apaixonante,belíssimo seu estilo,minha linda!
Você é tudo de melhor nesse estilo!
Parabéns!

Desculpe a ausência,mas meu computador de mesa quebrou ,estou num lap top e mal enxergo nele.

Obrigada pela visita no meu niver dia 26/11 e um fim de semana de paz profunda.

Beijos sabor carinho

Donetzka

Isa Sá disse...

Agora só falta o livro!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Anete disse...

Elvira, estive lendo os últimos capítulos (desde o passeio a Sintra) e gostei muito de como terminou o romance aqui...
Os dois vencendo dificuldades e prosseguindo unidos, cada um com sua "bagagem" e cativando o companheirismo!
Um bom sábado...
Bjs (penso que gostará de ver um niver no Vida & Plenitude)

Socorro Melo disse...


Ah, que pena, já acabou? Estava tão bom...

Parabéns, Elvira! Muito, muito, muito bom...

Adoro histórias de amor e o final não poderia ter sido melhor: o fruto desse amor...

Quando vem o próximo?

Beijos
Socorro Melo

São disse...

Fico contente em agora também dar finais felizes às suas histórias.

Bom fim de semana e grande abraço amigo

Laura Santos disse...

Uma história destas só poderia mesmo terminar assim. E um filho virá ainda uni-los mais.
Um belo conto, Elvira. Parabéns!
xx

Ane disse...

Oi Elvira!Simplesmente adorei o final!Final feliz sim, mas claro, a vida continua e não é perfeita, infelizmente temos que enfrentar os problemas...
O que Mariana disse pra Miguel?Que estava grávida?Você deixou isso pra gente imaginar?Beijos!

manuela barroso disse...

Mesmo não conseguindo acompanhar toda a história, um final feliz onde a imaginação se alia ao seu estilo tão vivo. parabéns!
Bjis!

AC disse...

Aplaudo essa capacidade de criar enredos da maior envolvência, Elvira. Espero que não se fique por aqui, que tenha a vontade suficiente para nos envolver em novos e cativantes meandros. Parabéns!

Um beijinho :)

Janita disse...

Elvira, li agora os dois últimos episódios desta excelente história de amor e mistério!
Adorei! Afinal, foram as forças da Natureza que deram força ao Miguel para se deixar envolver na força do amor da jovem Mariana.
Ela também não deixou os seus créditos por mãos alheias e quem porfia sempre vence...
Gosto de finais felizes, para triste já basta a vida!
Parabenizo-a pela imaginação e sensibilidade.

Um abraço e bom Domingo.

Portuguesinha disse...

Bom, o final de novela chegou... Um pouco abrupto ou talvez mesmo a tempo! :D
Obrigada por nos envolver com esta saga.
Próxima já para o ano??

Abraços

Vera Lúcia disse...


Lindo, Elvira!
Final perfeito.
Adorei acompanhar esta história tão envolvente e bem escrita.
Parabéns!

Ótimo final de semana.

Beijo.

✿ chica disse...

Elvira, vim agradecer o carinho pelo meu niver e adorei ver o final dessa linda história de amor que acabou muito bem e com uma boa surpresa sussurrada ao ouvido. ADOREI ! Valeu! Escreves maravilhosamente! bjs, INTÉ! chica

Olinda Melo disse...


Muito bem!!!
Um final feliz e a vida a correr o seu curso, trazendo-lhes um rebento.
Gostei muito, Elvira.
Parabéns.
Bj
Olinda

Isa Sá disse...

A passar por aqui, para desejar um bom domingo.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Elvira, bom dia!!
Amei este conto!
Muito bem escrito e que nos trouxe muitas expectativas.
Agora vou aguardar o próximo!! rsss.
Um grande abraço, tudo de bom!
Mariangela

Maria do Mundo disse...

Adorei. Beijinhos.

aluap Al disse...

Tudo está bem quando termina bem!
Parabéns pelo modo como escreveu este conto e...venha o próximo.
Bom domingo! Bjos.

Marina Fligueira disse...

¡Hola Elvira!!!

Bueno!... Nos dejas un precioso relato con amor de bueno o eso me parece... Sobretodo el final feliz como él le dice... Bendita seas mujer. Un broche muy bello.

Siempre es un placer visitarte y leerte.
Te dejo mi gratitud y estima.
Feliz domingo, reina.

El comentario que habías dejado: está puesto en la anterior entra. Mil gracias por todo.

LopesCa Blog disse...

Muito bonito :)

Edumanes disse...

Quando duas pessoas se mamam. Não devem lutar contra o amor, mas sim fazer como fizeram Miguel e Mariana. Juntar os trapinhos e serem felizes o resto das suas vidas!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Paulinha disse...

Gostei muito deste conto, e gosto imenso da sua escrita.
Continue a escrever D. Elvira.
Beijinhos
Paula

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira
Parabéns pelo lindo conto,
Você é uma excelente contista
Que venham mais...
Beijos
Minicontista2

Graça Sampaio disse...

Tudo está bem o que acaba bem - dizia Shakespeare. E tinha razão!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Acredito que a Maria vai ser convidada para ser a madrinha do herdeiro. Belo conto Elvira! Parabéns!

Abraços,

Furtado.

lourdes disse...

Um final feliz para uma história cheia de precalços pelo meio.
Será que ainda existe disso?
Bjs

Zilani Célia disse...

AI QUE LINDO ELVIRA!
VALEU MUITO TER VINDO LER O FINAL, AMEI E TE DIGO QUE ÉS PRODÍGIO, TEUS TEXTOS SÃO APAIXONANTES.
ASSIM QUE PUDER, VOLTO PARA LER MAIS PORQUE TAMBÉM ESTOU COM MEU BLOG BASTANTE ATRASADO MAS, AOS POUCOS VOU COLOCANDO TUDO EM DIA.
ABRÇS AMIGA E FICA COM DEUS.

http://zilanicelia.blogspot.com.br/