29.11.15

VAMOS CONVERSAR?

                        foto do google


Chegou ao fim o conto que durante mais de quarenta dias vos  entreteve por este cantinho.Seguido por muitos, aqui e no google+,  uns tiveram coragem de deixar um comentário, outros apenas um gosto, outros ainda entraram mudos e saíram calados. 
O texto de hoje é uma forma de partilhar convosco, algumas conclusões a que os vossos quase mil comentários me levaram

1º  Mal o conto começou, começaram-me a pedir um final feliz, uma história de amor. Realmente a vida actual anda tão stressante que só mesmo o amor para lhe dar sentido. De resto, desde que "matei" a protagonista em "A Ti'Esperança dos olhos verdes" que sabia que me iam "desancar" se o final não fosse o que imaginavam. O que me chamou a atenção, foi o facto de muitos, se preocuparem mais com o romance dos protagonistas do que com o facto de um deles não ter memórias, ou com as dúvidas do outro, pela diferença de idades.Adiante. O facto é que vocês sentiram o  romance dos protagonistas muito antes de eles terem dado por isso.
2º O factor da diferença de idade, foi introduzido de propósito para ver a vossa reacção.
E foi quase unânime, a opinião de que a idade não interessa, o importante é o amor. Se não me engano apenas duas leitoras e um leitor, assumiram claramente que não acreditavam num relacionamento duradouro com tal diferença de idades. Para os restantes a idade não conta . Mas será sempre assim? Vamos fazer um pequeno exercício. Suponham que eu trocava a idade aos protagonistas. 
. A Mariana teria 47 anos e o Miguel 20. Que vos parece? Iam continuar a apostar nesse amor da mesma maneira? Será que apenas três leitores duvidariam do sucesso da relação?
Por último, senhoras e cavalheiros, acharam Miguel, um carácter demasiado bom para ser verdade, o que me levou a pensar no desencanto com que olhamos à nossa volta, e no pouco que conhecemos quem nos rodeia
O Miguel existe. Talvez não se chame Miguel, nem seja pintor, mas homens de carácter, capazes de grandes actos de abnegação e amor ao próximo, existem sim.  Inspirei-me num.
Resta-me acrescentar que dedico esta história a todos os homens que vêm na mulher um ser seu igual, e a amam e respeitam como tal.
Agradeço a todos a participação. Amanhã terão aqui um pequeno conto policial. É a minha primeira incursão no género e espero que vos agrade.

Tenham um óptimo domingo.

22 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Obrigado Elvira pela história e agora pelas excelentes conclusões.
A sua escrita é atraente e a sua imaginação não tem fronteiras nem limites.

LopesCa Blog disse...

Gosto de te ler cá estarei para a próxima e sempre a comentar :)
Jinhos godos

maria mestre disse...

Não fui leitora desde o início, mas o qur li gostei bastante e prometo ler o próximo :)

maria mestre disse...

Não fui leitora desde o início, mas o qur li gostei bastante e prometo ler o próximo :)

Laura Santos disse...

Eu li todos os capítulos, e claro que se subentendia desde uma certa altura que haveria pelo menos, uma atracção entre eles. Claro que também a achei muito jovem, mas história é história. Se as idades fossem ao contrário, a história também seria decerto diferente. No entanto tudo depende do contexto, mas como sabemos, uma mulher de 47 anos é geralmente considerada mais "fora de prazo" do que um homem de 47! O preconceito de que a mulher não pode ter rugas e cabelos brancos, e ao homem tudo isso lhe conferirá charme.
xx

Andre Mansim disse...

Elvirinha, confesso que não lí o conto todo, já disse isso. Mas os capítulos que lí foram muito bem escritos e inteligentes.
As pessoas andam meio desacreditadas das outras pessoas, e hoje, homem bom, casal que se ama, mesmo com ou sem diferença de idade, é uma aberração.
Eu acho que seu conto não está na contra a mão da verdade, mas infelizmente a realidade de hoje é que está à contra a mão do que deveria ser real.

Parabéns por mais um conto.

Luis Eme disse...

A realidade e a ficção passam o tempo misturadas, muitas vezes é difícil separá-las, principalmente nos nossos tempos.

No entanto continuo a pensar que 27 anos é uma diferença muito grande para uma relação, seja o homem ou a mulher mais velho. Olhamos para o mundo de forma bastante diferente e não nos podemos fingir jovens a vida toda...

abraço Elvira

Edumanes disse...

O Miguel, estava no dia, hora e lugar certo, para evitar que Mariana se suicidasse. Eu, penso que foi o destino que os juntou?

Tenha amiga Elvira, uma boa noite de domingo, um abraço,
Eduardo.

paideleo disse...

Pois agora toca ler o novo xénero literario.

CÉU disse...

Não acompanhei o conto, tal como sabe, e portanto, não posso opinar.
Evidente k há homens bons, que sabem amar a mulher, em todas as suas fases e faces, mas a outra percentagem é bem mais elevada, como sabe.
Qto a idades, ou melhor, qto a amores entre homens e mulheres, o "normal" é o homem ser um bocadinho mais velho k a mulher ou da mesma idade, mas eu sempre fui de opinião k o homem deve ser mais novo k a mulher. O homem é mais imaturo, não cumpre, em geral, regras salutares e por isso se explica k haja mto mais viúvas k viúvos, entre outros fatores.
O homem envelhece mais depressa do k a mulher, e portanto, dez anos menos que nós é o ideal. A minha mãe sempre foi apologista desta ideia e dizia com uma certa graça: velhos se fazem eles, portanto, o aconselhável era "acasalar" com homens mais novos.

Boa semana!

Beijos para todos.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Há uma coisa que eu reclamo
Nunca desejaria igual a mim
a mulher que eu amo
nos direitos? Claro que sim!

Foi um bom conto
Pronto!

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Acredito em homens de caráter e bons e generosos como Miguel. Conheço vários. Não se julga alguns em detrimento de outros. Até prova em contrário, grande parte merece fé.
Se Mariana tivesse 47 e Miguel 20, talvez eu não acreditasse no sucesso da relação. Há homens maduros aos vinte anos, mas também há preconceito com relação a este tipo de diferença de idade, principalmente dentro das famílias dos envolvidos, o que poderia tumultuar a relação. Contudo, seria perfeitamente viável, existindo amor, pois o amor possui grande força para transpor barreiras.

Que venha o conto policial. Será um prazer acompanhar.

Beijo.

Pedro Coimbra disse...

Quando existe química, fogo, paixão, a diferença de idades não resiste.
Boa semana

Bell disse...

Eu lembro que comentei que eu não me relacionaria com uma pessoa mais velha.
Falar que o amor é lindo todo mundo fala, mas ele tem dificuldades que precisam ser vencidas.

A gente sempre torce por um final feliz, mas o fato é que a realidade nem sempre temos (acho que por isso tanta pressão em cima dos seus finais rs...).

bjokas =)

Mariangela do Lago Vieira disse...

Foi muito bom este conto Elvira. E sempre torcemos para que o amor vença!
Vamos aos outros, abração!
Mariangela

Ana S. disse...

É verdade Elvira, se a diferença de idades fosse ao contrário provavelmente a opinião das pessoas seria outra.
De qualquer forma, o conto serviu para analisar o comportamento dos comentadores, as suas opiniões e o que lhes vai na cabeça.
Abraço

Graça Sampaio disse...

Como admiro a tua persistência!! Não só tens paciência e imaginação para escrever, dia após dia, as tuas belas novelas, como depois ainda te dá ao trabalho - que não é nada pouco - de tirares apontamentos dos comentários para apresentares conclusões! Grande mulher! Grande contadora de histórias!

Beijinhos sinceros.

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira;
Grata por esse lindo conto.
Se eu tivesse 51 e meu marido 20, nossa vida sexual ainda seria longa, aliás não se vive só de sexo, se ele acabar sempre se da um jeitinho.
Beijos
Minicontista2

Rosemildo Sales Furtado disse...

Mais uma vez, parabéns pelo conto. Ficarei aguardando o próximo.

Abraços,

Furtado.

Berço do Mundo disse...

Com certeza, essa prenda maravilhosa só os vai unir mais e multiplicar a felicidade.
Beijinhos, Elvira. Obrigada por toda a história que nos manteve em suspenso estas semanas
Ruthia d'O Berço do Mundo

Portuguesinha disse...

Adorei as suas conclusões, Elvira.
Acho que fiz parte dos que duvidaram...:D

Mas entendo a predilecção por romances com finais felizes. É o que as pessoas esperam ao iniciar uma leitura de um romance, ao começar a assistir uma novela, ao ver um filme no cinema...

Eu sou mais do género "amor trágico", desfechos inesperados, injustos quiçá, mas provavelmente o espelho de uma realidade maior. Você está a fazer-me recordar as histórias que escrevia no passado... Lá muito atrás, tive um período criativo abrangente e intenso. Os amores ou desamores não tinham de ter um final feliz, mas levavam sempre a umas tantas reflexões :D

Mais uma vez, obrigada.
Continuarei a vir aqui para mais umas leituras.

aluap Al disse...

A determinada altura até achava que acabaria de forma diferente, que o Miguel a adoptaria como filha, não foi a assim e com o desenrolar achei normal o final.
Beijinhos.