22.11.15

FOLHA EM BRANCO - PARTE XLII


Miguel não conseguia desviar os olhos da jovem. Desde o primeiro dia, sempre a achara muito bonita, mas também sempre a vira como uma adolescente. Nunca assim, tão bela, tão feminina, tão mulher.
Depois do jantar, Mariana tomou a iniciativa. Escolheu um CD de música romântica, e quando se ouviram os primeiros acordes, estendeu-lhe a mão dizendo:
-Vem, apetece-me dançar.
Ele enlaçou-a, e ela passou os braços à volta do pescoço masculino, fechou os olhos e deixou-se levar. Dançaram largo tempo, em silêncio, embalados mais pelas emoções, do que pela música, cada um sentindo no seu, o desejo pelo corpo do outro. Para ela, que cedo descobrira o seu amor por Miguel, e o fora alimentando de sonhos para o futuro, a noite era a concretização de um desses sonhos. Para ele que começou por ter pena da jovem, que se foi afeiçoando a ela, sempre olhando-a como uma miúda, que se sentira um pouco pai da jovem, confundindo sentimentos, o que estava sentindo agora, era como um pesadelo, não fazia sentido, era uma aberração e um sacrilégio. Por isso, quando sentiu os dedos femininos na sua nuca, movendo-se numa suave carícia, empurrou-a com firmeza.
-Basta! Já chega!
Passou a mão pela testa, e deixou-se cair no sofá.
Ela não desistiu. Sentou-se no braço do sofá, e inclinou-se para ele.
Porquê Miguel? Não gostas de dançar? – Perguntou baixinho, provocando,  com aparente ingenuidade.
O perfume dela, envolvia-o, inebriava-o. Tinha vontade de abraçá-la e beijá-la até à exaustão.
Em vez disso cerrou os punhos, apelando a toda a sua força interior.
- Não brinques, comigo.
- Não estou a brincar, Miguel. Não percebes que te amo? Que estar nos teus braços me faz a mulher mais feliz da terra?
Levantou-se de um salto, todos os músculos retraídos.
- Não sabes o que dizes. Não devias ter bebido…
Levantando-se, aproximou-se dele:
-Não é o álcool que me dá a volta à cabeça. São os teus olhos, a tua presença, o teu cheiro. Tu é que me dás a volta à cabeça, me inebrias e me pões tonta. Porque resistes?
Miguel travava uma dura batalha consigo mesmo. Por um lado, as palavras de Mariana, soavam aos seus ouvidos como um canto de sereia, e iam ao encontro dos seus instintos masculinos.  E se o desejo de se deixar ir, de a apertar nos seus braços e mostrar-lhe como ele era capaz de amar, era grande, por  outro, o seu código de honra, o facto de saber que ela não tinha mais ninguém no mundo, e a promessa que a si mesmo fizera de a proteger  impediam-no de tomar outra atitude que não fosse a rejeição.
Esforçando-se por se controlar, disse com voz rouca:
- É muito tarde.Vai dormir. Amanhã  conversamos.
E voltando-lhe as costas, encerrou-se no quarto.



15 comentários:

Maria do Mundo disse...

Eu já sabia que ele ía resistir. Não vai ser fácil

Edumanes disse...

Miguel, virou-lhe as costas,
isso não desejava ele nem ela
ficaram as perguntas sem respostas
do que o fez resistir a uma mulher bela?

Tenha amiga Elvira, uma boa noite de domingo, um abraço,
Eduardo.

Socorro Melo disse...


Ai, que decepção para Mariana, coitadinha...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Isto é um conto

Na vida, tudo ficaria nessa dança
e no processo que os levou a ela

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Atrasei-me na leitura, pois estou sem internet no meu computador principal. A internet do meu notebook está muito lenta, dificultando minha navegação. Até cheguei a clicar errado aqui, publicando indevidamente uma postagem ainda em elaboração, o que me levou a revertê-la para rascunho até que tudo se normalize.

Li os capítulos que havia perdido e gostei muito, principalmente da maneira romântica com que as cenas estão se desenrolando. Miguel está assustado com seus sentimentos e, como homem honrado, está preocupado em preservar Mariana. Estava aqui torcendo para ele ceder às investidas de Mariana. Não aconteceu, mas tenho certeza de que será apenas uma questão de tempo. Difícil resistir a um amor tão lindo.

Feliz semana.

Beijo.

Odete Ferreira disse...

Assim é que se desenvolvem os contos. Quando o fim parece aproximar-se, introduz-se um ingrediente a espicaçar a curiosidade. Parabéns, Elvira :)

Pedro Coimbra disse...

Está complicado....
Boa semana

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Não é virando as costas que se resolvem problemas vamos a ver o que nos reserva os próximos capítulos.
Um abraço e boa semana.

Bell disse...

Que romântico, mas essa química está explodindo pra acontecer rs...

bjokas =)

lua singular disse...

Ai Elvira,
Eu já não aguento nem a um olhar. Mama mia, mesmo já meio envelhecida eu não aguentaria, o jogaria no chão, rasgaria suas roupas e etc... será que ele iria aguentar? Se ele aguentasse faria minha mala e iria embora.
Beijos
Lua Singular

Mariangela do Lago Vieira disse...

Que bom que ele mais uma vez provou ser uma pessoa de carácter.
Mas não irá resistir ao amor que ambos já sentem.
Lindo conto Elvira!
Abraços!
Mariangela

Laura Santos disse...

Compreendo a sua resistência, mas proximamente não resistirá aos encantos de Mariana, porque também sente o mesmo. Apenas demonstra ser um homem responsável.
xx

Olinda Melo disse...


Compreende-se, ele foi apanhado desprevenido.
Foi um choque! :)))
Mas acho que ele também já está a gostar dela...

Bj
Olinda

Rosemildo Sales Furtado disse...

As investidas inteligentes da Mariana, com certeza eliminará a resistência do Miguel. Afinal, o Miguel também é feito de carne e osso.

Abraços,

Furtado.

Zilani Célia disse...

MIGUEL RESISTIU, MAS, VAI CEDER.
ABRÇS
-
http://zilanicelia.blogspot.com.br/