14.11.15

FOLHA EM BRANCO PARTE XXVIII

Com tudo arrumado, sentou-se na cama. Gostava da casa. Era bonita. Ouviu vozes no estúdio. O arrastar de qualquer coisa. Percebeu que deviam ser os caixotes com as telas. Uma voz desconhecida que se despedia, uma porta que se fechava, e os passos fortes de Miguel. Gostava de saber que estava  por perto. Sentia-se protegida.
Mariana tinha perdido aquela angústia dos primeiros tempos. Claro que continuava, apreensiva e um pouco angustiada. Como não havia de estar, se continuava sem saber quem era. Mas, já não era aquele aperto no peito, que quase a sufocava, dos primeiros tempos. De vez em quando, sem razão aparente, vinha-lhe à memória, uma frase, um rosto, uma rua. Uma coisa tão fugaz que surgia e desaparecia tão rápida quanto um relâmpago. Seria a sua memória a forçar o regresso? Estava ansiosa por voltar ao médico. É que ultimamente sentia-se muito estranha. Sonhava que em breve ia ficar boa, recuperar a memória, voltar para a sua casa, e para a normalidade da sua vida. Ficava tão feliz! Mas quando se sentia no píncaro da felicidade, deslizava de novo para o vale da amnésia.
Voltar para a sua vida, era deixar de viver com Miguel, de o ver a toda a hora, de conversar com ele, de sentir o seu carinho e protecção. E isso causava-lhe uma angústia quase tão grande, quanto não saber quem era. O ideal, seria recuperar a memória e continuar junto de Miguel. Ali, no Algarve, ou em qualquer parte do mundo. Mas isso não era possível. Ela devia ter família, que reclamaria a sua presença! E Miguel certamente, ficaria contente, por se ver livre dela e retomar a sua vida, Sentiu um nó na garganta e as lágrimas deslizaram silenciosas, pela sua face atormentada. Que se passava com ela? Porque era tão complicada? Ensimesmada, nem reparou, que a noite ia descendo de mansinho, o seu negro manto, sobre a cidade. Acendiam-se as luzes na rua. Mas na cabeça e no coração de Mariana continuava a reinar a escuridão.
Perdida, algures em si mesma, nem ouviu as batidas na porta do quarto, quando Miguel voltou duas horas depois.
Ele chamou ao mesmo tempo que batia de novo;
- Mariana!
Sobressaltou-se a jovem.
- Entra. Está aberta.
- Que fazes às escuras? Estou cheio de fome. Afinal de contas, nem lanchámos. Vamos sair?
- Não me apetece nada!
- Podíamos encomendar uma pizza, mas sinceramente, hoje não me apetece pizza.  Vá lá, a noite está muito bonita. Um bocadinho fria, mas nada de especial. Vestes um casaco e pronto. Anda,- e estendia-lhe a mão, - não aceito uma recusa. E depois do jantar, damos uma volta, pelo bairro. Vais gostar. E demais, aproveitamos o tempo para combinarmos algumas coisas.
- Pronto, convenceste-me!


15 comentários:

Isa Sá disse...

A passar por cá, para continuar a acompanhar a história.
Bom fim de semana!

Isabel Sá
http://brilhpos-da-moda.blogspot.pt

Edumanes disse...

Se bem estou percebendo a Mariana,
por Miguel, apaixonada está ficando
se o meu pensamento também não me engana
como não engana quem com amor está amando!

Tenha uma boa noite e um bom dia de domingo amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Janita disse...

Sem desprimor para os restantes episódios que temos vindo a ler desta fabulosa e intrincada história este é, sem sombra de dúvida, o que mais me encantou!
A coisa está a compor-se e a Mariana em breve será feliz.
Algo m'o diz!! :-)

Beijinhos, Elvira. Parabéns!!

Laura Santos disse...

Acho que começam a não conseguir estar um sem o outro...;-)
xx

Duarte disse...

Isto começa a ter corpo, as coisas alcançam esse grau de percepção que engancha ao leitor.
Quando o amor chega a ser percebido, através duma boa comunicação, tudo se converte num jardim florido, belo.
Abraços de vida, querida amiga

lua singular disse...

Oi Elvira.
Caminhando muito bem no seu conto, mas já estou agoniada para saber o desfecho.kkk
Beijos no coração
Lua Singular

Rogerio G. V. Pereira disse...

Pelo rumo que a coisa leva
Pergunta a mim mesmo
se não precisava eu
dessa mesma amnésia

(claro que estou a brincar...)

aflores disse...

O amor está no ar :)

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Parece que o amor está tomando os corações do casal.
Tudo indica que 'Mariana' já está tendo fagulhas de sua memória e que ela não tardará a voltar.
Muito linda a escrita do capítulo.

Ótimo domingo.

Beijo.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Uma leitura sempre agradável, mas sem perceber quais as voltas que o autor quer dar a toda a história.
Pequenos progressos.

Mariangela do Lago Vieira disse...

O amor já mostra sua face!
Já vou ler o próximo porque estou atrasada!rs
Abraços Elvira!
Mariangela

Olinda Melo disse...


Ainda não é neste capítulo que fico a saber
porque é que ela responde pelo nome de
Mariana, se ainda não recuperou a memória.
Vejamos mais abaixo...

Bj
Olinda

Socorro Melo disse...


Que dilema o da Mariana! Recuperar a memória pode ser também a perda do Miguel...

Zilani Célia disse...

SERÁ QUE MARIANA ESTÁ SE APAIXONANDO POR MIGUEL?

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Rosemildo Sales Furtado disse...

Quando a companhia se faz necessária, algo novo está surgindo. Aguardemos os acontecimentos.

Abraços,

Furtado.