26.11.15

FOLHA EM BRANCO - PARTE XLVIII




Foto do google

Tinham-se conhecido, muitos anos atrás. Miguel tinha dezanove anos, era estudante. Olga, quarenta e era uma mulher  muito bela, alegre, que vivia dos favores que o seu corpo proporcionava aos homens. Ganhara fama a sua beleza, e era procurada pelos homens mais ricos da cidade. Mas também por jovens estudantes, que gastavam no seu leito, a maior fatia das suas mesadas. Miguel fora um desses estudantes.
Era muito novo, quase um rapazinho. Ele apaixonou-se pela bela mulher, que lhe ensinava todos os prazeres do sexo, despertando-lhe, sentidos e emoções, nunca antes experimentados.
Ela gostou do rapaz que a tratava com cuidado e carinho, fazendo-a esquecer-se da realidade da sua vida, para se sentir apenas uma mulher amada. Foi tão intenso, que Miguel, um sonhador com alma de poeta, como ela costumava dizer, chegou a pedir-lhe para ficarem juntos, mesmo que para isso  tivesse de abandonar os estudos, e ir trabalhar para a sustentar. Ela não se iludia. Sabia que mais dia, menos dia, Miguel ia encontrar alguém,da sua idade, e nunca mais punha os pés na sua casa.
E isso aconteceu, uns tempos depois, quando Miguel se apaixonou por uma colega na universidade. Lembrar-se-ia sempre, da tarde em que chegou com o ar mais sério do mundo, e lhe contou, pedindo-lhe desculpa, por ter traído o seu amor.
Para ela não foi nenhum drama. Nunca tivera ilusões. E aquilo, era o rumo natural da vida.
Pensou que nunca mais ia aparecer. Seria o que faria qualquer outro no seu lugar. Mas Miguel não era qualquer um. Era um ser especial como ela não conhecera outro na sua vida.
Apesar de nunca mais, se ter deitado  na sua cama, de vez em quando,  Miguel aparecia por lá. De manhã, sabendo que estava sempre sozinha nessa altura.
Conversavam um pouco, bebiam um chá e ia-se embora antes da hora  do almoço. E foi assim ao longo dos anos, antes e depois, dela ter largado a 
"vida", e se ter tornado uma simples e idosa dona de casa.
 Às vezes não aparecia durante um ano ou mais. Mas quando alguma coisa o incomodava, era com ela que ia desabafar. Como quando os pais morreram. Como agora.
- Não te atormentes. A história é totalmente diferente. Desde logo, porque uma mulher de vinte anos é muito mais madura, do que tu eras nessa idade. Não confunde sentimentos, sabe muito bem o que quer. Depois, nem tu nem eu nos amávamos, embora na altura pudesses ter pensado que sim. Tu ficaste deslumbrado, pela mulher mais velha, que te despertava os sentidos. Eu, gostava do  rapazito, que me tratava como se eu fosse uma rainha. Nada mais. 
Entre nós, nunca houve amor, Miguel. Atracção física, troca de experiências, um pouco de carinho, talvez. Mas, amor não. Nenhum de nós traiu o outro, porque não há traição, onde não há amor.
Anda, vai para casa. Escuta o teu coração. E se realmente, amas a rapariga, aproveita a oportunidade que a vida te dá e sê feliz. O tempo passa rápido, e quando damos conta, a vida está no ocaso como o sol no fim do dia.
Miguel não queria ir para casa, Não naquela noite. A tensão, a que obrigara o corpo, deixara-o de rastos. Estava muito cansado, sentia-se sem forças, não queria tonar uma decisão que ia mudar a sua vida naquele momento. Podia vir a arrepender-se.
Posso, ficar aqui, esta noite?
- Claro que sim. Vou buscar um cobertor que a noite está fria.
Quando voltou, já Miguel dormia estendido no sofá. Tirou-lhe os sapatos, estendeu sobre ele o cobertor, apagou a luz e retirou-se em seguida.






14 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Pedaços de vidas com muita vida e muita história.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Aproveitar a vida que o tempo passa rápido, um conselho muito acertado.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Isa Sá disse...

O tempo passa rápido e a vida dá muitas voltas....

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Marina Fligueira disse...

Hola de nuevo,Elvira: Sabes, es lo que le pasa a muchos chicos inmaduros, se tropiezan con una mujer veterana y vuelven locos; por el amor de una mujer... He dado todo cuanto fui... Así reza una canción.

El relato es fantástico,escribes como los ángeles y te felicito.
Ha sido un inmenso placer leerte, como siempre.
Te dejo un abrazo, mi gratitud y mi estima.
Besiños y se muy feliz.

António Querido disse...

Olá bom dia! Com sol de verão em todo o país, parecendo informar-nos que iremos ter o inverno mais quente de sempre para a democracia portuguesa!
Da Figueira para todos os portugueses, O MEU ABRAÇO.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Quantas páginas em branco, tão bem preenchidas!
Sigo acompanhando (por vezes recuperando partes que ficaram para trás), com grande interesse! Meu abraço, Elvira!

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira,
Miguel teve uma vida intensa de amor e sexo e o medo de não satisfazer sua mulher por muito tempo o apavora. Aqui onde moro um homem já tinha tido vários filhos com sua mulher, ela era bem mais nova e quando ele tinha 84 anos ela engravidou. Foi um xi-xi-xi na cidade que não era dele. Nasceu uma linda menina a cara do pai.
Beijos
Minicontista2

Rosemildo Sales Furtado disse...

Já disse em comentário anterior que diferença de idade não conta. Se ela a ama e se a recíproca for verdadeira, ele tem de aproveitar a oportunidade que ora se lhe apresenta.

Abraços,

Furtado.

Portuguesinha disse...

Ai, ai , ai!
Muito "caliente" esta história... E promete.
Eu cá fiquei curiosa para concluir se, afinal, AMOR era realmente o que os dois partilhavam e se vão chegar a essa conclusão: o que partilharam era mais valioso por ir além do sexo.

Só digo uma coisa: nenhuma mulher ia gostar de saber que o seu homem vai ter com outra e não tem nada com ela, só aparece porque precisa de desabafar e ela o entende. Ia sentir-se mais traída do que se fosse apenas sexo.

Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Elvira!
Tomara que agora eles se acertem, e vivam o que tem para ser vivido!
O que passou, passou!!
Um grande abraço, e uma abençoada noite!
Mariangela

Edumanes disse...

Miguel, sonhador,
é pintor e poeta
junto à falésia
encontrou novo amor!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Laura Santos disse...

Uma mulher já bem madura e sensata. Bonita a amizade entre eles.
xx

Socorro Melo disse...

Muito sábia aa Olga, humilde e de um grande coração.

Olinda Melo disse...


Um pouco da vida de Miguel, do seu passado.
Talvez isso o tenha contido, não o deixando
aceitar de pronto este amor.

Mas, acho que tudo se vai compor...
Bj
Olinda