23.11.15

FOLHA EM BRANCO - PARTE XLIII


Mariana deixou-se cair no sofá. Desalentada. Que se passara? A noite estava a ser maravilhosa. Ela sentia-se tão feliz enquanto dançavam. O que, ou porque, se quebrou o encanto? Porque a rejeitara? Acaso  tinha sido ilusão sua, a emoção que lhe julgara sentir, momentos antes, enquanto dançavam?
Ela fora sincera, abrira o seu coração, confessara-lhe o seu amor de mulher. E ele não a levara a sério.
Com as costas da mão, limpou com raiva, as lágrimas que lhe enevoavam o olhar.
E agora? Que fazer? Não podia arrancar do peito, aquele fogo que a devorava. Insistir e ser rejeitada de novo? Morreria de vergonha. Triste e desiludida, recolheu ao quarto.
Despiu o belo vestido, atirando-o com raiva para um canto do quarto.
Já deitada, dava voltas no leito sem conseguir dormir. Por fim deu largas à sua frustração e chorou até adormecer. Ela não sabia, que no quarto ao lado, o homem também não conseguia dormir, submergido num mar de dúvidas e inquietações.
Ele estava sentado na cama, a cabeça enterrada entre as mãos.
Relembrava a noite. Minuto a minuto, desde que ela saíra do quarto. Onde estivera escondida, aquela mulher que se apresentava na sua frente? Estava maravilhosa naquele vestido negro. Miguel tinha visto ao longo da vida muitas mulheres bonitas, Tinha conquistado algumas. Muitas, talvez. Nunca porém nenhuma o impressionara tanto. Depois do jantar, enquanto dançavam, sentindo o corpo dela, colado ao seu, o calor dos seus braços, envolvendo-o, sentiu que alguma coisa se quebrava dentro dele. O que ele sentia, não era de modo algum um amor fraternal, e muito menos paternal. Era o amor de um homem por uma mulher
Pela primeira vez, desejara aprisionar a boca dela na sua, num beijo apaixonado. O sua noção da realidade, impedira-o.
Em breve faria quarenta e sete anos, Ela tinha vinte. Era natural que se sentisse fascinada pelo homem mais velho, tal como muitas alunas se sentem fascinadas pelos seus professores, e pensam que estão enamoradas. E nela, que tinha sofrido tanto, e nos últimos meses não convivera com nenhum outro homem, era ainda mais plausível. Não podia iludir-se nem aproveitar-se da situação. Quando voltasse para a sua casa, a universidade, e os amigos da sua idade, a confissão dessa noite, haveria de parecer-lhe ridícula. E quem sabe não iria odiá-lo por ter-se aproveitado da sua fragilidade. Ah! Se ele fosse mais jovem!
Agora, outra realidade se impunha. Como continuar a fingir, que nada tinha acontecido, e que ela representava para ele, o que sempre fora? Onde arranjar forças?
O dia raiava e ele continuava sem adormecer

14 comentários:

Maria do Mundo disse...

Estão num beco sem saída.

Bell disse...

Não acho legal qdo a diferença de idade é grande.
Eu nunca vivi isso, nem sei se viveria rs...

bjokas =)

Anete disse...

Conflitos e temores no relacionamento do casal! Conversas e acordos sempre são bons para que haja confiança.
Uma boa semana, Elvira! Abraço grande.

Mariangela do Lago Vieira disse...

Realmente a situação dele é complicada.
A diferença de idade é grande,
mas penso que quando o amor é verdadeiro,
vale à pena tentar.
Muito bom!
Abraços!
Mariangela

Edumanes disse...

Agora estão sofrendo os dois pela mesma causa. Não por culpa de Mariana, mas sim por culpa do Miguel. Porque o amor tem dessas coisas. O que eu acho é que não de deve dizer não às vontades do coração. Para não se sofrer de paixão, como eles um pelo outro estão sofrendo, cada um no seu quarto!

Tenha uma boa noite, amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Se Miguel
lesse o que escreves
não sofreria tanto

:)

Dorli Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dorli Ramos disse...

Oi Elvira, desculpe excluir o comentário, fiz um grave erro.
Eu disse que a única solução seria ele ter mentido a idade dele que na verdade seria 30 anos, pois se for 47 não da não.
Beijos no coração
Minicontista2

Ana S. disse...

A idade não importa quando há amor. Eu cá prefiro homens mais velhos eheheh
boa semana!
Abraço

Socorro Melo disse...


Miguel é muito sensato, porém, nas coisas do coração a sensatez foge um pouco às regras.

A história está emocionante.

Portuguesinha disse...

"Cheira-me" que ele ainda vai descobrir que a desmemoriada é sua filha.
Que trágica romântica história!!
Um romance digno de Eça mas com incesto à Jocasta e Édipo, trocando-se, claro, a mãe pelo pai. Aposto que Shakespeare também cisco nesse terreiro :P mas talvez não tenha, no seu Hamlet, ousado a tanto! :D

Mas ainda falta correr muita água debaixo da ponte.
Aguardo o momento da felicidade suprema, seguida da queda vertiginosa :D

Laura Santos disse...

No fundo é apenas a diferença de idades que o incomoda...mas tudo se solucionará, quando perceber que ela gosta mesmo dele.
xx

Olinda Melo disse...


E agora, Miguel, o que fazer?

Bj
Olinda

Rosemildo Sales Furtado disse...

E se o Miguel estiver agindo assim para aumentar o apetite? Por favor, não esqueça dos bombeiros. Rsrs.

Abraços,

Furtado.