24.11.15

FOLHA EM BRANCO - XLV


O empregado conduziu-os à mesa, e estendeu-lhes a ementa, retirando-se em seguida
Voltou pouco depois, com as entradas. Perguntou se já tinham escolhido, tomou nota do pedido e afastou-se. 
Mariana olhou à sua volta. O restaurante estava completamente cheio. Gente que conversava e ria, famílias pequenas e mais numerosas, todas irmanadas na mesma alegria. Poucos casais.
Talvez recém-casados, no seu primeiro Natal a dois. Imaginou-se assim, recém-casada com Miguel, e involuntariamente corou.
- Está calor aqui dentro,- disse tentando disfarçar.
Terminado o almoço, seguiram em direcção à Boca do Inferno, depois pela marginal até à praia do Guincho. Seguiam devagar admirando a paisagem, que naquele lugar, é de cortar a respiração.
Miguel estacionou perto da praia, e ficaram algum tempo olhando as ondas de espuma branca,  que se desfaziam no areal.
Retomaram a marcha começando a subir a serra,  na estrada para o cabo da Roca, porém um pouco mais à frente, Miguel entrou numa estrada estreita, rodeada de vegetação, típica  da serra e foram sair junto do Palácio da Peninha. Estacionou aí e saíram para admirar a paisagem, verdadeiramente deslumbrante.
De volta ao carro, seguiram pela mesma estrada. Logo a seguir, encontraram o desvio para o Palácio da Pena e Castelo dos Mouros, porém seguiram em direcção ao centro, passaram pela Quinta da Regaleira, uma maravilha , misto de natureza, e talento do homem, seguindo depois para o centro histórico.
O passeio era maravilhoso, mas os dois continuavam tensos e mudos.
Estacionou à saída do centro.
Saíram.  Na rua, estava bastante frio. A jovem levantou a gola do casaco.
-Tens frio?
Ela moveu a cabeça em sinal afirmativo. E ele passou-lhe o braço pelos ombros, como se quisesse protegê-la do frio, com o calor do seu corpo. Um acto natural e tantas vezes repetido ao longo daqueles meses, mas que agora lhe transmitia uma emoção diferente.  Quebrando o silêncio, que desde a manhã, persistia em acompanhá-los disse:
- Vamos lanchar. Conheces os travesseiros de Sintra?
- Só as queijadas.
 -Experimenta os travesseiros. São uma verdadeira delícia.
Mariana, sentia cada vez mais dificuldade em aparentar uma calma que não sentia. Ela não entendia que ele estivesse a lidar com ela, como se fosse uma miúda, depois da confissão que lhe fizera na véspera, e pensou que não estava nada interessada nos travesseiros. Porem, não disse nada.
- Quando vamos ao Algarve? – Perguntou ele mudando o rumo da conversa.
-Penso que logo no dia 2. No dia 4 tenho a sessão de psicoterapia, a que não quero faltar.
Tinham chegado à pastelaria. Procuraram uma mesa vaga, mas tiveram que se contentar com um lugar ao balcão.



15 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia
Uma leitura surpreendente, mas um passeio pleno de maravilhas.

maria mestre disse...

Bom dia mais uma parte verdadeiramente cativante, adorei. Beijinhos.

Isa Sá disse...

Já comia os travesseiros!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo passeio.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Odete Ferreira disse...

Revi-me neste passeio.
Adoro os tão afamados travesseiros da Periquita.
O conto: esperando como e quando o Miguel vai reagir.
Bjo, amiga :)

Edumanes disse...

Nunca mais a gente almoça, nem Miguel, se declara,
com a frase que tanta Mariana, anseia da sua boca ouvir
é preciso tanta paciência ter uma mulher tão apaixonada
para, forçosamente, quanto tem vontade de chorar sorrir!

Tenha uma boa tarde, amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Laura Santos disse...

Ah que impasse!... Que caiam logo nos braços um do outro! A idade não importa!
xx

Anete disse...

Gostei do capítulo de hoje! Lembrei do passeio em Sintra, dos gostosos travesseiros, etc.
Os dois estão pouco a pouco cativando um relacionamento bom... A cura da Mariana também vive um processo...

Boa tarde... Abraços

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, passei lindo e doce, assim vale a pena passear.
AG

Mariangela do Lago Vieira disse...

Hum Elvira...O gelo já está derretendo.
Mas que passeio lindo deve ser este!
Vamos aguardar.
Um abração!
Mariangela

Olinda Melo disse...



E a tensão continua...
Cabe ao Miguel rompê-la já que ela foi muito explícita na sua declaração de amor. Quando é que será?
Bj

lua singular disse...

Oi Elvira
Está muito lindo o seu conto
Ai, eu não aguentaria....
Beijos
Lua Singular

Socorro Melo disse...


Ah, que pena que não aproveitaram bem o passeio. Os lugares descritos parecem ser bonitos demais e interessantes. Fico a imaginar a tensão entre os dois... Nada fácil.

Beijos

Rosemildo Sales Furtado disse...

E o apetite cada vez mais aumentando. Rsrs.

Abraços,

Furtado.

Berço do Mundo disse...

Venho ver o que perdi neste hiato de tempo offline. Vamos ver no que isto dá....