4.11.15

FOLHA EM BRANCO PARTE XIV




                                                        foto da net


Apagou o cigarro, na torneira do tanque, lançando-o depois para o caixote do lixo. Olhou o relógio. Horas de almoço. Sacudiu a cabeça. Até nisso a sua rotina fora alterada, pois sempre fez as refeições fora e agora tinha que as trazer para casa. Foi até à entrada do quarto. A jovem permanecia na mesma posição. Pensou que tinha adormecido. Preparava-se para sair quando ela surgiu na sala.
Miguel aproveitou para lhe perguntar se não queria ir almoçar com ele. Contrariamente ao que esperava ela aceitou. Se ele esperasse enquanto ela ia jogar uma água no rosto, e passar a escova no cabelo. Ele assentiu e ela apressou-se em direcção da casa de banho.
Afinal valera a pena a conversa que tivera com ela -, pensou Miguel.
Minutos depois estava de volta e Miguel afastou-se para a deixar passar.
- Se não se importa de caminhar podemos ir a pé. Há um bom restaurante aqui perto.
-Gosto de caminhar  - retorquiu a jovem.
Ela seguia, observando tudo ao seu redor, como se nunca por ali tivesse passado.
Por sua vez Miguel observava-a de soslaio, tentando adivinhar no seu rosto, algum sinal de reconhecimento.
De súbito ela perguntou:
-Quando vou ao médico?
-Depois do almoço, podemos ir ao consultório. Com um pouco de sorte, talvez se consiga, consulta para hoje.
Um pouco mais tarde, ela perguntou:
-Posso pedir-lhe uma coisa?
-Claro.
- Podia comprar-me uns chinelos? Hoje tive que usar os seus…
- Gostava de ter visto isso, - riu Miguel. Esses delicados pezinhos de boneca, nos meus chinelos, número 44.
-Quase um só chegava para os dois pés, - disse ela, sorrindo.
Era a primeira vez que Miguel a via sorrir, e gostou de a ver assim.
Afinal, talvez não fosse tão difícil assim, a convivência entre os dois. 
O restaurante onde Miguel costumava fazer as suas refeições, não era muito grande, mas era agradável, com a sua decoração campestre, e muita luz, boa comida e a simpatia dos empregados, que se apressaram a conduzi-los para a mesa, onde habitualmente Miguel costumava ficar. Este escolheu peixe grelhado com legumes e passou a lista à jovem que sem a abrir, pediu peixe grelhado e salada.

17 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Mais um pedaço de uma história que podia ser verdade.

Pedro Coimbra disse...

O caminho para o coração passa pelo estômago....

✿ chica disse...

O enredo está muito bom e vamos indo contigo! bjs, lindo dia! chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

E eu à espera de ler hoje o resultado da consulta.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Olinda Melo disse...


Uma troca de palavras amenas sobre a partilha dos chinelos; uma refeição num local público, com uma caminhada pelo meio. Um progresso. Entretanto, a consulta poderá trazer alguma luz.

Bj
Olinda

Mariangela do Lago Vieira disse...

Não sei...Mas parece que sinto algo no ar!
Vou aguardar!
Abraços, e um abençoado dia!!
Mariangela

Edumanes disse...

A moenga continua,
devagarinho sem pressa de chegar
caminhando sobre as pedras da rua
juntos, foram ao restaurante almoçar
daquele encontro inesperado
talvez, em paixão se esteja transformando
para lá parece estar bem encaminhado
sendo isso que eu estou imaginando!


Tenha um bom dia amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

LopesCa Blog disse...

:)

Zé Povinho disse...

Até chegar ao repasto passei por outros capítulos que estavam primeiro e que tinha perdido. Foi um prazer como habitualmente.
Abraço do Zé

Vera Lúcia disse...


Miguel e a jovem estão se adaptando rapidamente.
Creio que logo surgirá romance nesta história.

Beijo.

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira, estava atrasada com meus comentários, agora já estou em dia e sinto novidade boa por aí
Beijos no coração
Minicontista2

lourdes disse...

Mais um pedaço da história da menina sem memória e do seu salvador.
O que irá surgir daqui?

São disse...

O nosso caro amigo Pedro tem razão...

Beijinhos, amiga

Rosemildo Sales Furtado disse...

Peixe grelhado para os dois representa gostos iguais. Já é um bom sinal de afinidade.

Abraços,

Furtado.

Laura Santos disse...

Querer ir almoçar fora e estar com vontade de ir à consulta, já é um grande passo!
xx

Socorro Melo disse...


Saudade do delicioso bacalhau com nata que comi por aí, há poucos dias...

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
COLOCANDO EM DIA A LEITURA.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/