7.11.15

FOLHA EM BRANCO PARTE XVIII


Horas depois, Miguel continuava sem conseguir dormir. Perguntava-se até onde o levaria uma promessa feita num momento de compaixão. Não se preocupava com os gastos. Não era rico, mas tinha o suficiente para não se preocupar com isso. Porém, nunca na sua vida, se tinha deparado com uma situação semelhante. E era muito desgastante. A ida ao médico não contribuíra em nada para melhor as suas expectativas. Bem pelo contrário. E se a família da jovem a encontrasse, e o acusasse de ser o causador do seu estado? Como podia defender-se? E se ela era menor? E se… e se… e se… Acabou por adormecer de cansaço, no meio de tanta cogitação. 
Acordou com alguém batendo à porta. Já era dia. Olhou o relógio.
Oito menos dez. Abriu a porta, e deparou-se com Adélia, a mulher que costumava fazer-lhe a limpeza da casa.
- Bom dia menino!
-Bom dia Adélia. Desculpe, esqueci que era quarta-feira, -disse afastando-se para deixar passar a mulher. Ela entrou. Se viu o sofá aberto, e as almofadas em cima da mesa, decerto que viu, mas nenhum comentário saiu da sua boca. Dirigiu-se à cozinha e Miguel foi atrás.
-Adélia, peço-lhe que não faça muito barulho. E não tente ir  ao quarto por enquanto. Está lá uma jovem dormindo.
A mulher, sorriu. Tinha mais de sessenta anos. Conhecera, Miguel era ainda rapariguita, quando sua mãe trabalhava lá em casa, e Miguel bebé de colo, ia com os pais, visitar a avó, já viúva. Às vezes, os pais deixavam o bebé lá em casa com a avó, por algumas horas, e Adélia adorava brincar com ele. Mesmo depois da trágica morte dos pais, num estúpido acidente, Miguel continuou a aparecer de vez em quando para dar um abraço à avó. Depois que esta morreu, a casa levou muito tempo desabitada. Um dia Miguel apareceu por lá, mandou fazer algumas obras à casa, que estava quase em ruínas, e desde aí vinha todos os anos, sempre no final do verão. Desde a primeira vez, que a contratara. Ia duas vezes por semana quando ele estava e uma vez por mês durante o resto do ano. Tinha por ele um amor quase maternal, e  uma fidelidade canina.
- Quero pedir-lhe outro favor. Não comente com ninguém a presença da jovem. Ela está doente, não tem ninguém, e eu tento ajudá-la. Não queria que fizesse maus juízos.
- Por quem é, Menino. Até parece que não me conhece, -disse ela um tanto agastada com a recomendação.- Quer que lhe faça o desjejum, ou come mais tarde?
- Não tenho fome. Como mais tarde. Vou tomar um duche.
- Então, se não se importa, eu vou levantar o sofá e vou para casa. Volto mais tarde. De qualquer modo pouco posso fazer com a menina a dormir.
-Faça com entender, Adélia.






14 comentários:

Olinda Melo disse...


Ora, aí está! E o acusarem de ter raptado a jovem. Situação muito complicada, na verdade.

Bj
Olinda

✿ chica disse...

Adélia saiu desconfiada, com certeza! bjs, chica e tá muito bom!

Edumanes disse...

Tal tá a moenga,
não há meio de se saber
o nome dela, será Madalena
também é preciso entender
de que vale sempre a pena
com paciência compreender
e também saber esperar
de que Roma e Pavia
tenho ouvido falar
não se fizeram num só dia!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

AC disse...

Está a ficar perita no domínio da narrativa, Elvira. Boa!

Um bom final de semana :)

Janita disse...

:))) Achei graça à exclamação do Edumanes! Também eu já acho que está aqui uma grande moenga, Elvira!!

Quem sabe a solução da identidade da jovem náo seja a Adélia a descobrir?
Foi pena não se terem encontrado!

Vamos esperar pelo próximo episódio e ver que nome o Miguel vai usar a ver se a menina dá acordo de si.

Abraço Elvira!!
Janita

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Mais uns passos,mas ainda não se vê uma saída...

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira
Acredito que vai dar uma virada no conto quando Adélia chegou para a limpeza, há algo em comum entre Adélia e a jovem e pode aí dar um lindo desfecho para o conto.
Beijos
Minicontista2

Vera Lúcia disse...


Adélia é daquelas fiéis escudeiras e, com certeza, respeitará o pedido de Miguel. Até poderá ajudá-lo com a jovem.
As questões que preocupam Miguel são válidas, mas já passou da hora dele ir à polícia.
Aguardemos.

Beijo.

Maria disse...

A coisa promete querida amiga...fiquei à espera de mais...!!!
Beijinhos e ótimo fim de semana junto dos que amas!
maria

Magia da Inês disse...


Cada vez, mais suspense!

Bom fim de semana com tudo de bom!!!
Beijinhos.
✿˚° ·.

Mariangela do Lago Vieira disse...

Será que a Adélia ao ver a moça terá um sobressalto reconhecendo-a?
Quem sabe...
Uma boa tarde Elvira.
Abraços,
Mariangela

Rosemildo Sales Furtado disse...

Com certeza haverá complicações para o Miguel. Aguardemos o resultado.

Abraços,

Furtado.

Socorro Melo disse...


Quantos questionamentos! E se... e se... e se... É horrível vivenciar uma situação dessa.

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
AOS POUCOS VAMOS SABENDO MAIS SOBRE A VIDA DE MIGUEL TAMBÉM.
MUITO BOM.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/