5.5.18

RENASCER - XXVIII



Terminada a refeição, enquanto mãe e filha levavam as loiças para a cozinha, o Joaquim informou que se ia retirar, para descansar um pouco. “Sesta é um luxo que não tenho em França, tenho que aproveitar” disse despedindo-se do jovem. Sabendo que a filha queria falar com o amigo, a sós, sem a coscuvilhice das vizinhas, a dona da casa, disse:
- Fazes um pouco de companhia ao Carlos enquanto eu arrumo a cozinha? Não estás com pressa pois não? - Perguntou virando-se para o jovem.
Ele percebeu que os pais de Emília, os queriam deixar a sós para que conversassem, e sentiu que devia uma explicação à jovem. Assim deixou-se conduzir à sala onde se deixou cair no sofá. Procurava uma maneira de contar à jovem as suas intenções sobre o futuro, sem que ela ficasse muito magoada, mas ela quebrou o silêncio, mal se sentou.
- A tua irmã contou-me a promessa que fizeste ao teu amigo, e falou-me da existência da Luísa e da filha. Disse-me que pensas casar com ela, quando a situação da tua identidade ficar resolvida. É verdade?
Ele olhou-a. Estava pálida, tinha os olhos brilhantes como se estivesse prestes a chorar, mas mantinha-se serena. Sentiu que algo se rasgava dentro dele. Daria parte da sua vida para não ter feito aquela promessa, nem ter conhecido Luísa. Mas não podia mudar o que já tinha acontecido, por isso limitou-se a acenar a cabeça em sinal de assentimento. Ela continuou.
- Provavelmente quando voltarmos a ver-nos já estarás casado, e talvez até nem nos vejamos mais. Eu sei que uma mulher, não se declara a um homem, e decerto se a minha mãe me ouvisse ia corar de vergonha, mas se há coisa que aprendi, foi a não me importar com aquilo que os outros pensam de mim. Tenho a consciência tranquila e isso é o que me importa. Por isso, quero que saibas, que te amo desesperadamente. Amei-te desde menina, quando corria atrás de ti na rua, tentando que me deixasses brincar contigo. Em todos estes anos, quando sonhava com o casamento, eras tu que eu via no altar, quando fazia projetos para o futuro, era contigo que imaginava esse futuro. E quando pensava em filhos, eras tu o pai que desejava para eles. Quando os teus pais receberam a notícia da tua morte, fiquei tão desesperada que julguei endoidecer. Cada vez que estava com as tuas irmãs ou os teus pais era uma tortura. A mãe escreveu ao pai e decidiram que nós íamos para a França a fim de me afastarem daqui. Quando a Cacilda me telefonou a contar que estavas vivo senti que renasciam as minhas esperanças. Espera, não digas nada, -disse ao ver que o jovem se preparava para falar.
Deixa-me acabar, antes que perca a coragem. Não te estou a abrir o coração para que não cumpras a tua promessa, sempre ouvi dizer que as promessas são sagradas, e sei que és um homem que honra a sua palavra. Também não quero a tua compaixão. Desejo de todo o coração que sejas feliz. Agora, que desabafei, é melhor que te vás. Não quero que me vejas chorar.



E agora? Deve a lealdade, a palavra de honra de um homem ser mais forte do que o amor? O que vocês acham?

E ontem dia 4 foi dia de Hospital. Exames e consulta, e parece que na parte respiratória está tudo sob controlo. O pior ultimamente são as crises de vesícula que me deixam de rastos. 
E porque amanhã é o dia da Mãe, esta história volta no dia 7.
 A propósito ainda se lembram como começou?


21 comentários:

Emília Pinto disse...

Antes de mais, quero desejar-te as melhoras e que tenhas um dia da Mãe feliz junto dos teus. Quanto à tua pergunta sobre a história, eu acho que ele deve casar com quem gostar e não por promessa. Tenho que ir ver o começo da história, pois perdi alguns capitulos, mas acho que ele vai casar com esta. Vamos lá ver o que tu resolves!!!! Beijinhos, Elvira.
Emilia

noname disse...

A Luisa não vai querer um marido nem um pai para a filha, por resultado de uma promessa. Ela terá já decidido a sua vida.

Boa noite, Elvira

Roaquim Rosa disse...

bom dia
É sempre difícil uma decisão destas depois de uma declaração de amor tão pura . Eu também penso que entre o Carlos e a Luiza vai ficar apenas uma grande amizade .
vamos esperar mais algum tempo.
As melhoras e um bom fim de semana e um grande dia da MÃE para todas as MÃES do mundo , embora para mim este dia o lembrarei sempre no dia 8 de Dezembro .
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

✿ chica disse...

Ninguém merece um homem ao lado apenas pra promessas cumprir...Espero que Luiza saia "vencedora",rs... Feliz dia das Mãe por aí! beijos, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Concordo completamente com a Chica, valores mais altos se levantam.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

António Querido disse...

Hoje também é dia da mãe, amanhã e sempre!

BOM FIM DE SEMANA.

Cantinho da Gaiata disse...

Desejo-lhe as rápidas melhoras amiga.
Quanto às história, fiquei......ohhhh.... É e agora como será que vai acabar está embrulhada.
Beijinho grande.

Anete disse...


Penso que o conto dará um reviravolta... Sei não, mas esse negócio de promessa ao amigo é meio "torto"... Será que ele não gosta da Emília?! Vejo insegurança e imaturidade da parte dele.

Melhoras para você, Elvira. Muita saúde!
Bjs e BOM DIA DAS MÃES!

Gil António disse...

Tema muito sedutor, maravilhoso de ler. Confiar no homem é complicado. Por não acreditar neles é que namoro com uma mulher, lol
Passo também a fim de desejar um óptimo fim de semana.

* AMOR EM ASSIMETRIA *
.
Abraço

Edumanes disse...

Não sei qual delas vencerá,
se será a promessa ou o amor
porque, só o destino saberá
qual delas terá mais valor?

Tenha um bom fim de semana amiga Elvira.
Um a abraço e as suas melhoras.

Olinda Melo disse...


Mulher corajosa, a Emília. Não deixa nada por dizer...

Desejo-lhe as melhoras da vesícula e bom fim-de-semana.

Bj

Olinda

Pedro Luso disse...

Olá, Elvira!
Gosto de ler as suas narrativas, com o cunho da realidade. Parabéns minha amiga.
Excelente final de semana.
Um abraço.
Pedro

Os olhares da Gracinha! disse...

As melhoras Elvira!
Quanto ao desenrolar da história ... que o AMOR fale mais alto!!!
bj

Cidália Ferreira disse...

Não sei, que diga à promessa que fez. Mas gostei do episódio! :)

Beijo. Bom fim de semana.

Tintinaine disse...

Talvez a Emília vá até França e volte. Não sabemos o que vai na cabeça da autora. E isso é que nos mantém agarrados à história e faz por aqui todos os dias.

Lucia Silva disse...

Espero que a própria Luiza o liberte dessa promessa e o deixe viver ao lado de quem ele ama e ela,Luiza, encontre novo amor. Desejo-lhe melhoras!
Beijos carinhosos!

lourdes disse...

Cá para mim, vais arranjar aí uma reviravolta para a Luisa o libertar de cumprir a promessa e ele fica com a Emília. No entanto, tambem pode acontecer que o Carlos e a Luisa se apaixonem. Mas não me parece.
Veremos a continuação da história.
Bjs.

Meu Velho Baú disse...

Está tão bonito.....
Porque será que no Amor tem sempre que haver obstáculos.
O Amor incondicional que ela tem por o Carlos praticamente desde criança merecia ser recompensado.
Mas...a escritora é que sabe:))
Beijinho

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Gostei da forma como Emília falou ao Carlos!
Penso que ele também gosta dela, mas como homem de bem que é está preso à promessa.
Só o futuro dirá quem finalmente será a dona do seu coração.
Desejo que neste momento já se encontre restabelecida.
Beijinhos,
Ailime

Berço do Mundo disse...

Ai, que não está fácil. Mas a Emília revela-se uma mulher de fibra e coragem. Eu não teria tanta. Expectante em relação ao desenlace da história.