23.5.18

CASAMENTO DE CONVENIÊNCIA - PARTE II





Se Pedro era um homem bem-sucedido nos negócios, o mesmo não acontecia na vida privada, onde talvez por vontade própria era um lobo solitário. Jamais pensara em se casar, não tinha uma boa ideia das mulheres na generalidade, talvez porque a mãe trocara o marido e o filho pelo amor de outro homem, quando ele tinha apenas cinco anos e só voltara a saber dela, vinte e cinco anos mais tarde, quando lhe comunicaram a sua morte. Assim ele passava pela vida das mulheres, como o colibri pelas flores. Uns beijos, uns momentos de inebriante prazer, e levantava voo.
Cristina Amaral, era a exceção. A jovem pertencia a uma família tradicional, com mais nome que dinheiro, e durante um tempo no início da relação, ele pensou que talvez fosse a pessoa certa, para dar um novo rumo à sua vida. Não pensava no casamento como uma união de amor, mas sim de conveniência. Ele já tinha feito trinta e oito anos, e não tinha família. De que lhe valia ter criado um império, se não tivesse a quem o deixar? Estava na hora de casar, ter filhos.  Mas depressa se cansou da frivolidade da jovem, que estava mais interessada em desfilar com ele pelas festas, exibindo-o como um troféu, do que em prender-se num casamento. Na atualidade, Pedro procurava uma maneira de terminar a relação sem grandes problemas. Não suportava mais aquelas festas, onde o álcool corria desenfreado pelas gargantas, entorpecendo os sentidos e a razão. Nem as conversas sem nexo dos jovens amigos e companheiros de festas de Cristina.
Olhou o relógio. Dezasseis horas. O advogado devia estar a chegar.
Detestava que se atrasasse e parecia que ele fazia de propósito. Não fora Ricardo Araújo, um excelente advogado e um amigo desde o primeiro dia que assumiu os negócios e já o teria dispensado e contratado outro. Mas Ricardo era muito mais que um advogado. Era quase um irmão.
Ouviu-se uma pancada na porta. Pedro voltou-se a tempo de ver  assomar a cabeça da sua secretária que anunciava:
-O doutor Araújo.
- Boa tarde, – disse este entrando, enquanto Rita fechava a porta nas suas costas. - Desculpa o atraso, mas a culpa é do trânsito infernal, que atravanca esta cidade.
- Boa tarde, - respondeu Pedro aproximando-se de mão estendida. – Tens sempre a mesma desculpa. De vez em quando podias ser mais criativo.
- E que culpa tenho eu que ninguém resolva o problema do trânsito na cidade? Além disso, pagas-me para cuidar dos teus interesses. Se queres criatividade temos que rever o contrato, - disse rindo.
Ricardo Araújo, não era tão alto quanto o empresário, e apesar de não ter ainda quarenta anos estava já quase totalmente calvo. A sua pele tinha um tom claro, os olhos inteligentes e vivos, eram de um azul intenso, e tinha um sorriso fácil, que contrastava com o semblante sério do cliente e amigo.
- Decididamente não tens emenda. Não sei com a tua mulher te atura.
-Ela sabe que nem com uma candeia encontrava melhor. E a propósito, ela disse-me para te dizer que contamos contigo na nossa festa no sábado. 
- Que festa?- Perguntou surpreendido.
- Mau. Não me digas que não te falei, na festa do nosso aniversário de casamento.
-Que me lembre, não. 
- Então é no próximo sábado à noite. No hotel Tivoli. Nada de muita gente, apenas os melhores amigos. Suponho que vais com a Cristina, ou atualmente já é outra?
- É obrigatório ir acompanhado?
-Claro que não.
- Vou sozinho. Agora vamos trabalhar?


21 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Quem o irá conquistar!?...bj

Edumanes disse...

Onde há muito dinheiro mulheres não faltam. Talvez por isso Pedro não se preocupa em procurá-las, porque elas vão ter com ele onde e quando ele quiser.

Tenha uma boa noite amiga Elvira.
Um abraço.

PS:- Eu li foi Casamento por Procuração. E não Casamento por Conveniência!
Está esclarecido.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Uma história cujo início estou a adorar.
Vamos em frente.
Beijinhos
Ailime

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Uma história cujo início estou a adorar.
Vamos em frente.
Beijinhos
Ailime

✿ chica disse...

Hmmmm...acompanhando e imaginando quanto virá Por ai... bjs chica

Cidália Ferreira disse...

Um homem azedo e fechado. Será que vai desabrochar? Lool

Beijinhos Boa noite.

Tais Luso disse...

Elvira, fiquei pasma com uma novidade, não é tão recente, tem alguns anos: exitem 'sites' especializados em dizer ao parceiro, por e-mail, que está pulando fora da relação, que o relacionamento chegou ao seu fim!! Sabias disso?
Foi criado nos Estados Unidos, justamente para esses rolos, quando um parceiro não sabe o que fazer para cair fora!!! Pode??? Que horror.
Lembrei agora, lendo esse texto que promete...
Beijo!

Pedro Coimbra disse...

Prevê-se um encontro agradável com alguém ...
Abraço

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a gostar deste inicio.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Larissa Santos disse...

Eu acho que esta frieza dele tem os dias contados. :)) Vou gostar de acompanhar :))

Hoje:- Amor eterno: O meu alimento.

Bjos
Votos de uma óptima Quarta-Feira

Gaja Maria disse...

Cheira-me a história de amor :))

Cantinho da Gaiata disse...

Mau, mau Maria!
Onde há dinheiro há mulheres, mas nem todas são merecedoras, vamos ver se há alguma que lhe conquiste o coração.
Bjs

Meu Velho Baú disse...

Vamos esperar por novos capítulos....
O Pedro merece uma companheira com verdadeiros sentimentos :))

Rui disse...

Para já, um bom começo, que promete ! :)
Também muitos nomes para se saber quem será quem ! :)

Abraço, Elvira :)

António Querido disse...

Um homem com dinheiro é sempre mais difícil acreditar numa mulher, porque será? Eu sei mas não digo.

O meu abraço.

Ontem é só Memória disse...

Estou a adorar, venha mais!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Tintinaine disse...

All Abord (como diziam na Eurovisão), vamos partir numa nova viagem!
Eu estou pronto para todo o tipo de emoções.

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
OLHA EU AQUI.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Lucia Silva disse...

Acompanhando e adorando...
Beijos!

aluap Al disse...

Vamos ver se desta vez o meu PC me deixa acompanhar esta história do princípio ao fim, pois tem andado lerdo, por tal tenho estado ausente.
Abraço.