18.5.18

RENASCER - XLII








Tal como da última vez que ali se encontraram, ele sentou-se no sofá, ela no cadeirão em frente.
-Vou contar-te tudo desde o início para que entendas a minha atitude até agora, começou ele.
E então contou tudo o que acontecera nos últimos meses em África desde que acordou do estado de inconsciência em que se encontrava e lhe foi dada a carteira de Julião como sendo sua. Da sua ida para Luanda e da posterior viagem para o hospital da Marinha.
-Deves compreender que naquela altura, sem qualquer memória de mim, aceitei que era o Julião, e que aquela fotografia de mulher grávida era a fotografia da minha mulher. Levava os dias olhando a foto, procurando algum traço que me levasse a reconhecê-la, mas nada acontecia e então comecei a duvidar.
Depois falou-lhe do encontro com Luísa, no aeroporto, do internamento em Lisboa, e das visitas que a jovem lhe fazia, apoiando-o e dando-lhe forças para enfrentar aqueles dias completamente vazios de toda e qualquer lembrança, e cheios de preocupação pela delicada cirurgia que o esperava.
Contou como tinham descoberto quem era, mas de como ele continuava tão desmemoriado que nem a própria mãe reconheceu.
- Deves compreender que em toda essa fase, para mim não existias, mas a Luísa sim, estava sempre lá, e um grande laço de amizade foi-se criando entre nós. A recuperação da minha memória aconteceu aqui, como sabes. Suponho que ao ver a ponte, a lembrança da tragédia em que a Cacilda quase morreu, foi tão forte que rasgou o véu, onde as minhas memórias estavam presas. O impacto foi tão forte, que fiquei de novo inconsciente e aí apareceste tu. Mas ao recuperar a memória, lembrei-me porque tinha a carteira do Julião na minha posse.
E voltando atrás no tempo, Carlos narrou como se comprometeu com aquela promessa ao Julião, e como entendeu que se Deus lhe tinha conservado a vida, era para que ele a cumprisse. 
- Não eras só tu que pensavas em mim. Tu eras a companheira que eu queria no meu futuro, e se nunca to disse antes, foi porque sempre temi morrer na guerra, e pensei que era melhor esperar até acabar a tropa. Mas o destino pregou-me uma partida, e mesmo com o coração ferido, estava disposto a casar com a Luísa, e ser um pai para a sua filha. No dia em que aqui nesta sala, me declaraste o teu amor, fiquei arrasado. Mas nunca me passou pela cabeça, não cumprir a promessa. Mexia com a minha fé e o meu código de honra, entendes?


17 comentários:

Tintinaine disse...

Hoje, sou o primeiro a comentar?
Quer dizer que o resto está tudo a dormir. Pois olhem que já é tarde!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está a ficar interessante.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
Será que Emília vai entender ??
Temos mesmo que aguardar para saber a decisão .
JAFR

✿ chica disse...

Ele abriu o coração, despejou toda a verdade! Vejamos! Tá lindo e ben cotado! bjs, chica

António Querido disse...

Bom dia! Não estive a dormir mas sim na rega, amigo "Tintinaine"!

Gostei da sinceridade do meu filho da escola, com a verdade vencerá e será respeitado!

BOM FIM DE SEMANA.

Larissa Santos disse...

Isso...Uma conversa saudável faz sempre bem... Lindo. :))

Hoje:- Onde há vontade há um caminho.

Bjos
Votos de uma óptima Sexta - Feira.

Os olhares da Gracinha! disse...

Abriu o seu coração!
bj e gosto

Anete disse...


A reação da Luísa parece que será doce e compreensiva... O importante é que haja sinceridade para terem um bom companheirismo...
Vamos que vamos com o conto... No final dará tudo certo... O amor tem que ser firme!...
Beijinhos

Manu disse...

Uma conversa sincera que decerto terá um bom desfecho.

Bom fim de semana

Abraço Elvira

Cidália Ferreira disse...

Penso que Emília vai entender e a coisa vai ajeitar-se. Loool Amei!

Especial:- Quero a rosa, e teu afago no meu coração. { Poetizando e Encantando}
.
Beijo e um excelente fim de semana.

Edumanes disse...

Será que Emília entendeu mesmo? Carlos foi sincero em dizer-lhe a verdade. A ver vamos se ela não tem uma pontinha de ciumes de Luísa?

Tenha uma boa tarde amiga Elvira.
Um abraço.

PAULO TAMBURRO. disse...


ELVIRA,
cheguei até aqui através do excepcional blog da TAÍS LUSO,e estou convidando você para conhecer os meus blogues, no HUMOR EM TEXTO especificamente estamos esta semana postando a crônica "NOTICIÁRIO NECROLÓGICO" e já estou SEGUINDO VOCÊ e voltarei depois para ler detalhadamente seu blog.
Um abração carioca.

Ontem é só Memória disse...

Estou ansiosa para saber a reação da Emília!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Lucia Silva disse...

Diálogo sempre necessário para esclarecer e dar novos rumos à vida.
Beijos carinhosos!

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Gostei muito da forma como Carlos se expressou sobre os acontecimentos passados, com Emília.
Cada vez mais apaixonante esta história.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Gostei muito da forma como Carlos se expressou sobre os acontecimentos passados, com Emília.
Cada vez mais apaixonante esta história.

Berço do Mundo disse...

Até eu fiquei nervosa, como a mãe da Emília. Mas tudo se encaminha para um final feliz, parece-me.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...