14.5.18

RENASCER - XXXVI





Naquela noite, no silêncio do seu quarto, Carlos pensava como a sua vida mudara no espaço de vinte e quatro horas. Na véspera ainda se sentia refém da promessa feita a Julião, poucas horas antes da sua morte. Agora era um homem livre, para decidir o rumo da sua vida. E sentia-se leve e feliz, como se durante longo tempo carregasse um peso de que enfim, se tinha livrado.
A sua irmã Cacilda sempre tivera razão. Ele não devia ter-se atormentado, nem ter tomado decisões, baseado apenas naquela promessa, por muito sagrada que a considerasse. Não dependia dele cumpri-la, mas da vontade de Luísa, e a primeira coisa a fazer era ter falado com ela. Mas com a sua mania de planear tudo ao pormenor, como ia propor-lhe casamento antes, na situação de morto-vivo em que se encontrava? Agora sabia que Luísa, o teria rejeitado de qualquer modo.
Resolvido o problema, reconhecia que pese a admiração que sentia pela jovem viúva, nunca na sua presença o seu coração se acelerara, como naquela tarde em que teve Emília nos braços. 
Agora que tudo estava esclarecido, o seu problema era outro. Como conversar com a jovem? Será que ela viria para a festa de Nossa Senhora do Socorro em Agosto? Se assim fosse, contar-lhe-ia tudo e decidiriam juntos o futuro. Mas e se só viesse pelo Natal? Faltava ainda tanto tempo!
É claro que ele poderia perguntar o endereço, à irmã. Sabia que elas se escreviam. Mas teria que dar uma explicação e não queria fazê-lo.
“ Parece que um gato, andou a brincar com o novelo do meu destino. Nem bem consigo livrar-me de uma situação e já estou emaranhado noutra”, - pensou.
Uma coisa estava decidida. Ficasse ou não com o emprego de Guarda-florestal, ia continuar em Lisboa.  Era aí que ele queria viver. Haveria outro emprego à sua espera. Peso da Régua, era uma vila muito bonita, a sua terra natal, o local onde nascera e crescera. Um local que traria sempre no coração. Mas não passava de uma vila pequena, sem grandes oportunidades de vida, onde a maioria se via obrigada a emigrar em busca de um futuro melhor. E ele não ia emigrar, isso era ponto assente. Lembrava-se bem do que lhe dissera o pai de Emília. E não queria aquela vida para ele. Para sofrimento chegara-lhe a guerra.
Sentia-se cansado. Fora um dia longo. Levantara-se de madrugada, depois tivera uma viagem de mais de cinco horas de comboio, o calor, a conversa com a Luísa, e finalmente o jantar e o combinar do batizado. 
Tinham decidido ir no dia seguinte à Igreja, falar com o padre e marcar a data do batizado, que seria no segundo domingo de Agosto.



E hoje foi um dia especial. estive em Lisboa no lançamento de uma antologia de poesia, onde participo com dois poemas,
Mostro aqui o livro bem com a primeira parte dos poemas, pois os dois ocupam quatro páginas.








25 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Elvirinhamiga

Hoje é só para te dar muitos parabéns!

Muitos qjs deste teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão

Pedro Coimbra disse...

Os meus parabéns.
Que o livro seja um sucesso.
Boa semana

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
vai haver com certeza forma de reencontrar Emília , já que depois de tantas contrariedades ´tem direito a ser feliz .
o livro só pode ter muito sucesso !!
JAFR

Cantinho da Gaiata disse...

Senti tristeza pelo Carlos, vamos ver o que a amiga consegue fazer para o rapaz ser feliz.
Parabéns para a amiga por estes dois poemas gostei muito, desejo que o livro tenha muito sucesso.
BJ e boa semana.

✿ chica disse...

Carlos cansou, está esgotado, mas agora deve começar a clarear e desenrolar sua vida.


Parabéns pelo novo livro! beijos, ótima semana! chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muitos parabéns e sucesso para o livro minha amiga.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

O meu pensamento viaja disse...

Boa semana, Elvira. Bj

Gil António disse...

Acompanhando a estória.
.
* Meu amor ... o que amo em ti *
.
Feliz início de semana.

noname disse...

Que Emília venha para a festa, e sem namorado, que perdidas as esperanças bem pode ter arranjado um, do dia para a noite. Que venha à festa e a festa seja grande e feliz.
Num mundo de tantos horrores, são precisas histórias felizes, mesmo que saibamos, que não é assim tão fácil.

Bom dia, Elvira - e parabéns

Edumanes disse...

Carlos está livre para Emília. E se ela lá por França arranjar um namorado.
Quem vai ficar a chochar no dedo, perdidamente, será ele?

Tenha um bom dia amiga Elvira, e nos poemas muito sucesso.
Um abraço.

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde!
Complicada "teia"! Gostei!!

Parabéns pelos seus poemas! Lindos.
Beijo e uma excelente semana

Meu Velho Baú disse...

Parabéns pela excelente poesia.
Que o livro seja um sucesso.
Beijinhos

Emília Pinto disse...

Estou para acompanhar a história, mas, hoje, tem se ser para te dar os parabéns, Elvira .s impressionants, querida amiga e fico muito, muito feliz por ti. O livro vai ser um sucesso, vais ver! Um beijinho e muita saúde.
Emilia

Ana Freire disse...

Muitos parabéns, Elvira!
Que o livro seja um sucesso! Gostei imenso das suas poesias, Elvira!
Prosa e poesia... a Elvira, vai muitíssimo bem, em ambas as vertentes!
Qualquer dia, deve pensar em publicar os seus contos, que se lêem sempre tão bem!... E têm sempre enredos tão interessantes, que sabem cativar o leitores...
E hoje... aqui está, mais um capítulo que assim o prova...
Beijinhos! Feliz semana!
Ana

Ontem é só Memória disse...

Muitos parabéns por esse lançamento!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Ana disse...

Parabéns Elvira! A boa escrita merece ser sempre divulgada.
Abraço

Rui disse...

Ah ! :))... Finalmente um caminho aberto para o Carlos e Emília !!!
Porque será que nós gostamos sempre mais de finais felizes, tal como se fizéssemos parte da estória ?!... Tal como se fossemos o Carlos e a Emília ?... :))
E tudo fica bem quando acaba bem ! ... Isto, claro se o desfecho vier a ser o nos parece vir a ser ! ... mas a escritora é que sabe o que nos estará reservado, independentemente dos nossos gostos ! :)

... E parabéns , Elvira, pela Antologia e pela publicação dos seus dois poemas ! :)

Abraço

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Parabéns pelos seus poemas que são magníficos.
Muito sucesso para o livro.
Sobre a história vamos ver como Carlos se vai decidir!
Beijinhos,
Ailime

Manu disse...

Passando para acompanhar a história, mas hoje quero deixar votos de muito sucesso para o seu livro.

Abraço Elvira

Berço do Mundo disse...

Parabéns pelos poemas, amiga Elvira. Ainda se torna uma escritora famosa.

jorjorbeth disse...

Beautiful image the building You chose well for the theme.
Your blog is very nice,Thanks for sharing good blog.
คาสิโนออนไลน์

Anete disse...

Lendo capítulos por aqui e me atualizando...
Dias muito preenchidos tenho vivido, com a família e compromissos diversos...
Parabéns pelos poemas, querida Elvira!!!
Vamos adiante, escrever e compartilhar é um ato de amor e de sensibilidade...
Bjs

Gaja Maria disse...

Parabéns pelos poemas Elvira.
Abraço

Lucia Silva disse...

Adorei a sensação de liberdade exposta nesse capítulo e parabéns pelos belíssimos poemas, adorei!
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...