22.7.18

O DIREITO À VERDADE - XLIII








Quando a soltou, perguntou:
-De que tens medo, querida?
- De que te canses da minha inexperiência, de não estar à altura das tuas expetativas.  Foste o primeiro homem com quem saí, o primeiro que me beijou.
-Vou sentir-me muito feliz e muito honrado por te iniciar na arte de amar. E desde este momento, prometo amar-te até ao último dia da minha vida. Agora querida vai arrumar as tuas coisas, e vamos embora. Almoçamos pelo caminho. Os nossos pais estão ansiosos e os dias já são bem mais pequenos.
-Mas não posso ir contigo. Não hoje. Estava a meio da limpeza da casa, tenho a máquina da roupa a acabar o programa, preciso ir estendê-la.
- Olho à minha volta e não vejo que a casa esteja a necessitar de qualquer limpeza urgente. Vê se a máquina já acabou de lavar. Estendes a roupa, e vamos almoçar. Quando voltarmos fazes a mala, enquanto eu apanho a roupa e se ainda não estiver seca, estendemo-la nas cadeiras para acabar de secar.
-És sempre assim decidido?
-Contigo sim.
-Não tenho alternativa?
- Não. A menos que me convides a passar a noite contigo, disse exibindo um sorriso brincalhão
Sentindo que corava da cabeça aos pés escapou-se para a cozinha. Abriu a máquina e retirou a roupa para um alguidar. Depois levou-o para a varanda e iniciou a tarefa de estendê-la.
Pouco depois saíam para almoçar num café restaurante ali mesmo na rua.
- Não me posso ir embora sem falar com o tio Alberto. Vou telefonar-lhe enquanto esperamos o almoço.
-Diz-lhe, que o pai o convida, a ir passar uns dias lá na quinta. E que ficamos à sua espera.
Enquanto a jovem comunicava com o tio, Cláudio ligou para o pai, e deu-lhe conta de que já se tinha entendido com a jovem e partiriam a meio da tarde, pelo que iriam chegar mais tarde do que inicialmente tinha previsto.
Almoçaram Bacalhau à Brás, acompanhado por um tinto, Casa de Santar, Reserva 2012.
- Casa de Santar? Não são vossos vizinhos? -Perguntou a jovem.
- Sim, mas eles são os maiores produtores da zona. A quinta é enorme e muito antiga. Tens que ir vê-la. Tem um solar antigo e uns jardins fantásticos. Junto deles somos uns grãos de areia. Mas desde que o pai comprou a quinta evoluímos muito. E já compramos mais alguns terrenos onde pretendo produzir a Trincadeira, uma terceira casta de uvas. Até agora apenas temos duas. Alfrocheiro e Touriga Nacional. Um dia, a Quinta dos Milagres ainda vai ser tão grande como a Casa de Santar.
- Acredito, vê-se pelo teu entusiasmo que amas o teu trabalho.
- É verdade. Durante anos foi o meu único amor, a minha razão de viver. Agora, embora continue a gostar do que faço, já não é a coisa mais importante da minha vida, porque nela já há um amor maior, -disse estendendo a sua mão e acariciando a dela que repousava sobre a mesa.
Emocionada Helena não soube que responder.


15 comentários:

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar uma boa semana.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Cidália Ferreira disse...

Pudera, nem eu, com uma declaração destas saberia o que responder. Está tudo muito bem encaminhado...Oxalá não hajam reviravoltas!:) Amei. Bom dia! :)

Beijo e uma excelente semana!

Tintinaine disse...

Adivinho (vinho?) que o fim está mesmo à vista. Espero que o casamento seja de arromba e que o coração da mãe do noivo aguente. Depois ... venham as crianças para alegrar a vida daqueles velhotes.
Boa semana!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

A história está a compor-se.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
Das incertezas que existiam , uma grande parte está esclarecido . esperemos que os pombinhos não tenham mais contrariedades..
JAFR

Rejane Tazza disse...

Tudo bem encaminhado,ainda bem! Bjs praianos,chica

Manu disse...

Momentos apaixonantes, gostei de ler!
Espero que continue assim.

Boa semana
Abraço Elvira

Larissa Santos disse...

Até aqui tudo muito bom:)) Gosto de os ver apaixonados :))

Bjos
Votos de uma óptima Segunda-Feira

jorge esteves disse...

Cá vou, de um ou outro modo, procurando acompanhar o ritmo da história. Aguardando que o desenrolar das peripécias escondam as pontas finais do guião. Embora seja uma caracterização habitual, o cuidado na criação do cenário, note-se bem - e em pormenor - neste enredo. Muito interessante, este aspecto.
Abraço, amiga Elvira
jorge

www.tintapermanente.pt

Edumanes disse...

Quanto às suas decisões continuam de acordo um com o outro. Será que até final vai haver alguma reviravolta desagradável?

Tenha um bom dia amiga Elvira.
Um abraço.

Anete disse...


O amor 💗 está no ar!...
Vamos que vamos, até o dia 30 muitas emoções apaixonadas teremos...
Beijo

Os olhares da Gracinha! disse...

E por vezes um "amor maior" supera tudo!!!bj

Cantinho da Gaiata disse...

A estória cada vez mais interessante e a chegar ao fim, tão bom que se tenham entendido, foi mais fácil do que eu estava a prever.
Beijinho grande e boa semana.

Gaja Maria disse...

Que bom, estõ a entender-se :)

Lucia Silva disse...

Sei que já publicastes o capítulo final, mas estou lendo o que não tinha lido para acompanhar sem perder nenhum fato dessa história maravilhosa.
Beijos carinhosos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...