20.3.17

CASAMENTO POR PROCURAÇÃO - PARTE XXIV


Nos primeiros dias de Janeiro, a tia Délia sofreu um  ataque cardíaco, que foi a machadada final na sua frágil saúde. Faleceu no mesmo dia.
Sofia, desdobrou-se no apoio ao marido e ao tio, que estava inconsolável. O restaurante foi fechado durante uns dias, e quando reabriu, Sofia que continuava desempregada começou por dar uma ajuda, já que o tio não saía de casa e definhava dia a dia, mas acabou por assumir toda a parte de gerência do mesmo. Um mês depois, o tio não suportando mais a ausência da mulher que amara, partiu também. Foi mais um rude golpe para Quim. E mais uma vez a mulher esteve a seu lado como um pilar de apoio.
Foi nessa altura, depois do funeral do tio, depois da demonstração de um momento de fraqueza e vulnerabilidade de Quim, que eles se tornaram verdadeiramente um casal. Foi amor? Ela não sabia. Da parte dela, sim, conhecia os seus sentimentos, há muito tempo estava apaixonada pelo marido. Da parte dele, não sabia. Talvez não passasse da necessidade de mitigar a dor da perda daqueles que amara como pais. Talvez fosse um desejo instintivo, próprio de homem, por uma mulher jovem e bonita, que afinal até era sua esposa.
Ela não sabia. E para ser verdadeira consigo mesmo, nem lhe importava. Tinha vinte anos, viviam na mesma casa há mais de quatro meses. Certo que ele lhe tinha confessado amar outra mulher. Que lhe tinha pedido paciência. Mas ela reconhecia que não era muito paciente. Talvez mais tarde se arrependesse, mas naquele momento entregava-se de corpo e alma compensando com amor, a inexperiência que recorria do facto de ser virgem.
Na manhã seguinte, quando acordou, Quim já se tinha levantado. Sentiu-se um pouco desiludida. Tinha sido a primeira noite que dormira com o marido, teria gostado de acordar com ele a seu lado. Encontrou-o na cozinha, e saudou-o envergonhada pela recordação da noite anterior.
-Bom dia.
- Bom dia, Sofia. Preparei-te o pequeno-almoço,-  disse colocando-lhe a bandeja na mesa. E acrescentou: - Precisamos conversar sobre o que aconteceu ontem à noite.
Estava muito sério. Ela sentiu-se gelar. Primeiro acordava sozinha. Depois aquele ar sério do marido. Pensou que ele estava arrependido. Sentiu que alguma coisa se rompia dentro dela. Ia rejeitá-la.
Afinal, casara com ela por causa dos tios, e agora que eles tinham morrido, não havia necessidade de continuar aquela farsa. Pedia o divórcio, e podia enfim, voltar para a sua "boneca". E ela feita estúpida, entregara-se de corpo e alma, sonhando com o seu amor. 
Incapaz de conter a dor que sentia, abriu as comportas do rio interior em que a sua alma naufragava e começou a chorar.




E como hoje se festeja o dia internacional da Felicidade, desejo-vos que a primavera que chegou esta manhã, (para os amigos de além-mar, quem chegou foi o outono). Que ambos venham prenhes de PAZ e FELICIDADE para todos nós.

21 comentários:

✿ chica disse...

Coitada,não aguentou.Tem mesmo que chorar, colocar pra fora tudo que nela trancado está! Vamos ver! Obrigadão pelos votos e tudo de bom pra ti também! bjs, chica

Beatriz Pin disse...

Antes que nada, agradecer a súa visita ao meu blog e também os seus desexos de melloría para Noa que xa está boíña de todo. Un capítulo ben artellado que nos deixa en suspense sobre o que pasará a partir de agora. A sua imaxinación non ten límite en canto a historias de amor e desamor pero que case sempre acaban ben. Estarei atenta ó que continúe ainda que son algo desdeixada para o seguimento de blogs xa que lle dedico pouco tempo a estar diante do ordenador. Teño horta que cultivar, e moitas cousas que me ocupan o día a día. So, cando descanso de tanta actividade, agradezo sentarme e votar unha ollada ós blogs, Facebook, correo.... Unha grande aperta! Feliz primavera!

Prata da casa disse...

Que lhe irá dizer o Quim? Temos de esperar para ver.
Bjn
Márcia

Rui disse...

Não vejo razões para que se venha a verificar o início de uma ruptura e muito menos que esta se venha a verificar! ... Antes pelo contrário, uma conversa que irá definir as melhores condições para uma consumação continuada de uma normal vivência como casal perfeito !
Afinal, a noite anterior foi o rompimento da última barreira que tal poderia fazer pensar !
Aguardemos,... mas é a minha convicção ! :)

Abraço, Elvira !

Edumanes disse...

Tenho que esperar pelo próximo capítulo para ficar sabendo qual é o assunto, da conversa. Segundo disse Quim, para Sofia, "temos de conversar". Não me importo de esperar, não tenho pressa de chegar ao fim!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Cadinho RoCo disse...

Boa primavera, envolvente narrativa de fato instigante.
Cadinho RoCo

Gaja Maria disse...

Oh! Mal posso esperar pelo próximo capítulo.
Abraço

Elisa Bernardo disse...

Passei para acompanhar mais um bocadinho e lhe mandar um beijinho grande e desejar uma boa semana querida Elvira

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Pelo que li nos capítulos anteriores, Quim é um homem de princípios e de valores e Sofia acabou se apaixonando por ele. Num momento de fragilidade do mesmo, decorrente da perda dos tios, ela acabou se entregando ao marido. A insegurança dela parece razoável, já que, além de estar assombrada pela figura da dita "boneca", Quim não acordou do lado dela e ainda a chama para uma conversa sobre a primeira noite do casal. Não creio que a conversa seja no sentido de rejeitar a esposa, pois isto não se adequaria ao bom caráter de Quim. Penso que ele também já está envolvido com Sofia e que apenas teme não ser correspondido, já que a relação dos dois estava na base da amizade e do companheirismo.
Aguardemos!
O conto/novela está excelente.

Feliz Primavera por aí!

Ótima semana!

Beijo.

Pedro Coimbra disse...

E pressinto que ela chora sem razão...
Um abraço

Érika Oliveira disse...

Que emocionante! Estou acompanhando.

Tintinaine disse...

Coitadita da Sofia! Tanto tempo a guardar os três vinténs e nem sequer um elogio mereceu.
Ao acordar, depois de uma noite de amor, costuma perguntar-se:
- Gostaste?
- Foi bom?
- Não vejo a hora de repetir!
Mas com o Quim é só conversa séria e lágrimas por causa da rival que ela já vê em todos os cantos da casa. Se estivesse na sua aldeia fazia-lhe já um bruxedo.

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanha a histórias.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está interessante e quando a duvida se instala no espírito de uma mulher é terrível elas próprias ficam sem descanso.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

O meu pensamento viaja disse...

Seguindo a inttiga que se adensa...bj

Socorro Melo disse...

Olá, Elvira!

Estou acompanhando a história, com grande interesse. Não tenho feito comentários em virtude de estar passando por um momento difícil que alterou minha rotina e tem me deixado tensa e ansiosa, mas, voltarei, se Deus quiser a me envolver mais quanto tudo passar.

Grande abraço
Socorro Melo

Fernanda Maria disse...

Penso que a Sofia vai desabar, ficar aliviada e o marido não a vai decepcionar. Vamos ver :)

beijinho

Cantinho da Gaiata disse...

Que será que ele lhe vai dizer, espero que não seja nada para a desiludir, coitada não aguenta.
Bj Elvira.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia Elvira!
Um choro por certo precipitado, pois não?
Vamos ver o que nos aguarda, beijinhos.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Dizem por aí que o apressado come cru. Será que não seria melhor ela, ao invés de chorar, esperar pela conversa e, com certeza, depois sorrir? Esperemos os acontecimentos.

Abraços,

Furtado

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Pobre Sofia, tanto sofrimento...!
O que se seguirá?
Beiinhos,
Ailime