2.3.17

CASAMENTO POR PROCURAÇÃO - PARTE II



 




Dirigiu-se à casa de banho. A mãe, arrumou o quarto, abriu o armário e tirou o vestido de noiva que colocou em cima da cama. Depois saiu.
Na sala as irmãs, cunhadas e sobrinhos esperavam. Entrou no quarto de casal, onde o marido andava às voltas com o nó da gravata, e procurou no armário o fato que ia levar ao casamento da filha. Estava muito nervosa. A falar verdade não lhe agradava nada aquele casamento arranjado entre o marido e o pai do noivo. Não se conformava. Nem percebia porque a filha tinha aceitado aquele disparate.  
Aterrorizava-lhe a ideia de que o casamento ia levar a sua menina para o estrangeiro, sem saber quando voltaria a vê-la. Já tinha brigado com o marido, mas ele dizia-lhe, que apenas fizera uma proposta à filha, que ela aceitara. Não a forçara a aceitar. Por isso se era vontade dela, eles não se podiam recriminar.
Já no quarto, depois do duche tomado, Sofia retirou da comoda um conjunto de peças íntimas, branco e um saiote comprido engomado, que serviria para armar a saia do longo vestido de noiva, e deu início à tarefa de se vestir.
Sabia que a mãe iria ralhar com ela, fazia-o sempre que ela não vestia combinação, mas era uma peça com que embirrava, e que pensava nunca mais usar a partir do seu casamento.
Estava feliz. Não porque estivesse apaixonada, ela nunca sentira tal sentimento por nenhum homem, apesar de sonhar com o amor.
Qual é a mulher que não sonha com o amor? A mulher sonha com ele, antes mesmo de começar a pensar em homens. Só muito mais tarde, quando se enamora, dá ao sonho um rosto, põe um nome ao  amor. Mas ela mal conhecia o futuro marido. Lembrava-se dele, apesar de ainda não ter dez anos, quando ele com dezasseis, fora visitar uns tios que tinham emigrado há muitos anos para a França. E por lá ficou com eles. Afinal a visita, não passara de um estratagema, para fugir à guerra do Ultramar. Com aquela idade não foi muito difícil, uns anos mais tarde, seria impossível. Teria que recorrer à fuga clandestina.

22 comentários:

Socorro Melo disse...



Sofia está muito tranquila para a situação, por que será? :D

✿ chica disse...

Nem imagino como possa estar feliz com um casamento arranjado! Vamos ver como acontecem as coisas por lá! bjs, chica

rendadebilros disse...

Para a nossa maneira de pensar, é muito estranho estar tão entusiasmada esta noiva. Mas quem sabe? Talvez o coração também tenha razões incompreensíveis.
( O Galo, aqui em algumas terras da Guarda, simboliza todos os males que acontecem durante o ano anterior e, queimando o Galo, é como se houvesse um recomeço, queima-se o Galo e espera-se que todo o mal desapareça. A tradição das aldeias foi adoptado nos últimos anos pela cidade e assim se concentram todos os festejos carnavalescos com a participação de todas as freguesias.)Beijinhos.

Odete Ferreira disse...

Bem narrado. Não me espanta a atitude da noiva. Talvez seja uma forma de sair de um local "estreito" para a sua visão.
Bj

Anete disse...

Acompanhando a nova novela... Um amor a ser conquistado, descoberto... (?!)
Vamos adiante... Passo a passo conhecendo a sua criatividade de escritora...

Bjs

Edumanes disse...

Para o longo caminho a percorrer,
Sofia se esttá preparando para a corrida
para que do casamento não se vá arrepender
que a felicidade sempre a acompanhe em sua vida!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Diana Fonseca disse...

Acho que não conseguia casar sem ser por amor.
Mas, não julgo ninguém.

Tintinaine disse...

Ora cá estou eu, à espera dos acontecimentos. Para já ainda não se adivinha a malha do enredo, por isso não adianto prognósticos. Deixem desenrolar o novelo!

Rui disse...

Muito estranho, nos dias de hoje, falar-se em "casamento por procuração" ! rsrs
Claro que é sempre bom recordar hábitos e maneiras de pensar do passado e para os mais novos verem que antigamente era uma prática corrente !

Hoje em dia, com os meios informáticos, postos à nossa disposição, sempre seria possível um namoro à distância, mas com o conhecimento do noivo e da noiva através de conversas por vídeo, mas já não seria tão natural a ausência de um ou de outro no próprio acto de casamento, a não ser por motivos especialíssimos e justificáveis !

Bom ! ... Mas deixemos isso e vamos acompanhar o conto ! :)
Para já, sem muito que dizer ! Aguardemos os próximos capítulos ! :)
A Sofia aceitou casar com um indivíduo que mal conhece, apenas o tendo visto antes de ter 10 anos e casamento esse combinado entre o seu pai e o pai da noiva ! ...
Não me apercebi bem se ela se encontra entusiasmada com a ideia, ou se lhe é algo indiferente ! (?) ... Aguardemos ! :)

Abraço, Elvira ! :)

Ana S. disse...

Talvez por não estar apaixonada, fosse mais fácil lidar com o stress tipico da cerimonia porque não passava de mais uma festa.
Abraço

António Querido disse...

Casamento por procuração, sem se conhecerem pessoalmente é como jogar no Euromilhões e esperar!

Abraço.

Prata da casa disse...

Parece um pouco inconsciente do passo que vai dar. Será infantil ou imatura?
Bjn
Márcia

Cantinho da Gaiata disse...

Bom... muito cedo para falar!
Vou seguindo a história como a amiga Elvira bem sabe nos encantar.
Beijinhos

Mar Arável disse...

Há comboios que não param nos apeadeiros

Pedro Coimbra disse...

Com assinaláveis diferenças em relação à história dos meus tios.
Que se amavam muito.
Um abraço, bfds

Rosemildo Sales Furtado disse...

Casar por procuração com um homem que quase não conhece, é preciso muita coragem. Vamos aguardar os acontecimentos.

Abraços,

Furtado

Fernanda Maria disse...

A Sofia sonha com o amor e aceitou casar sem amor, bem ,vamos ver o que acontece (:

beijinho Elvira

Tais Luso disse...

Muito estranho, vão sonhos, vai uma vida... casamento por procuração, arranjos! Como você vê, há polêmica no campo... estamos meio indignados com tal casamento, mas vamos adiante, acompanhando a novela para ver no que vai dar!!
Beijo!!

Gaja Maria disse...

Porque será que vai casar com quem não ama, para fugir da terra, mudar de vida, fugir aos pais?

Smareis disse...

Um casamento assim requer sangue frio. É um contrato. Vamos ver adiante.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Que menina corajosa!
Um abraço amiga Elvira.

alegriadeviver.blogspot.com.br disse...

Casamento arranjado, nada agradável, nada despertar sensações de um amor intenso. Estou adorando... Indo pra terceira.

Abraços!