1.3.17

CASAMENTO POR PROCURAÇÃO - PARTE I





A década de sessenta chegava ao fim. Estávamos em Setembro, e o dia apresentava-se radioso.
Daqueles dias de sol, quando o calor ainda é forte, mas já não tem o ardor dos meses anteriores. Quando ao cheiro a maresia, se sobrepõe o cheiro das uvas maduras, e as idas à praia se tornam mais raras, na azáfama do regresso às aulas, e aos empregos na cidade. Nos campos fazem-se as colheitas do milho, feijão e batata, que mais tarde, acompanhados de um naco de carne, se transformarão em saborosas refeições. Nos lagares procede-se à limpeza e preparação dos mesmos, que na vinha a uva já espera para ser colhida.
Naquele dia, quando ela abriu os olhos, já o sol iluminava o quarto, num luminoso grito.
 “Acorda. Hoje é o teu dia, Um grande dia!”
O seu rosto iluminou-se num sorriso de saudação. Sorria para o sol, para a vida, para o passarinho que naquele momento veio poisar no parapeito da janela do seu quarto, encantando-a com o seu trinado.
Saltou da cama, e esticando os braços espreguiçou-se com prazer. Depois, foi até à janela, e abriu-a, deixando que o sol lhe beijasse o rosto moreno.
Inspirou profundamente, sentindo o cheiro dos goivos e frésias, existentes em quase todos os quintais da aldeia, e caminhos da aldeia, enquanto observava as galinhas que ciscavam no terreno em frente. Na casa ia uma grande azáfama. Escutou as vozes da mãe e das tias. Todas preocupadas com a cerimonia. Pareciam muito nervosas. Sorriu.
Ela sim, devia estar nervosa, e no entanto estava calma e relaxada. Como se o casamento que se realizava nesse dia não fosse o dela.
Nesse momento, a mãe entrou no quarto. Era uma mulher de estatura média, de figura roliça, cabelos e olhos castanhos, e cabelo apanhado num carrapito.
- Ainda nem tomaste banho. Já viste as horas?
A jovem sorriu:
- Não te preocupes, despacho-me rapidamente. E depois não é hábito, a noiva atrasar-se?




21 comentários:

Edumanes disse...

Casamento por procuração,
longe um do outro estão os noivos
mas, em ambos permanece a paixão
para se encontrarem estão desejosos!

O que eu mais lhes desejo, é de que nunca se arrependam!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Roaquim Rosa disse...

boas
como ainda está a começar , não há muito a dizer
ate amanhã
JAFR

Ana S. disse...

É hábito a noiva atrasar-se mas desde que não seja demais. lol
Abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

Primeiro ... a Elvira está linda nesse novo registo no perfil!!!
Quando estive em Angola ... conheci muita gente que casou por procuração!
bj

António Querido disse...

Portugal foi o país campeão nos casamentos por procuração, com a emigração e as saídas de militares para África, ninguém nos bateu, tenho a certeza!
Da Figueira vai o meu abraço.

✿ chica disse...

Vamos acompanhar e o tema parece empolgar! bjs, chica

AvoGi disse...

Casamento por procuração tão comum nessa época é que levou à separação de muitos casais.
Kis :=}

Prata da casa disse...

Ora vamos lá a ver como se vai desenrolar esta nova novela. Por enquanto ainda não deu para ter uma ideia. Fico a aguardar o desenrolar do enredo.
Bjn
Márcia

Angela Silva disse...

Ficou muito bom :*

http://a-cacheada.blogspot.com.br/

Tais Luso disse...

Agora sim acompanharei a história desde o começo!
Um beijo, Elvira!

Pedro Coimbra disse...

Esta é a história do meu tio Luís (já falecido), que estava em Angola, e da minha tia Nela.
Que casou por procuração.
E o "noivo" foi o irmão, o meu pai.
Um abraço

Isa Sá disse...

Vamos lá acompanhar mais uma história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Era muito usual os casamentos por procuração, felizmente que esses tempos já lá vão.
Um abraço e continuação de boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

Socorro Melo disse...


A história promete, vamos lá! :

Odete Ferreira disse...

Remontando a uma época de que tenho ainda muita memória.
Tenho uma cunhada que casou por procuração e resultou muito bem.
Cá estou para acompanhar mais uma novela (façamos a vontade à professora).
Bj 😊

Rosemildo Sales Furtado disse...

Pelo título, a história promete ser muito boa. A noiva já não se preocupa em se atrasar para o casamento. vamos acompanhar.

Abraços,

Furtado

Fernanda Maria disse...

Amiga Elvira,
Vou tentar seguir , pois o título e este início sugere uma boa história.

Beijinho

Smareis disse...

Andei um pouco ausente Elvira, por isso a demora em aparecer. Vou acompanhar essa história. Casamento por procuração é apenas uma negócio. Vamos ver como segue a história.
Beijos!

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Boa tarde querida Elvira!
Gostei do título, "Casamento por procuração" e já estou cá muito curiosa.
Grande beijo e grata por sua doce visita.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Elvira!
Mais um lindo conto vc inicia...
Saudade de passar por aqui... vou ler a série... Ainda que nem semrpe comente todas...
Estive de férias de verão e demorei a passar...
Saudade de estar aqui com vc estava...
Bjm muito fraterno

alegriadeviver.blogspot.com.br disse...

Boa noite Elvira,
Lendo a primeira parte, é de praxe no mundo inteiro: noiva nervosa e atraso na chegada da igreja.Pelo visto temos uma surpreendente historia de amor?? Indo para segunda parte.
Abraços!