6.3.17

CASAMENTO POR PROCURAÇÃO - PARTE VI




Saíram do aeroporto, e ele levou-a até ao carro.
- Aluguei um pequeno apartamento. As casas aqui são caras. Vivi com os meus tios, até ao mês passado. Mais do que tios, têm sido para mim uns pais. Queriam que ficássemos a viver com eles. A casa deles é grande. Mas calculei que não te sentisses à-vontade, afinal nem os conheces. De qualquer modo o apartamento é perto da casa deles, depois de descansares, vamos até lá para os conheceres.
Sofia não respondeu. Olhava pela janela a bela cidade, e as pessoas que circulavam nas ruas. Reparou essencialmente na maneira como estavam vestidas, e sentiu-se ridícula, no seu fato de saia e casaco, demasiado antiquado, para o que ela observava.
- Olha aqui é o restaurante dos tios. Por cima é a casa deles, e naquele prédio azul, lá à frente, fica o nosso apartamento, - informou Quim.
Chegaram pouco depois. Ele ajudou-a a descer, e carregou a mala.
Estavam em frente de um edifício de quatro pisos, pintado de azul.
Pegou-lhe no braço.
- Vem. O nosso apartamento é no primeiro andar. 
Subiram o lance de escadas e ele abriu a porta. Parecia à-vontade. Sofia pelo contrário estava acanhada. Só agora se dava conta da sua real situação. Estava numa terra estranha, com um homem que não conhecia, sem nenhum familiar a quem recorrer em caso de necessidade. Agora frente à realidade, perguntava-se se a ânsia de sair da aldeia, não a tinha feito fazer uma asneira das grandes. Entraram em casa.
Ele poisou a mala de viagem na entrada, e começou a levantar as persianas. A casa encheu-se de luz.
- Não fiques aí parada. Vem conhecer a casa. Aluguei-a assim já mobilada, pode não ser muito a teu gosto, mas é confortável. Nunca vivi sozinho. Tenho vivido sempre com os meus tios, e como viste a sua casa é bastante maior que esta. Como já te disse, eles queriam-nos lá, mas calculei que quisesses ter o teu cantinho.
“O meu cantinho? Não deveria ser o nosso cantinho?” – Interrogou-se mentalmente.

20 comentários:

AvoGi disse...

Bem, pelo menos preocupou-se em arranjar "um cantinho"...
Um lar...
Kis :=}

Pedro Coimbra disse...

As coisas começam com o pé esquerdo...
Boa semana

Roaquim Rosa disse...

bom dia
penso que esta ultima frase já nos vai por com a pulga atras da orelha.
como este episodio é pequenino vamos esperar para vêr.
até amanhã
JAFR

Isa Sá disse...

a passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Os olhares da Gracinha! disse...

Devia sentir um misto de emoções!!! Bj

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Uma interrogação mental muito a propósito.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

✿ chica disse...

Eu desconfiaria dessa insistente repetição quanto aos tios e sua vontade de tê-los por lá.... Gostando de ler! bjs, chica

Tintinaine disse...

A história avança em passo de caracol, Elvira. É para durar mais tempo, ou para nos fazer sofrer'

António Querido disse...

Na minha opinião, este casamento deve ser contado lentamente para sentir-mos a calma que é necessária para a fogueira começar a aquecer o tacho! A calma e os caldos de galinha, nunca fizeram mal a ninguém.
Com aquele abraço vou caminhando devagar.

Bell disse...

O cantinho teria que ser nosso ( é assim que tem que ser a mentalidade do casal).

bjokas=)

Edumanes disse...

Já estão no seu cantinho. Começando a vida de casados. Vão de vagar devagarinho. Para que serve ter pressa se é que o trabalho nunca acaba. Assim sejam os episódios não muito longos. Quem tiver pressa de chegar ao fim, que vá andando sem mim!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Smareis disse...

Viver em uma cidade desconhecida, com um cara estranho, é muita loucura.
Pelo desenrolar da história daqui a pouco ela já não vai estar mais sozinha nessa casa. Veremos nós próximos capítulos.
Uma bela e curiosa história.
Abração!

Fernanda Maria disse...

Algumas dúvidas na mente dela...
Espero que tudo corra bem.

beijinho

O Toque do coração

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Estou a gostar querida Elvira.
Até aqui ele me pareceu gentil e preocupado com ela, vamos ver daquei para frente, não é?
Um abraço e feliz dia.

Prata da casa disse...

Talvez, com esta expressão, ele tenha pensado no que ela gostaria.
Bjn
Márcia

Ana S. disse...

quem casa, quer casa. É o que costumam dizer. O cantinho decorado ao nosso gosto é outra coisa.
Abraço

Rui disse...

Nos 3 últimos capítulos, 3 curiosidades rsrs :

“ela já tinha a carta de chamada do marido que lhe autorizaria a saida do país”
É incrível como apenas passadas quarenta e poucos anos as coisas ainda eram assim !
:((

“Como é que se saúda um desconhecido, que os papeis dizem ser nosso marido” ?
Uma boa questão ! … Realmente , muito estranho e obriga a pensar ! :)

“O meu cantinho ?... Não deveria ser o nosso cantinho” ?
A primeira “gaffe” ! … Vamos a ver se haverá outras,... ou se o amor se instala ! :)

Abraço, Elvira

Cantinho da Gaiata disse...

UI, estou a ficar em pulgas, grande insistência em falar que os tios queriam que vivessem com eles.
"Ter o teu cantinho", não deveria ser o nosso cantinho?
Ai, aí muita coisa vai ter que ser encaixada.
Beijinho grande.

Odete Ferreira disse...

Muito bem conduzida, a trama. Esperemos por mais!
Binho. Elvira :)

Rosemildo Sales Furtado disse...

Como falei no comentário anterior, era uma vida repleta de surpresas boas ou ruins. Faço votos que sejam boas. A curiosidade já começou a se instalar em mim. Rsrs.

Abraços,

Furtado