20.3.17

CASAMENTO POR PROCURAÇÃO - PARTE XXIII




E chegou a véspera de Natal. Estavam na casa dos tios de Quim. Sofia e a tia Délia estavam na sala, os homens na cozinha preparando as iguarias para a ceia. A empregada, punha a mesa. Desde que adoecera, Sofia não voltara aquela casa, e preocupou-se com o ar da tia Délia. Estava cada vez mais débil. Mas continuava conversadora e simpática.
- Pareces muito bem, para quem esteve tão doente. É uma vantagem da juventude. A recuperação é sempre fácil e total. E como vai o teu casamento? O Quim tem-se portado bem contigo?
Sem saber bem o que a velha senhora queria dizer, e não querendo falar da sua vida intima, apressou-se a responder.
- Ó sim. Vai tudo muito bem.
- Folgo em saber isso, minha filha. Confesso que já senti remorsos da forma como o obrigamos a casar. Mas ele andava todo enrabichado com aquela serigaita da Joana e se não tomássemos uma atitude acabava por fazer uma asneira que lhe ia dar cabo da vida.
Era a primeira vez que a senhora falava do assunto. Fez de conta que não sabia de nada. A senhora continuou:
- Sabes que já depois de casado ela ainda o andava a rondar? Apareceu algumas vezes no restaurante. E pedia sempre para cumprimentar o chefe. Para o obrigar a ir à mesa. Na última vez ficou frustrada quando o meu marido se apresentou na sua frente. E não voltou a aparecer.
Aquilo, Sofia não sabia. Porque é que ele não lhe dissera? Não se proclamara um homem sincero? Não lhe pedira paciência para se livrar dos fantasmas?
- Ai filha que já falei demais! Desculpa, não queria preocupar-te. O Quim é um homem responsável. Tem sólidos princípios. Nunca te trairá. Mas aquela mulher é um demónio com cara de anjo. Que o diga o seu ex-marido a quem ela arruinou.
Ela acreditava nos princípios do marido. E na sua sinceridade.
Tinha provas disso. Também do seu sentido de responsabilidade.
Só que isso não lhe bastava. Ela desejava dele o que uma mulher apaixonada deseja do homem que ama.
- Não se preocupe tia. O Quim tem sido um excelente marido, - afirmou desejando tranquilizar a velha senhora.
Nesse momento os homens entraram na sala.
- Vamos jantar? Está tudo pronto.
Quim ajudou a tia a levantar-se e deu-lhe o braço para a ajudar a chegar à sala. Ela e o tio seguiram-nos. Junto à mesa, Idalina a empregada aguardava-os. A mesa estava posta para cinco pessoas.
-Hoje a Idalina janta connosco. Desde que ficou viúva, vive connosco, já é quase da família, - explicou o tio.


Amanhã, não haverá esta estória. Festeja-se o dia mundial da poesia e o que mais se verá.
Assim sendo o capítulo de amanhã sairá hoje às 19 horas.
E como a Primavera chega hoje, que ela seja de paz, amena e perfumada para todos nós.

14 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Mas não dá sinais de chegar a Macau.
Que neura!!
Boa semana

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar uma ótima semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
mais uma acha para a fogueira.
vamos esperando !!!
JAFR

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a gostar desta historia.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Os olhares da Gracinha! disse...

E quantas histórias semelhantes não se viverão por aí!!!bj

✿ chica disse...

E a velha tia colocou uma "pulga na camisola"... Vamos ver o que acontece! bjs, linda primavera! chica

Bell disse...

Eita tia boca aberta, acho que as pessoas qdo não tem nada pra falar soltam essas pérolas.

bjokas =)

AvoGi disse...

As velhas são sempre alcoviteiras!
Kis :=}

Anete disse...

Festa, alegria e novas conquistas vêm sem demora...

Uma boa semana, Elvira! Boa Primavera e UM DIA MUITO FELIZ!
Bjs

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Feliz Primavera querida amiga Elvira!
Que ela seja calma e muito florida, com passarinhos cantando alegremente e borboletas bailando nas flores.
Um abraço querida amiga.

António Querido disse...

A nossa prima Vera chegou triste e talvez molhada!
Como ficou Sofia ao saber da tia, o que deveria ser contado pelo Quim!
Abraço e VIVA a POESIA PORTUGUESA.

Edumanes disse...

Pouco a pouco sem fazer perguntas Sofia, vai sabendo qual o motivo do seu casamento por procuração com o Quim. Para o barco navegar rumo a porto seguro é preciso que a Joana não agite as ondas do mar!
Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Fernanda Maria disse...

A Sofia está a ficar apreensiva e esta conversa com a tia não veio ajudar...

Feliz Primavera também para si Elvira.

Um beijinho

O Toque do coração

Rosemildo Sales Furtado disse...

Se eu estivesse no lugar do Quim faria a mesma coisa. Por que trazer um passado conturbado para um presente tranquilo? Já que a tia falou, resta só contar com o bom senso da Sofia.

Abraços,

Furtado