26.4.18

RENASCER - XXI




- E depois, filho? Voltas para casa? Sabes que pensava deixar-te à frente da quinta e das vinhas, quando partisse, embora claro elas pertencessem aos três por igual. As tuas irmãs nunca gostaram desta vida, têm os seus empregos. Mas será que é isso que tu queres? E mais do que querer, será que os ferimentos que sofreste, vão permitir o esforço deste trabalho?
- Ainda é cedo para falar disso, meu pai. O senhor ainda tem muitos anos de vida pela frente. Mas talvez seja boa ideia, saber se um dos meus cunhados, não estaria interessado nisso. A bala que me atravessou a perna, pode vir a dar-me problemas de locomoção com o passar dos anos. De modo que quando estiver de novo na posse dos meus documentos, talvez seja melhor procurar outro emprego. 
 Só depois disso posso “arrumar a vida”.
- Como?
- Procurando a Luísa e propondo-lhe casamento. Só assim posso cuidar dela e da sua filha como prometi ao Julião.
- Mas quase não a conheces? E depois há a Emília, uma boa rapariga que conhecemos desde que nasceu e que sempre esteve enrabichada por ti.
- Eu sei, ela ajudou-me hoje quando desmaiei na beira do rio. Está mais bonita, do que me lembrava. Sempre fomos amigos e não me passou despercebido o seu interesse por mim. Só que eu nunca quis prender-me a ninguém sem terminar a tropa. Seria sem dúvida a minha escolha, se não houvesse a Luísa. Mas há, e há também uma promessa para cumprir. E foi o pai que sempre me ensinou que a palavra de um homem de bem, vale mais do que documento assinado. Ou já, não pensa assim?
- Claro que sim, filho. Mas é uma mulher que mal conheces, e uma filha que não é tua. Não poderias ajudá-la de outro modo? Nós temos algum dinheiro. Não é muito, mas também pudemos ajudar. E segundo disseste ela tem emprego, e deve receber alguma coisa da marinha, uma pensão, sei lá.
- Eu sei pai. Mas isso vai ajudá-la a cuidar da filha? A educá-la? Talvez sim, nas necessidades materiais. Mas uma criança necessita de um pai. Isso é mais importante que qualquer bem material. E a Luísa também é boa rapariga. Ela foi o meu amparo durante todo o tempo que estive no hospital sem me lembrar de nada. Esteve a meu lado antes e depois da cirurgia, quando vocês ainda nem sabiam que eu estava vivo.
- Está bem, filho. Não te posso recriminar-te por honrares a palavra dada.Mas agora estás em férias e ainda a recuperar a saúde. O melhor é aproveitares os dias o melhor possível. O futuro, Deus dirá.


Já viram porque eu tinha escolhido A PROMESSA? E agora?
Renascer ou a Promessa? São vocês que escolhem.

20 comentários:

Pedro Luso disse...

Olá, Elvira!
É sempre bom ler a sua narrativa, que é enxuta e realista. Parabéns.
Um abraço.
Ped

Pedro Coimbra disse...

Gosto mais de renascimentos do que cumprimento de promessas à força.
Abraço

Roaquim Rosa disse...

bom dia
talvez não seja só a promessa que o esteja a levar para esse caminho , mas algum sentimento mais profundo a que damos o nome de amor .
vamos aguardar o evoluir das coisas .
JAFR

Tintinaine disse...

Eu também estive sempre inclinado para a Luísa!
E para o título, que tal - PALAVRA DE HONRA?

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com interesse.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Larissa Santos disse...

Bom dia Elvira. Mais um maravilhoso capitulo. Adorei

Sim: A promessa fica bem. :))


Hoje:- Eis a fonte que nos alimenta alma

Bjos
Votos de uma boa Quinta-Feira

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

O meu pensamento viaja disse...

Voto na Promessa.
Beijinhos

✿ chica disse...

Tu és mesmo maravilhosa! Adorei mais esse capítulo e está indo talvez da promessa ao renascer do amor para ambos...
beijos, ótimo dia!chica

noname disse...

Cada um é como cada qual mas, a promessa pressupunha casar com a Luísa? Não me parece lógico, se não houver sentimento que a isso leve mas, ainda assim.... que dizer?

Vamos esperar para ver. A Elvira é mestra em revirar tudo de um momento para o outro :-)

Beijo de bom dia

Jaime Portela disse...

Eu optava pelo "Renascer"... ainda que isso possa acontecer através da "Promessa"... Enfim, não tenho uma convicção acerca da opção a fazer. O importante é a maneira como a história é contada, que, até aqui, tem sido muito boa.
Continuação de boa semana, amiga Elvira.
Beijo.

António Querido disse...

Sou de maior idade, posso votar? Então o meu voto é: Promessa foi cumprida!

Abraço.

Os olhares da Gracinha! disse...

RENASCER pois a sua vida ganhou uma nova história e agora até no AMAR vai ser diferente!!!
bj

Cidália Ferreira disse...

Belo episódio, que, concordo com "O renascer"


Beijos e um excelente dia.

© Piedade Araújo Sol disse...

Continuo a preferir o Renascer...

;)

Rui disse...

Ora cá temos um grande dilema ! (??)

No anterior capítulo eu tinha comentado :
"Cá estão umas "boa dicas" relativas à mulher do Julião. Quer-me parecer que a Emília ainda não poderá pensar que tem o caminho livre !"

A verdade é que há uma promessa (ao amigo Julião), mas também há a própria Luisa ! (??)
Será que ela, sabendo que se trata de uma promessa aceitar esse "sacrifício" dele, sabendo que ele tinha deixado por cá uma namorada que ainda está solteira e a gostar dele ?...
Veremos ! Quem sabe disso é a nossa querida "escritora/autora !
Aguardemos !
:))

Kique disse...

Renascer as promessas levas o vento
Bjs
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
A história agora no que respeita ao amor está a tomar outro rumo.
Mas vou aguardar para ver;))!!
Eu voto em Renascer.
Beijinhos,
Ailime

Lucia Silva disse...

Continuando encantada com essa história bem elaborada e que nos prende a atenção.
Beijos!

Berço do Mundo disse...

O rapaz levou a sério a promessa que fez ao amigo. Casar com uma perfeita estranha não parece muito avisado!