11.4.18

RENASCER - VIII




A cirurgia correu bem, a bala foi retirada, e oito dias depois, Carlos tinha alta, da cirurgia, e era encaminhado para psiquiatria pois a sua mente continuava a ser uma folha em branco. Os seus pais foram informados de que deviam dirigir-se ao hospital a fim de receberem alguns pertences do filho. Lá o médico informou-os de que ele estava vivo, mas tinha perdido a memória e depois de eles terem superado a emoção de saberem vivo, um filho que julgavam morto, levou-os ao quarto, para visitarem o filho.
Mas se o médico tinha esperanças que a presença dos pais fizesse Carlos recuperar a memória, ficou desiludido.
Reconheceu o pai, porque era como se estivesse a ver-se a si próprio uns anos mais velho. Emocionou-se com o abraço da mãe. Foi como se o coração a reconhecesse. Como se o seu coração e o cérebro não estivessem em sintonia. Ainda assim, gostou de os ver, de conversar com eles. Conversar, não seria bem o termo, o que ele fez, foi interrogar o casal, tentando descobrir-se naquilo que eles lhe diziam. 
Ficou a saber que tinha duas irmãs mais velhas, casadas e que tinha quatro sobrinhos, todos rapazes, que antes de ir para a tropa, trabalhava com o pai na quinta, que tinham uma vinha, e que não tinha namorada, apesar de fazer algum sucesso entre as raparigas solteiras, mas sempre dissera que não se queria prender antes de ir à tropa. Também viu as fotos dos sobrinhos que o pai trazia na carteira, mas nada do que eles disseram ou mostraram, rasgou o denso véu que cobria as suas memórias. Depois que eles saíram, Carlos ficou relembrando tudo o que lhe tinham contado, uma e outra vez, numa tentativa desesperada de se lembrar de alguma coisa.  Ficou tão nervoso, que quando o médico o foi ver mandou que lhe dessem um calmante. 
 Mais tarde, já mais calmo, pensou em Luísa, e embora a tivesse visto apenas há dois dias, sentiu saudades. Será que estava a apaixonar-se pela jovem viúva? Ou ter-se-ia apaixonado de tanta vez contemplar a fotografia na carteira? Ou seria apenas carência afetiva devido à perda de memória? Os seus sentimentos estavam quase tão confusos como a sua cabeça. Fosse o que fosse, a verdade é que as visitas que ela lhe fazia, iluminavam a escuridão que lhe envolvia o espírito. Vencido pelo cansaço, ou pelo calmante, acabou por adormecer.

24 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
nem sequer quero pensar em algo que se parecesse com esta situação me acontecesse .
Deve ser a maior frustração que devemos sentir , mas tudo isto é uma historia e vamos todos torcer para que este rapaz recupere a sua memoria o mais rápido possível !!
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

É terrível a falta de memória.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Gil António disse...

Lendo e acompanhando a "estória" do sem nome.
.
* Amor sonhado nas ondas do entardecer *
.
Um dia feliz-

Cantinho da Gaiata disse...

Histórias complicadas, mas há muito por aí.
Beijo e resto de uma boa semana.

António Querido disse...

Mais uns dias e vai recuperar a memória! Vamos ver o próximo capítulo.

O meu abraço

✿ chica disse...

Já quando saio doe uma peça para buscar algo noutra e lá chego, não lembro o que fui fazer, quase entro em pânico.Imagina uma situação assim! CREDO!

Se os pais vissem aquela viúva, será não teriam algo a dizer? Quem sabe!! beijos, chica

Ontem é só Memória disse...

E é assim que fico viciada nos teus textos!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Cidália Ferreira disse...

Belíssimo!
Tenho em mim que, ele vai-se apaixonar (já está)por Luisa, vai ser correspondido. E num começar tudo de novo, a sua memória vai voltar aos poucos. Oxalá. Digo eu, não sei!!

Beijos e um dia excelente.

Os olhares da Gracinha! disse...

A pouco e pouco ... ele vai recuperando com a ajuda de todos!bj

rosa-branca disse...

Olá amiga, tive que voltar atrás para pôr a leitura em dia, mas valeu a pena. Estou em pulgas para ver a continuidade e cá para mim, isso vai dar casamento. Adoro as suas histórias. Amiga Elvira boa semana e beijos com carinho

noname disse...

E entre céu aberto e nuvens baças, a gente vai tentando adivinhar os próximos passos eheheheh

Boa tarde Elvira

Ana Freire disse...

Um capitulo interessantíssimo, como sempre, de uma história muito bem construída, e repleta de focos de interesse...
Hoje passando por aqui, a deixar um beijinho, e tal como tinha prometido, por estes dias, ficará lá no meu canto, aquele vídeo com aquela pequena história para crianças, de Saramago, que adorei descobrir por aqui... e com os respectivos links, para os seus blogues, Elvira!
Continuação de uma belíssima e inspirada semana!
Ana

Edumanes disse...

Depois de ter lido mais um capítulo. Desse conto sem nome. O qual relata um trágico acontecimento passado na guerra colonial. O qual se deve à teimosia do ditador Salazar. A qual vitimou milhares de jovens portugueses. Sendo esse o único sobrevivente de uma emboscada. O qual luta para recuperar a memória perdida! Poderá esse conto ser baseado na ficção. Todavia as emboscadas e outros mortíferos ataques às nossas tropas aconteceram na realidade!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira.
Um abraço.

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
A amnésia deve ser uma coisa terrível.
Será que a "viuvinha" o vai fazer "despertar"?
Beijinhos,
Ailime

Meu Velho Baú disse...

A amnésia é horrível e está muito bem descrito.
Que tudo corra bem à personagem " Carlos " o nome do meu irmão que perdi precocemente.
Beijinhos

Anete disse...


Certamente, logo a memória dele funcionará bem... Aos poucos, coisas coisas lindas acontecerão...

Boa noite de 4ª feira...
Bj

Rui disse...

Agora que sabe que é um homem livre talvez aquele sentimento que se lhe aflorou relativamente à Luisa, que também sabe ser "livre", tome uma outra dimensão !?...

Abraço

Kique disse...

Uma vida em branco
Bjs
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

Toninho disse...

Uma terrível situação que bem conhecemos pela vida.
Bem enredado conto.
Abraços Elvira.

Lucia Silva disse...

História de amor e paixão no ar, amando e acompanhando!
Beijos!

Berço do Mundo disse...

As guerras fazem tudo o resto parecer estranho. Acredito que ele precise mesmo e uma figura feminina para lhe apaziguar o coração e a alma.

Gaja Maria disse...

Já cheira a paixão :)

redonda disse...

Hum, será que vai haver romance? Gosto de romances

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...