16.3.18

A TRAIÇÃO - PARTE XXIII



Durante mais de uma hora viajaram calados. Odete olhava pela janela como se a sua vida dependesse da paisagem que rodeava a estrada. João conduzia atento ao trânsito. Por fim ela quebrou o silêncio.
- A tua mãe teria gostado que ficássemos para o almoço.
- A minha mãe é muito arguta. Se estivéssemos umas horas com ela ia perceber que não estamos felizes.
- Mas querias ir à praia. Pensei que só vínhamos mais tarde.
- Na praia estávamos longe dos seus olhares.
- Não te entendo. Se tinhas tanto medo que ela percebesse, alguma coisa, porque viemos?
- Porque já tinha combinado vir antes do teu regresso. E já não aguentava mais, ela querer saber de ti. Estiveste ao telefone com a tua mãe?
- Não. Tu deste-me notícias, e se vou estar com ela quando chegar, não valia a pena telefonar.
- Há uma coisa que quero que dizer-te. Enquanto estiveres na nossa casa, não quero encontros com outro homem. Nem telefonemas ou e-mails.
Revoltou-se. O que é que ele estava a insinuar? Acaso julgava que ela era capaz de ter um amante?
- O bom julgador por si se julga, - atirou mordaz
Travou repentinamente, provocando um solavanco que a assustou.
- Estás doido? Queres matar-nos?
- O que é que disseste?
- Eu? Nada que tu não saibas.
Apertou-lhe o braço com a força, olhando-a furioso.
- Larga-me. Estás a magoar-me.
Soltou-a e reparou na mancha vermelha no braço.
- Desculpa, -disse voltando a pôr o carro em movimento. -Não voltará a acontecer. Não é hora nem sítio para conversas desta natureza.
Na sua cabeça ecoava a frase que lhe ouvira. Que quereria dizer com aquilo. Ela é que o abandonara, sem ele sequer imaginar porquê, e punha as culpas nele? Em dois dias era a segunda vez que lhe mandava uma indireta como se ele fosse o culpado pela separação. O que é que ele fizera além de amá-la, e de trabalhar como um louco? Talvez porque dispunha de pouco tempo para ela? Mas  se era por ela que trabalhava tanto. Para lhe pagar os estudos lhe comprar roupas caras, lhe dar jóias. Pensava que dando-lhe tudo isso, compensaria a diferença de idade, e faria com que não se interessasse por nenhum homem mais bonito e mais jovem.   Decididamente não entendia as mulheres. Primeiro foi Inês, que se fingia apaixonada por ele e o traía. E que depois de divorciada, lhe fez uma marcação cerrada, jurando arrependimento, para uns meses depois voltar a casar. Só não caíra na sua teia, porque o amor que dedicava à mulher era mais forte do que qualquer outro sentimento que experimentara na vida. E depois Odete, que ele julgara diferente, que amara com todo o seu ser, e que sem uma explicação o abandonou, transformando a sua vida num verdadeiro inferno. Ninguém a não ser o seu amigo Manuel, sabia o quanto ele estivera à beira do abismo. A ele agradecia o ter conseguido superar o seu desespero e voltar a dedicar-se de corpo e alma à profissão. Muitos o invejavam, pelo seu sucesso profissional. Ele trocá-lo-ia pelo amor da mulher, sem a mínima hesitação.


21 comentários:

noname disse...

Parece que este João está mais para Tóino, ou conhece mesmo muito mal a "esposa" comprá-la com jóias e roupa?

Vamos ver o que vai dar :-))

Beijinho

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Elvirinhamiga

João é um sacana mas também e um desgraçado. Penso que não preciso de dizer mais porque creio ter sintetizado tudo o que penso.

Já a Odete nunca teria pensado que se iria meter em tão grande embrulhada. Coitada.

Muitos qjs do teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar bom fim de semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

bom dia
francamente não queria estar na pele de qualquer um dos dois . começa a ser frustrante o que cada um pensa em relação ao outro .
estamos á espera de um final feliz mas a continuar assim não sei não !
um bom fim de semana para todos mesmo com esta chuvinha .
JAFR

Tintinaine disse...

Quem será o Manel?
Personagens novas dão sempre outro elan à história. Gosto disso.

Os olhares da Gracinha! disse...

Há muita inquietude naquela alma!!!bj

✿ chica disse...

Tá difícil o entendimento entre os dois.Terão que realmente "lavar as roupas sujas" pra depois tentar... Vamos aguardar! beijos, chica

Olinda Melo disse...


O que p'ra aqui vai! Há já algum tempo que não venho saber destes dois.
Na altura a Odete tinha-se ido embora e a Inês andava a ver se o João reparava nela. Agora a Inês já não está no horizonte e eles continuam sem se entenderem. O João nem sabe ainda porque é que a Odete o abandonou. Eu perderia a paciência realmente... Vamos lá ver o que sai daí.

Bj

Olinda

Larissa Santos disse...

Andam ao jogo do "empurra" Sem realmente saberem da verdade. O dois estão a falhar. Que raiva.

Hoje:- A Chuva lava-me a alma.

Bjos
Votos de um Sábado Feliz.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com bastante interesse.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Anete disse...


Misterioso relacionamento. Só acho, que o amor e a confiança são conquistados e não “impostos” ou com chantagens. Há muitas inseguranças permeando os dois.
Só quero ver no que vai dar esse romance conturbado...
Vamos adiante... Bjs e bom sábado...

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde!
Ai que nervos! Nem um nem outro puxam o assunto que interessa. Irra. Agora são as desconfianças!! :))

Next

Beijos e bom Sábado

Rui disse...

Eu acho que nestas situações de desconfianças há que esclarecer as coisas.
Nada como uma conversa franca entre os dois em que se tentasse esclarecer as suspeitas e isso faltou por "culpa" da Odete, vítima da trama engendrada pela Inês, a verdadeira culpada de tudo ! :(
É que verdadeiramente, para além disso nada mais há a esclarecer.
Creio que acabarão por ter essa conversa em falta e que tudo acabará em bem !

Abraço :)

Fá menor disse...

Há vidas assim complicadas em que ninguém quer dar o braço a torcer.
Boa continuação. Estou a gostar muito, como sempre.

Beijinhos.

Bom fim-de-semana!

Ailime disse...

A coisa complicou-se!
Vamos ver como deslindarão este enredo;))!!
Beijinhos,
Ailime

Lucia Silva disse...

Quase que a verdade vinha à tona!
Beijos!

rendadebilros disse...

Que enredo! Isto está complicado. As pessoas, por vezes, têm que trabalhar e ganhar dinheiro para uma série de coisas que nem têm importância e o tempo passa muito rapidamente sem darmos por isso. A ver vamos como se solucionam as coisas. Entretanto, a neve durou pouco. É um espectáculo muito bonito, mas o frio também não é nada do meu agrado. Uma pessoa veste-se e calça-se para ir dar uma voltinha pela neve e depois volta para casa para se aquecer à lareira! Quanto à saúde do meu marido, estamos a lidar com as questões que vão surgindo tranquilamente. Bem haja pela preocupação. Bom Domingo. Beijinhos.

Portuguesinha disse...

Finalmente começam a soltar um pouco as coisas que mantiveram aprisionadas dentro deles.
Estão no bom caminho.

Primeiro a tempestade, depois... a bonança :)

Portuguesinha disse...

A nossa Travessa:

Henrique, discordo da sua avaliação do carácter do João.
Ele penou por quatro anos com a tortura de não saber porque a esposa que adorava e achava perfeita o abandonou. Entendendo que trabalhava muitas horas e não tinha muita disponibilidade (e desconfiando que podia haver outro) o que ele faz agora é inverter a situação.

A Elvira é muito boa a construir a personalidade das suas personagens.
Admiro-a cada vez mais :)

Parabéns Elvira.

Meu Velho Baú disse...

A relação está a ficar complicada :(( e ele tem azar ou está a fazer-se de vítima
Beijo

redonda disse...

Têm de conversar...