14.3.18

A TRAIÇÃO - PARTE XVIII




Os dois foram recebidos com alegria e alvoroço, pelas duas irmãs.
Antónia, a mãe de João abraçou e beijou a nora com tanto carinho, que a jovem se emocionou até às lágrimas.
- Há tanto tempo que não te via, filha. Desde que vim morar para aqui, o João aparece de vez em quando, mas diz sempre que estás atrapalhada com os estudos. Às vezes pergunto-me porque estudas tanto.
Odete percebeu que tal como suspeitara, a sogra não sabia da separação dos dois. Procurou com o olhar o marido, mas ele parecia demasiado atento ao que a tia lhe dizia e não conseguiu ver os seus olhos.
-Agora já acabaram.
- E a tua mãe? O João disse que está doente e que vai ter que ser operada ao coração. Deves estar muito preocupada.
- Nem calcula quanto.
- Quero dizer-te que se precisares de mim para cuidar dela, antes ou depois da operação é só dizeres. A minha irmã, agora está bem, pode ficar sozinha um tempo.
- Muito obrigada. Nem sabe quanto lhe agradeço, mas o João achou melhor ela estar sob os cuidados de uma enfermeira. E depois eu também vou estar sempre por perto.
- Bom, suponho que queiram refrescar-se, tomar um duche, e dar uma volta pela cidade antes do jantar. Não conheces Aveiro? É uma cidade muito bonita. Com os seus canais, até lhe chamam a Veneza portuguesa.
- Se nos dás licença, vamos seguir os teus conselhos. Vem querida, acompanho-te ao quarto.
João tinha-se aproximado. Trazia a mala dela na mão e enlaçando-a, empurrou-a suavemente na direção das escadas que conduziam ao andar superior. Ela deixou-se conduzir, mas uma vez no quarto, não pode conter-se.
-Muito engenhoso da tua parte, - disse olhando a bonita cama de casal de ferro forjado. Se pensas que porque estamos em casa da tua mãe, vou dormir contigo, estás muito enganado.
- Não te preocupes. Não tenho dezoito anos, não ando com as hormonas aos saltos, nem nunca tomei nada que não me fosse oferecido, - disse sentando-se num cadeirão ao fundo da cama. Mas claro se não confias em mim, podes sempre ir lá abaixo e contar à minha mãe, a nossa real situação. Aproveitas e contas-lhe onde estiveste todo o tempo que ela pensa, que estavas a estudar. Confesso que estou com alguma curiosidade.
A sua voz soou tão fria e impessoal, que ela sentiu um arrepio. Aquele não era o João que ela conhecia. Este era um homem muito perigoso. Não podia lutar com ele de peito aberto. Esmagá-la-ia como se fosse uma formiga. Tinha que ser mais diplomata, mesmo correndo o risco de parecer volúvel.
-Não entendo porque não contaste a verdade à tua mãe, -disse o mais calma que conseguiu
- Vais entender um dia. Vai tomar um duche e mudar de roupa. Eu vou fazer o mesmo, na outra casa de banho, no corredor.
-Mas não trouxeste bagagem!
- Tenho aqui no armário várias mudas de roupa. Venho cá de vez em quando e é mais prático do que estar sempre a fazer a mala. Vai, se queres conhecer um pouco da cidade antes do jantar.
Levantou-se e saiu deixando-a só.


20 comentários:

Tintinaine disse...

Muito bem, a novela deu um saltinho em frente de que eu gostei. E também costumo ir a Aveiro, de vez em quando, para almoçar.

Roaquim Rosa disse...

bom dia
por cada novo episodio , mais nos faz pensar o que vai na cabeça do doutor , pois se por vezes é sensível outras nem por isso .
realmente o amor é indescritível .
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!
Isabel Sá
Brilhos da Moda

Larissa Santos disse...

Aqui se prova realmente que ele nunca traiu Odete. Penso que tudo não passou de uma armadilha. As coisas estão secas parte a parte... mas ela começa a pensar. :)))

Bjos
Votos de uma boa quarta-feira

✿ chica disse...

Esse doutor tem um plano muito bem articulado!!! Hmmm, vamos seguindo e esperando! bjs, chica

Meu Velho Baú disse...

Elvira cada vez está mais empolgante.....
E a sogra ....pensando que é um casal perfeito :))
Beijinhos

Portuguesinha disse...

Se eu fosse Odete o que me incomodaria no João é essa vontade de vergar a sua vontade. Mas entendo o que ele está a fazer. Está a ter a coragem que ela não teve e lutar por um sentimento que ainda existe forte entre os dois.

Mas a chantagem e a manipulação fariam com que não ficasse receptiva para quase nada que viesse dele. Principalmente se usasse uma doença fatal para tirar proveito.

Anete disse...


Estou curiosa p ver no que vai dar... Planos, chantagens e desconfianças! Que venha um tempo de sinceridade e maturidade de ambos os lados!... Rsss, mas nesse mundo há de tudo!!
Você é criativa e engenhosa demais, Elvira!
Bjs

noname disse...

Ainda não lhe percebi o jogo, se o que quer é saber porque ela se foi, só tinha que perguntar na lata e ponto final, mas se assim fosse também a história já tinha acabado eheheheheh

Beijinho

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
O doutor tem muito que se lhe diga!
Para o meu gosto é muito mandão;))!!!
Vamos aguardar até quando a paciência de Odete aguenta tais desaforos.
Beijinhos,
Ailime

Edumanes disse...

Mas quando é que será que esses dois se irão entender de uma vez por todas? Qual será? Ele o autor ou será ela a autora da suposta traição?

Tenha uma boa tarde amiga Elvira.
um abraço.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com interesse.
Um abraço e continuação de boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Cantinho da Gaiata disse...

Às vezes o senhor doutor parece que é bruto.
Estou acompanhando esta historia com um sorriso de todo o tamanho, desejosa de saber o que se passou na realidade.
Bjs

Emília Pinto disse...

Olá Elvira, Estive a lercos capitulos desta nova novela e, se queres que te diga, parece-me que foi a Inês a inventar toda essa traição. Aquele bilhete no casaco dele parece estranho, mas, por outro lado, como é que ela conseguiu colocá-lo lá? Bem... vamos esperar que tu o digas. Beijinhos, amiga e espero que este tempo horrivel não te tenha causado nenhum transtorno.
Emilia

Fatyly disse...

Odete está a dar de caras com um João "mais perigoso", pois é e como diz o ditado..."a mentira tem perna curta" e isto vai dar raia:)

Beijos

Rui disse...

Creio eu, que a haver "Traição" e houve, claro, ela teria sido da Inês.
Nunca da Odete e muito provavelmente também não por parte do João. (?)
De qualquer modo, não gostei do "estratagema" do médico para conseguir ficar com a mulher .

Abraço :)

Os olhares da Gracinha! disse...

Poupar ao desgosto por vezes aceita-se!bj

Lucia Silva disse...

Acompanhando e amando essa história de amor!
Beijos!

Andre Mansim disse...

Hummmmm esse doutor... Sei não!!

redonda disse...

Dá vontade de sacudi-los para que falem um com o outro!