16.1.17

UMA HISTÓRIA DE AMOR - PARTE XVI



Simão permaneceu algum tempo no escritório, tentando acalmar-se.
Quando saiu procurou a mãe na sala. Francisca fechou o livro e perguntou:
- Contaste-lhe?
Olhou a mãe, surpreendido. Pensava que tinha conseguido esconder de todos os seu segredo.
- Como sabes?
- Uma mãe, sabe sempre o que vai no coração dum filho. Há muito que sei que é esse amor que te mantem longe de nós. A Ana saiu sem se despedir. Nunca o faz. Devia estar muito transtornada. Disseste-lhe?
- Não foi preciso. Ela leu-o nos meus olhos.
- E…
- Ficou indignada. Disse que é uma infâmia. Que somos irmãos.
- Não é verdade! Ela sabe-o, tal como tu.
- Não é verdade, no sangue. Mas é-o nos sentimentos. Ela sente-o assim no coração. Foi assim que sempre me amou. E contra os sentimentos é impossível lutar, - disse amargurado
-Apesar dos seus vinte e sete anos, Ana é uma menina, que sonha com o amor, mas que ainda não o encontrou. Conheço-a melhor que a qualquer de vós. Não quero que sofra. Sei que seria muito feliz contigo, mas como ela mesmo me disse, “o amor é uma fogueira, que não arde só de um lado” Oxalá consigas esquecê-la. Gostaria de te saber feliz.
Acariciou-lhe o cabelo como fazia quando ele era menino.
- Obrigado mãe. Perdoa-me se te faço sofrer.
- Não te atormentes. A vida às vezes leva-nos por estradas sinuosas. Vai cuidar das tuas coisas. Faltam poucas horas para o teu avião.
Não pode deixar de abraçar a mãe. Admirava-a tanto. Sempre tão serena, tão doce, tão compreensiva.
- Cuida dela mãe. Vou sentir-me melhor se souber que o fazes.
- E não o fiz toda a vida, filho? Vai descansado. E que Deus te ajude.
Ficou a ver o filho afastar-se com uma secreta sensação de culpa. Se eles não tivessem fomentado tanto aquele parentesco. Se os tivessem criado normalmente, sem enfatizarem um laço que não existia na realidade, quem sabe agora não estavam a sofrer daquela maneira.


19 comentários:

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanha a história e desejar um bom fim de semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Érika Oliveira disse...

Estou acompanhando. Bom fim de semana!!

Tintinaine disse...

Amor e sofrimento de mãos dadas. Não foi sempre assim?
Uma boa semana!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

O amor e a sabedoria como só uma mãe tem.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

António Querido disse...

E quem não sofreu por amor? Até um Querido que eu conheço sofreu! Espero que este do Simão vença e sorria no final da caminhada.
Abraço

Edumanes disse...

Amor não correspondido,
no corpo ausência de calor
como num forno arrefecido
sente quem sofre por amor!

Que o seja numa feliz aventura,
para conquistar o coração da Ana,
Simão deve sim continuar a luta...

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

© Piedade Araújo Sol disse...

seguindo...

boa semana!

:)

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, não é irmã de sangue mas não deixa de ser irmã, os sentimentos dela são os correctos.
AG

Rui disse...

Já tinha alguns capítulos em atraso ! :( ... Mas que volte face !!! ...

Uma questão natural e no entanto tão difícil de encarar, mantida "abafada", lá no fundo da alma !
Até que ponto, nestes casos, o "sangue" (ou "não sangue") se sobreporá ao sentimento familiar ? ...
A verdade é que da parte da Ana há um passado e até um presente que a faz ter muitas dúvidas sobre o sentido do verdadeiro amor !
O coração por vezes tem um 6º sentido que nos orienta (ou ,...desorienta), mesmo que a causa não tenha sido inteiramente perceptível !

Abraço, Elvira ! Parabéns por correr o risco de entrar neste campo, algo pantanoso, mas muito interessante !

Mariazita disse...

Li 10 capítulos desta linda história de amor, e logo que possível venho ler mais um pouco, na medida em que não me é possível vir diariamente.
Do que li gostei muito, e fico ansiosa por saber a (minha) continuação; mas agora não dá tempo para mais...

Votos de uma semana muito feliz.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Prata da casa disse...

Continuo a seguir a história.
Bjn
Márcia

Os olhares da Gracinha! disse...

Ai coração de mãe!!! Bj

Zé Povinho disse...

Demorei a recuperar o atraso na leitura e fiquei com a sensação de já o ter lido antes mas sem me recordar dos detalhes e do final.
Abraço do Zé

Jaime Portela disse...

Uma história bem contada e numa narrativa agradável. Como sempre, aliás.
Boa semana, querida amiga Elvira.
Beijo.

Janita disse...

Lidos todos os episódios em atraso, verifico que não me enganei no meu presságio. Um assunto muito delicado esse que a Elvira toca, mas nada que não se resolva.
A jovem tenta contrariar os seus verdadeiros sentimentos, já que tendo sido criada juntamente com Simão, acha que não pode amá-lo senão como irmão. O coração é quem mais ordena, quer se queira ou não queira.
Mais uma vez lhe louvo a imaginação e criatividade, Elvira.

Uma boa semana. Abraço

maria disse...

Não sei se acaba aqui... mas se acaba tenho pena, acho que a autora devia tê-los deixado viver esse amor :D

Pedro Coimbra disse...

Quando não há química é muito complicado.
Um abraço

Odete Ferreira disse...

Li, de seguida, os capítulos que tens publicado diariamente. Aí uns dez. Reitero o que já tenho dito: muito bem concebida a narrativa e a prender o leitor. A gostar imenso! Parabéns.
BJ, Elvira. 😊

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira
Estou triste, mude essa História. Não sei pois estou atrasada, mas quero ler devagarzinho
Beijos
Minicontista2