9.1.17

UMA HISTÓRIA DE AMOR - PARTE IX






Chegara finalmente o dia do aniversário de casamento de Francisca e Afonso.
Segundo a vontade dos dois, era uma festa intima, que contava com a presença dos filhos, e netos, dos pais da nora e do genro, e dos dois advogados, do escritório do Afonso com as respetivas esposas.
Simão chegara perto do meio-dia, e os pais estavam muito contentes por tê-lo enfim de volta, após aqueles longos cinco anos.
As prendas que os filhos trouxeram, deixaram-nos encantados, pelo significado de cada uma delas. Uma em especial, tinha-os emocionado. Tratava-se de um quadro, que reproduzia uma foto tirada há muitos anos atrás por Afonso. Francisca, bem mais jovem, estava sentada no sofá, com Ana ao colo, tendo Simão de pé, a seu lado, enquanto João e Marta brincavam no chão à sua frente.
Era um quadro muito enternecedor, e Simão reproduzira fielmente as expressões de cada um, deixando não só os pais mas os próprios irmãos muito emocionados.
Ele próprio, sentia o mesmo. Estava feliz por estar com os irmãos e sentia-se encantado com os sobrinhos. Dos irmãos, Matilde era a que se mostrava mais feliz com a sua presença. Pendurou-se no seu braço e disse que não mais o largaria, se ele não prometesse que voltava para assistir ao seu casamento.
- Claro que virei ao teu casamento, maninha. Mas esperava mais da minha irmã mais nova.
- E que esperavas?- Perguntou sorrindo
-No mínimo que me convidasses para padrinho.
- E como ia fazê-lo se tu nem apareces nem notícias dás? És um mau irmão. – Respondeu como quem amua
- Tens razão, -disse com seriedade. Ultimamente não me tenho portado muito bem convosco. Um pouco pelo trabalho, tenho uma importante exposição dentro de dez dias, mas também um bocado por preguiça. E depois, todas as semanas falo com a mãe, e ela sempre diz que estão todos bem.
- E é sério o que disseste? Queres mesmo ser o padrinho?- Perguntou esperançada. E acrescentou. - Eu ficaria muito feliz.
- Pois então, deixa de me enrolar e faz o convite.
Feliz, ela abraçou-o e disse:
- Obrigado mano. És um anjo. Vou contar à mãe.
Ele deu uma volta pelo salão e depois saiu para o jardim.
Apesar de tudo estava contente por ter vindo. Era sempre um balsamo para o seu coração observar como os pais se amavam e eram felizes.
Um amor assim era o seu sonho de felicidade.
Olhou o baloiço, o escorrega novo, e pensou que os pais deviam ter comprado aqueles para os netos. Mas ele gostaria de ter encontrado os da sua infância.
- Um cêntimo pelos teus pensamentos.
Voltou-se devagar.- Ana sorria-lhe.
- É muito pouco. Merecem mais – disse fixando-a.
Ela riu.
- Estava a observar-te. Estás muito sério. Pensando em alguém que ficou em Paris?
- Não tenho ninguém em Paris.



21 comentários:

Tintinaine disse...

Ontem, estive ausente todo o dia e à noite já nem pedalada tive para ligar o computador e comentar a fraquinha vitória do JJ. Mas já tratei de pôr a leitura em dia e vou ficar à espera das palavras de amor entre o Simão e a Ana.

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar uma boa semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Anete disse...

Uma história de muito amor...
Uma semana com muita pazzzzzzzZ...
Abraço

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Li este capítulo e fiquei curiosa para conhecer essa história de amor. Como há várias partes para serem lidas, voltarei oportunamente para me inteirar da história e poder acompanhá-la.

Obrigada pela amável passagem pelo meu Recanto.

Feliz semana!

Beijo.

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Ana, estava observando o Simão,
perguntou-lhe em quem estás a pensar
no seu lugar, a verdade eu lhe dizia
estou aqui pensando no teu coração
porque ele me faz de noite e de dia
onde quer que esteja contigo sonhar!

Tenhas um bom dia de segunda-feira amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Fá menor disse...

Li os episódios todos... isto promete!
Gosto da tua escrita. :)

Bom Ano!

Beijinhos

O meu pensamento viaja disse...

Escreve muito bem, Elvira.
Boa semana e boa escrita.
Beijo

Socorro Melo disse...


A história está ficando cada vez mais interessante.

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma bela história de amor!!!bj

Prata da casa disse...

Já li o capítulo anterior e agora com este, fico ainda com mais vontade para ver como se irão apaixonar os nossos heróis.
Bjn
Márcia

Ana S. disse...

Pois é Elvira. quando temos bons exemplos em casa, queremos também igual para nós. Afinal se os nossos pais são exemplo de amor que perdura, também merecemos. ehehe
Abraço

Gaja Maria disse...

Veremos que partida o destino vai pregar a Simão :)

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
SABES O QUANTO EU GOSTO DE TEUS TEXTOS, COM PENA VEJO QUE JÁ ESTÁS NO IX CAPÍTULO E COMO TENHO TIDO POUCO TEMPO E, EMBORA AO LER ESTE CAPÍTULO TENHA ME DADO MUITA VONTADE DE LER TUDO, SEI QUE NÃO VOU CONSEGUIR FAZÊ-LO E POR ISSO, NÃO VOU LÁ NO INÍCIO LER, COMO JÁ O FIZ MUITAS VEZES, LER 9 OU 10 CAPÍTULOS DE UMA SÓ VEZ, KKKK, TE DEIXO AQUI UM FORTE ABRAÇO E SUCESSO POIS ESCREVES LINDAMENTE AMIGA.
NA MEDIDA DO POSSÍVEL VOLTAREI AQUI, BEM SABES.
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Elisa Bernardo disse...

A passar por aqui para acompanhar e para lhe desejar um Bom Ano querida Elvira. Um grande beijinho
elisaumarapariganormal.blogspot.pt

Pedro Coimbra disse...

Novo romance começa a desenhar-se...

AFlores disse...

Uma história de amor sabe sempre bem, e eu gosto ;) :)
Continuação de bom ano!
Tudo de bom.

Lilá(s) disse...

Estive ausente mais tempo do que esperava, agora tento devagarinho voltar...li tudo para trás com a mesma ansiedade de sempre. Agora sim vou acompanhar...beijinhos

maria disse...

Vamos ver o que o futuro reserva a Ana e Simão... os dois merecem encontrar alguém...

lua singular disse...

Oi Elvira,
Uma linda história de amor desenrolando por aqu
Que lindo!
Beijos
Lua Singular

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Elvira!
É, de fato, um bálsamo ter pais que se amem!
Bjm muito fraterno