10.1.17

UMA HISTÓRIA DE AMOR - PARTE X


Ana soltou uma gargalhada cristalina
-Pelo amor de Deus. Não posso acreditar nisso.
- Acredita no que quiseres. – Disse com aspereza, voltando-lhe as costas.
Ela franziu o sobrolho. Que se passava com ele? Parecia zangado. Mas porquê?
- Ouve,- agarrou-lhe a manga do casaco mas ele não se voltou. - Que raio se passa contigo. O que foi que eu disse para ficares assim? 
- Desculpa, - era evidente que estava a fazer um enorme esforço para parecer natural. Não foi nada contigo. Sou eu que não ando bem.
Recomeçou a andar pelo jardim. Ela pendurou-se no se braço como quando ele ia busca-la à escola.
-Sabes o que é isso? É solidão. Precisas arranjar alguém. Nunca pensaste em casar?
- Não, - respondeu com voz rouca
- Não entendo. Um homem bonito como tu. Simão… tu és gay?- Perguntou de repente.
- Não. Que disparate é esse, Ana?
- Desculpa. Ocorreu-me que o facto de não pensares em casar e o tempo que levas em Paris sem nos visitar,  podia ser por isso, ou não ?
- Podia. Mas não é. O meu interesse sexual sempre se manifestou pelo vosso sexo.
-Desculpa, mano. Mas insisto. Devias pensar em arranjar alguém. Já passaste dos trinta.
-  Queres fazer o favor de mudares de assunto? Porque é que não me falas antes de ti. Porque é que ainda estás solteira? A mãe disse-me que estavas noiva. Mas vejo-te sozinha
- Acabou.
Havia uma nota triste na voz dela, ou era impressão sua?
- E porque acabou?
- Não interessa.
- A mim, sim.
-Tu és meu irmão, e há coisas que uma mulher não conta a um irmão.
Sentiu uma dor aguda no peito. Era como se lhe tivesse cravado um punhal invisível no coração.

20 comentários:

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está interessante a história minha amiga.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar

Anete disse...

Capítulo de hoje com bastante suspense...
Vamos adiante, acompanhando o 'fio da meada'...
Abraço e boa 3ª feira...

Prata da casa disse...

Como transformar esse " amor de irmãos" em algo mais? Vou esperar para ver.
Bjn
Márcia

rendadebilros disse...

Ai histórias de amor, sempre nos fazem suspirar! Onde procura inspiração? Na imaginação pura e simples, em histórias reais? Calculo que não seja no absinto! Ah ah ah! ( Notinha: Já colaborei em exposições colectivas de fotografia, mas nada mais! Bem haja pelos amáveis comentários). Beijos.

Os olhares da Gracinha! disse...

E o suspense adensa o mistério!
Terei muito gosto em enviar a morada!
Bj

Bell disse...

Ninguém nasceu pra ser só, qdo encontramos alguém que está só logo pensamos no porque.

bjokas =)

© Piedade Araújo Sol disse...

está a ficar muito interessante...

beijinhos
:)

Socorro Melo disse...


Nossa! o coração apronta cada uma, hein?

Edumanes disse...

Com ele vive uma paixão,
talvez dum amor proibido
que lhe apoquenta o coração
dentro o peito escondido?

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

São disse...

O amor nunca é fácil, pois não?

Beijinhos, linda

As Mulheres 4estacoes disse...

Estou à gostar da história e já tenho um palpite sobre esse amor secreto.
Abraço

esteban lob disse...

Cada historia de amor, le parece a sus protagonistas y (o) a sus inventores, única e irrepetible. Es legítimo, aunque haya habido millones de ellas antes y pese a que seguirá habiendo billones después.

Cariños australes.

aluap Al disse...

Fico a pensar, como será que pai e mãe vão reagir ao saber que o "estranho contrato" originou um amor que não é de irmãos.
Bjo e cont. de boa semana.

O meu pensamento viaja disse...

O enredo adensa-se.
Aguardamos.

Nequéren Reis disse...

O verdadeiro amor não faz ninguem sofrer, obrigado pela visita.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Maria do Mundo disse...

EStou a gostar muito.

Pedro Coimbra disse...

tantas vezes é tão difícil falar nesses desgostos de amor.
Mas é muito saudável falar, desabafar.

maria disse...

Vamos ver... porque terá Simão reagido assim?

lua singular disse...

Oi Elvira,
Dor de amor dói muito
Grande suspense
Adorando
Beijos
Lua Singular

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Elvira!
Tem, verdadeiramente, coisas que não se contam aos irmãos homens... é verdade!
Bjm muito fraterno