12.6.18

CASAMENTO DE CONVENIÊNCIA - PARTE XXVIII


Ele engoliu em seco. Naquele preciso momento deu-se conta de que não queria aquele negócio. Queria a mulher que estava a seu lado, queria o seu amor. Ricardo tinha razão. Tinha que remediar o mal que tinha feito. Tinha que lhe abrir o coração e contar toda a verdade. Só então poderia aspirar ao amor da esposa.Ergueu a mão e acariciou suavemente o rosto feminino. Decidido retomou a palavra. - Penso que temos que ter uma conversa séria. Espero que tenhas paciência para me ouvir, porque mesmo correndo o risco de te perder, acho que chegou o momento de te abrir o coração,- disse ele abraçando o corpo feminino.
 Impressionada com o tom de seriedade que ele usou, Joana limpou as lágrimas no dorso da mão, e aninhou a cabeça no seu ombro, num gesto que ele interpretou como sendo de confiança.
- A minha infância não foi fácil. Cresci com o meu pai, um homem cheio de amargura, porque a mulher que ele amava, fugiu com outro homem, deixando-o para trás com o filho de ambos para criar. Meu pai deu-me tudo o que o dinheiro podia comprar, boas roupas, bons colégios um curso superior. Também me ensinou tudo o que sabia, só não me ensinou a amar porque o seu coração estava morto para o amor.
 Eu era muito pequeno, não tenho nenhuma memória da minha mãe. A única lembrança de um afago feminino, é da minha tia quando nos visitava. Cresci a pensar que as mulheres não prestavam e jurei a mim mesmo, que nunca ia sofrer por causa de nenhuma. Por isso quando o meu pai morreu, eu dediquei-me por completo aos negócios e a ser cada dia mais rico. Nunca levei as mulheres a sério, eram capazes de tudo por dinheiro, e eu tinha muito. De modo que sempre tive as que quis, quando quis. Sei que devo parecer-te muito cínico, mas eu prometi ser sincero e posso ser desagradável, desprezível até, mas não vou retocar o retrato mentindo. Há cerca de dois anos, comecei a pensar que me tinha matado a trabalhar e não tinha um herdeiro a quem deixar o fruto do meu trabalho. Pensei arranjar uma mulher que estivesse disposta a casar comigo, e dar-me um filho, a troco de uma vida de luxo. Conheci uma jovem cujos pais tinham mais pose que dinheiro e pensei que tinha encontrado a mulher ideal, mas ela era muito frívola, e a única coisa que lhe interessava era andar de festa em festa, exibindo-me como se eu fosse um troféu. Cansado, tinha decidido acabar com aquela espécie de relação, quando tu apareceste no escritório, com o nosso filho. Quando vi a foto da tua irmã com o namorado, descobri que o menino era filho do meu primo Paulo Amado, o único filho da minha tia Conceição. Desde pequeno,  quando queria fazer alguma coisa que sabia não ser correta, ele usava o meu nome. Não tens noção das vezes que paguei, por asneiras dele. Por favor, deixa-me continuar, - disse ao ver que ela se mexia inquieta.  
-Sim a tia São, é tão avó do Pedro como a tua mãe. Quando o descobri, pensei que tinha achado a solução para o meu problema. Casando contigo, e adotando o Pedro, eu teria um herdeiro do meu sangue. Por outro lado, tinha a certeza de que ele seria a salvação da minha tia que definhava dia a dia. O Paulo, nunca foi flor que se cheirasse, mas era o seu único filho e ela amava-o muito. 
- Então ela sabia que o menino era seu neto, quando vinha sempre visitá-lo?
-Sabia. E ambos esperávamos que tu a convidasses a vir viver com a tua mãe. O que tu fizeste sem que nenhum de nós tenha tentado influenciar-te.
-E porque tinhas tanta certeza de que o faria?
-Porque tens um coração do tamanho do mundo. E sabendo como a tua mãe sofre pela morte da tua irmã, ias apiedar-te da minha tia. A solução era boa para as duas, e tu além de teres bom coração, és uma mulher inteligente.


15 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Ai... Queria mais...Está a ser bom e cada vez mais empolgante.. Gostei muito do episódio! :)

Mal posso esperar pelo seguinte :)


Beijo. Boa noite!

noname disse...

Agora sim, o Pedro está a ser um homem de carácter. Vamos ver se a Joana consegue entender a mentira que tem vivido :-)

Rejane Tazza disse...

AQ parte dele foi falada...fata a dela... Empolgante e dá pena quando termina o capítulo! bjs, chica

Tintinaine disse...

A habilidade da Elvira para resolver estas questões é notável. Eu já sabia que isso ia acontecer.
Ela só não tem solução para o problema do Sporting e se tivesse faria a alegria de uma pessoa que eu cá sei!

Edumanes disse...

Assim mesmo é que Pedro. Já disseste a verdade, Joana siga pelo mesmo caminho. Para que entre ambos não hajam mais dúvidas quanto ao amor que sentem um pelo outro!
Será que se avizinha um final feliz?

Tenha uma boa noite amiga Elvira.

Cantinho da Gaiata disse...

Fogo esperar para mais um capítulo para ela contar que está grávida eu não aguento tanta ansiedade, amanhã bem cedo quero ler mais um capítulo grrrraaannde.
Beijinho bem grande.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Será que Joana também vai contar ao marido
Que está Grávida? Está cada vez mais interessante a história.
Beijinhos,
Ailime

Lucia Silva disse...

Capítulo maravilhoso, no qual ele abre seu coração, sua vida, seus temores, enfim, desnuda a alma para ela.
Beijos!

Pedro Coimbra disse...

Conhece algum Pedro que não tenha bom coração, boas intenções?
Pois, está tudo dito.
Abraço

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
claro que ela lhe vai agora contar também a sua novidade , falta saber a reação dele .
esperando para saber !!
JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Larissa Santos disse...

Bom dia.
Bom, depois desta sincera confissão da parte do Pedro, resta que Joana conte que vai ser Pai.Assim espero :))


Hoje: -Careço das tuas palavras de conforto .

Bjos
Votos de uma óptima Terça-Feira

Os olhares da Gracinha! disse...

Abrir o coração alivia a alma!
bj

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com interesse.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Anete disse...

Os dois estão se conhecendo melhor. A sinceridade é o melhor remédio para um relacionamento de companheirismo.
Boa terça-feira, Elvira!
Um bj