3.6.18

CASAMENTO DE CONVENIÊNCIA - PARTE XV





Tinham-se passado os dois dias de prazo, e Pedro tinha de novo Joana na sua frente.  
- E então, - perguntou depois da saudação inicial, quando a jovem se sentou na sua frente, procurando não parecer ansioso. Qual é a tua resposta?
-Aceito, com algumas condições.
Ele não manifestou surpresa. Limitou-se a esperar.
-Mandarás redigir o tal documento, em que te comprometes a cumprir aquilo que me prometeste. A minha mãe, precisa de um tratamento urgente, por causa de uma doença grave no rim esquerdo. Esse tratamento é recente e só está disponível num hospital privado. Ela já teve cancro na mama, fez mastectomia parcial e reconstrução mamária. Está muito fragilizada, não só pela doença, como pela morte da minha irmã. A alternativa a este tal tratamento é a quimioterapia, mas o médico acha que ela está demasiado frágil para isso, além de estar com as plaquetas muito baixas em consequência da quimioterapia anterior.  Deverá iniciar o tratamento logo após o nosso casamento, que tratarás de que seja o mais depressa possível. 
-É tudo?
-Não. A minha mãe nunca consentirá neste “negócio”. Por isso temos que inventar uma história, e fazer-lhe acreditar que estamos apaixonados.  O menino será adotado pelos dois, como desejas, poderás sem dúvida dar-lhe uma educação que lhe permita ter um futuro melhor, muito mais facilmente do que eu, independentemente de fazeres ou não dele teu herdeiro. És ainda muito novo, não podes prever se no futuro, vais ou não mudar de ideias.
Que fique claro, que não quero nada além disto, e que não vou viver à tua custa.Tenho uma pequena empresa de doces e salgados para festas de aniversário ou de empresas, estou a começar, mas já tenho alguns clientes e espero vir a ter muitos mais. Por enquanto tenho trabalhado em casa, não tenho meios ainda para alugar um espaço onde possa montar a minha cozinha, por isso terei de passar várias horas lá em casa, não só para executar as encomendas, como para  criar e testar novas receitas, e acompanhar a minha mãe nesta fase critica da sua saúde. Se estiveres de acordo, podemos avançar com o negócio.
Apesar de não ter gostado do facto de ela rejeitar o seu dinheiro, Pedro não se mostrou surpreendido. Desde o primeiro momento, tinha percebido o seu amor pelos seus e a sua grande dignidade.
- Muito bem. Dispões de tempo agora, para começarmos a tratar de tudo, ou marcamos para amanhã?
- Se tu tens tempo, eu pedi a uma vizinha amiga, para ficar com a minha mãe. Ela a ajudará a cuidar do bebé quando ele acordar.
Pedro pegou no telemóvel e marcou um número.
- Ricardo, estás no escritório? Sim? Ótimo, estou a caminho com a Joana. Preciso daquele documento  de que te falei. Podemos ir aí agora para tratar disso? Obrigado, até já.
Desligou o telemóvel, guardou-o no bolso do casaco e pegando nas chaves disse:
-Vamos, Joana. O advogado espera-nos.
Saíram e seguiram para o elevador, depois do empresário ter dado instruções à sua secretária.  
Vinte minutos mais tarde entravam no escritório de Ricardo Araújo. Que já os esperava.
Pedro fez as apresentações, e depois explicou ao amigo o que desejava. 
Ricardo tomou alguns apontamentos, esclareceu alguns pontos jurídicos, pediu os documentos para o registo de identificação.
- Temos muita pressa,- disse Joana. A minha mãe precisa iniciar logo o tratamento.
-Amanhã estará pronto. Mas um casamento leva tempo a preparar.
Talvez seja melhor que a sua mãe inicie o tratamento logo que os dois assinem o documento.
- Falaremos disso, depois. A que horas tens, o documento pronto?
-Amanhã às dez podem vir assiná-lo.
Em seguida despediram-se e saíram


17 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Elvirinhamiga

O texto do caso cada vez mais complicado ainda não tem comentário. Pois então eu digo sem comentário...

Obrigado pela tua visita e pelo teu comentário.

Muitos qjs do teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão

Cantinho da Gaiata disse...

A vida roda mesmo depressa, acredito que ela ainda se vá apaixonar, vamos deixar passar o tempo.
BJ grande e bom domingo.

Os olhares da Gracinha! disse...

Um contrato onde por agora não entra o AMOR!!!
Bom domingo

Cidália Ferreira disse...

Adorei este episódio. Penso, que o que iria ser por conveniência, vai é ser por amor, e que vai dar frutos. :)!!


Beijos e um bom Domingo

Rejane Tazza disse...

Roda essa racionalidade e frieza deles, creio será logo mudada...O coração de ambos se mostrará... Adorando! bjs, chica

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Com pão cortado às fatias colocadas numa tigela, com azeite e dente d'alho,uma pitada de sal, um ovo escalfado e água a ferver por cima. Podem se sentar à mesa a açorda está pronta! Coentros é opção!

Tenha um bom dia de domingo amiga Elvira.
Um abraço.

jorge esteves disse...

E se (digo eu que aposto na costela camiliana da nossa amiga Elvira...)o advogado, agora promovido a um certo protagonismo, vai, diriia eu... além da chinela? Temos mais não sei quantos nós no enredo...
Vamos ver, vamos ver no que isto vai dar!
(Amiga Elvira, como está? Tem tido os devidos e necessários cuidados? As melhoras, amiga!)
Abraço.
jorge

Tintinaine disse...

Bom domingo!
E a saúde, Elvira, está melhor?

Anete disse...


Um relacionamento amistoso e tenso! Vamos adiante, conveniência que causará bons resultados...
Que bom que a sua saúde está melhorando. Sempre torcendo de cá...
Uma boa noite de domingo... Abraço

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar.
Um abraço e bom Domingo.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

aluap Al disse...

Passei pra acompanhar a história e desejar as suas rápidas melhoras.
Um abraço de amizade.

Gaja Maria disse...

Vamos ver no que dá tudo isto, um casamento sem amor vai ser complicado...

Lucia Silva disse...

Ela é firme e decidida, amei esse capítulo!
Abraços!

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Colocando a minha leitura em dia desta bonita e interessante história.
Vou continuar.
Beijinhos,
Ailime
(Espero que se encontre melhor.)

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Colocando a minha leitura em dia desta bonita e interessante história.
Vou continuar.
Beijinhos,
Ailime
(Espero que se encontre melhor.)

Zilani Célia disse...

ADORANDO, AMIGA.
https://zilanicelia.blogspot.com/