20.6.18

O DIREITO À VERDADE - III





Emocionada retirou um envelope cheio de fotos suas. Cada uma recordava uma etapa da sua vida. Havia uma no berçário da maternidade, outra a andar num baloiço de bebé. Virou-a e viu que tinha no reverso a data. Era do seu primeiro aniversário. Pegou noutra e viu-se bem pequenina no meio de outras crianças a apagar duas velas pequeninas num bolo de aniversário. Havia muitas mais, o seu primeiro dia de aulas, a entrada para os escuteiros, com o fato de lobito, a sua primeira comunhão, os seus aniversários. A última fora tirada seis meses atrás.  A sua mãe tinha feito um registo fotográfico da sua vida, e ela nunca dera por isso.  Poisou-as a seu lado, pensando que tinha que comprar um álbum e organizá-las. Se algum dia viesse a ter filhos, seria interessante comparar as suas fotos com as várias etapas deles.
Em seguida, retirou da caixa, um envelope grande e lá dentro encontrou os documentos da casa, a escritura de compra, e o registo predial. Voltou a metê-los no envelope, e retirou da caixa um pequeno baú de madeira. Abriu-o e encontrou uma caixa de joalharia. Assombrada, porque nunca tinha visto a sua mãe com qualquer jóia, abriu-a e mais espantada ficou ao encontrar lá dentro um anel de noivado e uma aliança.
-De quem seriam? Da sua mãe não era com certeza, ela sempre lhe dissera que nunca se interessou suficientemente por ninguém para desejar casar. Seria dos seus avós? Rodou a aliança e viu que tinha uma inscrição no interior “Jorge 25 -5-1990”. Não podia ser dos seus avós. Mas então de quem podiam ser? E porque estariam na posse da sua mãe? Voltou a fechar o estojo e retirou do fundo da caixa um outro envelope. Abriu-o e tirou vários documentos. Uma certidão de nascimento em nome da sua mãe, Natália Trindade. Uma outra certidão de nascimento em nome de Jorge Noronha.
Cada vez mais intrigada procurou o seguinte. Uma certidão de casamento em nome da sua mãe e de Jorge Noronha. Procurou a data. A mesma que estava na aliança. Então a aliança e o anel de noivado eram da sua mãe? Mas se assim era, porque é que ela sempre lhe dissera que era solteira? O que a levara a mentir-lhe a vida inteira? E quem seria aquele homem com quem casara? E onde estaria? Procurou no fundo da caixa, mas não havia mais nada lá. Voltou a pegar no envelope e ao abri-lo para guardar os documentos verificou que havia ainda um outro documento lá dentro. Retirou-o e leu-o. Era o registo do processo de divórcio da sua mãe. A data do divórcio era de vinte e oito de Novembro de mil novecentos e noventa e um.
Ela nascera a vinte e dois de Maio de mil novecentos e noventa e dois. Fez rapidamente as contas. Cinco meses e vinte e quatro dias. Então aquele tal Jorge era o seu pai. Porque é que ela não tinha o seu nome? Tê-la-ia rejeitado? Seria por isso que a mãe se divorciara? Mas porque esconder-lhe os factos. Pior, porque lhe mentiu?
Tornou a guardar tudo na caixa. Estava arrasada. Desde que tinha memória a mãe sempre esteve a seu lado sozinha. Quando foi para a escola tentou saber porque não tinha pai como as outras meninas.
E a mãe disse-lhe que tinha ido a uma festa, bebera mais do que a conta e fizera amor com alguém. Um mês mais tarde soube que estava grávida, mas não se lembrava de nada e não sabia quem seria o seu pai. Porquê?


25 comentários:

noname disse...

Esta história promete.

Bom sono, Elvira

Rejane Tazza disse...

Desde o inicio empolgante... vamos vendo e gostando dos detalhes...Curiosa aqui! Bjs ,chica

Pedro Coimbra disse...

Mais uma daquelas situações em que o homem abandonava a mulher quando sabia que ela estava grávida??
Conheço algumas...
Abraço

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
É com certeza mais uma grande historia para seguirmos intensamente .
JAFR

Ailime disse...

Bom dia Elvira,
Uma história que nos vai prender do princípio ao fim.
Pelo início promete.
Beijinhos,
Ailime

Cidália Ferreira disse...

Bom dia!
De cortar a respiração. Amei.
Será que vai procurar o pai?

Beijinhos. E um excelente dia.

Edumanes disse...

No meu entender, a falecida senhora fez muito mal em não ter contado a verdade a sua filha. Acho que toda a gente de o direito de saber quem é o seu pai, para não chamar pai a outro!

Tenha um bom dia amiga Elvira.
Um abraço.

Ailime disse...

Bom dia Elvira,
Uma história que nos vai prender do princípio ao fim.
Pelo início promete.
Beijinhos,
Ailime

Bell disse...

Essa promete,a vida há de esclarecer tudo.

bjokas =)

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Promete e está interessante.
Um abraço e continuação de boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Emília Pinto disse...

E aqui estamos para uma nova história que a nossa " fazedora de estörias " já começou. É impressionante, Elvira a tua facilidade em escrever.contos. Estás de parabéns e eu cheia de orgulho por pertencer a esta casa. Um beijinho
Emilia

Janita disse...

Se já estava envolvida na história, com a leitura deste capítulo mais envolvida me sinto.
Vou seguir com redobrada atenção...

Um abraço.

Tintinaine disse...

Coitada da rapariga, órfã de mãe e sem saber por onde o pai!
Quem sabe, ela vai à procura dele e encontra uma carga de trabalhos. A imaginação da autora é fértil em surpresas!

António Querido disse...

A verdade volta sempre, nem que seja do fundo dum baú! mais uma história que promete.

O meu abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma descoberta emocionante!bj

Ontem é só Memória disse...

Hum... Isto promete!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Ana disse...

Parece-me uma boa história e toda a gente tem direito a conhecer as suas origens.
Abraço

Kique disse...

Isto começa a prometer
Bjs

Hoje em Caminhos Percorridos - cuidado com as mensagens do whatsapp

Gaja Maria disse...

Mistério no ar... :)

Anete disse...

Uau, 😮 mistérios que serão desvendados com maestria...
Acompanhando com boa curiosidade...
Beijinho e boa noite...😴

Smareis disse...

Pelo desenrolar, a história vai ser muito boa. Mistérios!
Beijos!

silvioafonso disse...

O pai podia dar uma mãozinha,
né? Coitada da coitada...

Beijos, Elvira querida.


.

Meu Velho Baú disse...

Esta é bem misteriosa .....
Vamos ver o desenrolar...
Beijinhos

Lucia Silva disse...

História com mistério é muito interessante!
Abraços!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Quem sabe, talvez o tio possa lhe informar algo? Aguardemos os próximos acontecimentos.

Abraços,

Furtado