4.1.16

AMANHECER TARDIO - PARTE XIX


foto  minha



As duas mulheres trocaram um olhar e depois Isabel perguntou dirigindo-se a Paulo:
- Mas para onde é que vocês vão? E porquê?
- Como sabem, a Maria vai este ano para a Universidade. O curso que ela escolheu só tem vagas em Braga. A Marta é de Braga e lá residem os meus sogros. A vida em Lisboa está cada dia mais stressante.
- Assim decidimos ir todos para Braga.
A voz feminina soara nas suas costas e os três voltaram-se. Na porta Marta olhava-os com um sorriso. Era mais alta que o marido, e mais esguia, mas igualmente simpática. Depois dos cumprimentos habituais disse:
- É claro que vamos ter saudades vossas. Mas quando estivermos instalados mando a morada, e depois Braga não é no fim do mundo. Fico muito feliz por terem vindo. O Paulo gostava de convidar o seu sucessor para jantar. Mas parece que não vive em Lisboa e ainda não chegou. Na verdade não nos lembramos dele. Os pais são nossos amigos, mas o filho parece que é um tanto aventureiro. Viajou muito. As visitas aos pais são esporádicas e rápidas. A mãe disse-me há dias que tinha esperança que ele agora assentasse. Coitada é mãe.
Fez uma pausa e acrescentou:
- Vamos para a mesa.
O jantar decorreu com a animação própria de amigos que se estimam e sentem prazer em estar juntos.
Isabel falou das recentes férias, da cidade que não conhecera até aí, e de tudo o que nela lhe agradou. Contou, que visitara as grutas da Ponta da Piedade, recentemente consideradas no estrangeiro como um local "Tão bonito que até dói", e que a tinham maravilhado.  E terminou.
- Incrível como viajamos tanto para o estrangeiro e temos localidades tão bonitas no nosso país que não conhecemos.
- Lá isso é verdade. Conheceste a história do mês que há-de vir? Perguntou Paulo.
- Mês que há-de vir? Não. Mas contaram-me porque é que lá chamam condelipas às conquilhas.
- Condelipas? - Estranhou Amélia. Tens que me contar essa.
- Depois. Fiquei curiosa com essa história do mês que há-de vir. Podes contar Paulo?
- A Maria conta. Foi ela que nos contou.
Conta, conta – pediram todos.

15 comentários:

Laura Santos disse...

Muito interessante o facto de salientar na narrativa, os pontos turísticos dos lugares, e neste caso também as particularidades curiosas das "condelipas" e d' "o mês que há-de vir". Decerto muitos leitores gostarão de conhecer estas curiosidades. :-)
xx

Anete disse...

Gostei da continuação de hoje, Elvira... Seus contos trazem detalhes culturais! Isso é muito bom!...
A foto tá muito bonita!!
Bjs e boa semana.

Crocheteando...momentos! disse...

Interessante sua narração!
Boa noite a boa semana!

Crocheteando...momentos! disse...

Interessante sua narração!
Boa noite a boa semana!

Zé Povinho disse...

Espero pela explicação das condelipas, que não conheço-
Abraço do Zé

Edumanes disse...

Conta, conta pediram todos, mas ele não contou, porque hoje aqui terminou este episódio. Assim sendo ficou para o próximo que amanhã se Deus quiser, aqui voltarei para o ler.

"Tão bonito que até dói"
três versos vou escrever
com amor é que se constrói
o que na vida se quer ser!

Dizem que é com o trabalho,
mas nunca dispensa o amor
não como gotas de orvalho
que caem nas pétalas da flor!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

PS: Gostava ler a anedota da pulga!

Zé Povinho disse...

Sei do livro ROSA, e das conquilhas não me recordava, que a memória já não é o que era...
Abraço do Zé

Janita disse...

De volta a este "Amanhecer Tardio" tive de recuar na leitura para me voltar a situar dentro da história.
Vou aguardar os próximos episódios para ver a evolução dos pormenores cá, para estes lados nortenhos.
Por cá não faltam "sotaques do Norte"!!

Conquilhas, para mim, sempre foram conquilhas...:)

( aqui, ao pão ou carcaça, chamam molete, por isso...)

Um abraço, Elvira.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Conta! Conta! Conta!

Pedro Coimbra disse...

Também estou curioso.
Um abraço

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Também estou curiosos para saber o resultado da historia da "Condelipas".
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andre Mansim disse...

Gostei de ler porque a escrita é gostosa, mas minha cabeça oca de brasileiro não entendeu algumas coisas...

Minha vida de campo disse...

Agora me deixaste muito curiosa. Adoro história e meu sonho era ser escritora. Quem sabe um dia me bate a inspiração de saber e poder escrever um livro.
Bjos feliz 2016, que seu novo ano seja de grandes alegrias.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Também quero saber, conta "Maria"!
Um abraço querida Elvira.

Ana Freire disse...

Mais um capitulo muito bem estruturado, que gostei imenso!
E prosseguindo...