11.9.17

À MÉDIA LUZ - PARTE VIII



Gabriel, que até aí permanecera em pé, sentou-se a seu lado. Apesar de toda a  sua fama de homem sem escrúpulos, Gabriel não gostava de ver uma mulher a chorar.  
Sentia-se atordoado. Primeiro tinha sido a surpresa, de descobrir que a sua insignificante secretária era a lindíssima bailarina. Depois a ideia de que havia alguma coisa por trás daquela insólita atitude, e agora aquela confissão. Nunca se sentira tão desconcertado. Principalmente porque sentia um estranho desejo de abraçá-la, e confortá-la. Por outro lado, sentia-se enganado, enraivecido e com vontade de denunciá-la à polícia.
- Toma. Enxuga esse rosto, e vamos embora. Precisas ir buscar alguma coisa lá dentro?
- Não. Só trouxe a bolsa e tenho-a aqui. 
-Ótimo. Espera aqui por mim, vou só despedir-me do casal com quem vim. 
Levantou-lhe o queixo obrigando-a a fitá-lo.
- Não te passe pela cabeça fugir. Estou tentado a confiar em ti. Não me faças acreditar, que todo esse choro foi fingimento. Acredita que posso ser muito pior do pensas que sou, se descobrir que me tentas enganar..
Afastou-se. Encontrou os amigos no bar, desculpou-se com uma dor de cabeça, o que fez o amigo soltar uma gargalhada, sinal evidente de que pensava que ele tinha arranjado companhia, e voltou ao jardim.
Encontrou-a exatamente no mesmo lugar, os olhos vermelhos, o olhar perdido. Uma tal expressão de sofrimento que o deixou atônito.
Ajudou-a a levantar-se, e caminharam juntos até ao estacionamento.
- Trouxeste o carro?
-Não. Vim com a Inês.
Abriu a porta do carro.
-Entra. Vamos conversar como dois adultos. Na tua casa, ou na minha, tu escolhes.
- Num lugar público.
- Não. Ou confias em mim, ou não. E se não confias, também não tem qualquer interesse o que tenhas para me dizer. De qualquer modo vou levar-te a casa, se me disseres onde moras.
Ela disse-lho e ele dirigiu em silêncio até à porta. Ela também se manteve em silêncio, perdida nos seus pensamentos. Não sabia se podia confiar nele. Mas sentia-se tão cansada!
- Chegamos.
Ele estacionou, saiu e deu a volta ao carro. A jovem continuava absorta, como se estivesse ausente. Ele abriu a porta e estendeu-lhe a mão. Voltou a sentir uma impressão estranha. Raios, tinha razão para estar zangado, ela acabara por confessar que estava na empresa para o espiar. No entanto passado o choque inicial, e principalmente depois que a vira chorar, sentia  a sua raiva amolecer.  Ouviu-se a dizer:
- Queres deixar para amanhã? Deves estar cansada!
- Não. Se tenho que o fazer, quanto mais depressa melhor.
Pegou nas chaves, mas sentindo as mãos trementes estendeu-lhas:
- Por favor, abra o senhor!

16 comentários:

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Estive a ler a história desde o início e acho-a magnifica. Empolgante. Muito bem imaginada e escrita.
Beijinhos e boa semana.
Ailime

Edumanes disse...

Que, venham melhores dias,
tragam amor e felicidade
com meiguices não arrelias
um ao outro façam a vontade!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

✿ chica disse...

Puxa,m cada situação a Elvira nos mostra,rs...

Esse homem arrogante e mandão, se achando o tal...Tenho um nojo dele,mrs...Não o suportaria nem uma hora!
Mas a história está muito legal e adorando ler...bjs, chica

© Piedade Araújo Sol disse...

ELvira
estive a ler todos os capítulos que tinha em atraso, e, confesso que estou a gostar e a prever o final.
aguardemos então a continuação.
beijinhos
:)

Pedro Coimbra disse...

E agora vem a confissão que se aguardava.

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Gaja Maria disse...

A acompanhar e na expetativa de ver o que vai acontecer. Será que vai ser como esperamos?

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estamos a chegar a um momento importante.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Tintinaine disse...

Li ontem e esqueci-me de comentar. Cá estou eu para corrigir o meu pequeno erro.
O que será que vai acontecer agora?
Ele é completamente inocente e vai ajudá-la a encontrar o vilão que meteu o seu pai na cadeia?
Ou será que ...?

Mariazita disse...

Estive a ler desde o primeiro capítulo, e achei muito interessante.
Vou tentar acompanhar...
Obrigada pelas boas vindas.

Votos de uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Cantinho da Gaiata disse...

Estou com um sorriso, já me cheira que vai dar uma linda história de amor, será ?
Sem que primeiro se saiba quem meteu o seu pai na cadeia.
Beijinho carinhoso Elvira.

Roaquim Rosa disse...

bom dia
não é fácil fazer uma previsão do capitulo seguinte, mas é isto mesmo que nos prende e nos faz gostar .
JAFR

Os olhares da Gracinha! disse...

Quanti mais depressa falarem ... melhor!!!bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Quanto...

redonda disse...

Hum, parece que ele aqui está um bocadinho melhor...

Rosemildo Sales Furtado disse...

É, parece que o todo poderoso começou a amolecer. Curioso e aguardando os acontecimentos.

Abraços,

Furtado