Seguidores

19.7.19

LONGA TRAVESSIA - PARTE II


Voltou a poisar o telemóvel no mesmo sítio, olhou a mulher idosa que se encontrava na tela, e por momentos o seu rosto suavizou-se.
Murmurou algo entre dentes. Uma prece ou um reparo? 
Voltou para a sala. Ligou a televisão, e foi mudando de canal. Passados uns minutos, desligou o aparelho. Sentia-se cansado. Que seria que se passava com ele? Nunca tinha sentido aquele peso, aquela sensação de que alguma coisa lhe faltava. Olhou à sua volta. Tudo naquela casa era confortável e bom. Mas de que lhe valia isso. Que lhe valia a fortuna acumulada em tantos anos de lutas e sacrifícios?  Nunca em toda a sua vida pensou em ter uma família. Uma mulher, filhos. Crescera com um único desejo. Ser rico. Por isso lutara tanto. Era ainda um menino quando albergou no seu coração a ambição. E ela cresceu tanto e tão forte, que não deixou nele, lugar para mais nada. 
Amor? Não acreditava no amor. O dinheiro comprava tudo. Até o amor. Ele teve sempre as mulheres que quis, quando lhe apeteceu. Mulheres que davam qualquer coisa, para passarem com ele umas horas ou dias. Talvez tivessem esperanças de algo mais. A ele nunca lhe interessou saber. Do mesmo modo que nunca alguma lhe fez mossa, ou deixou recordação. Bom, para ser sincero, não era bem assim. Houve uma que foi especial.
 Tinha sido há quase dez anos. Ele trabalhava num banco e ela estava na faculdade. Conheceram-se por acaso. Ele saíra do trabalho e dirigia-se para casa. Ela vinha da Universidade e esbarraram um no outro ao dobrar a esquina da rua.  Segurou-a para que não caísse, e ao olharem-se sentiram uma grande atração um pelo outro. Tão grande, que quinze dias depois, ela deixava o quarto que dividia com uma amiga e mudava-se para o seu apartamento. Mais nova do que ele, era uma jovem, séria, estudiosa, e muito bonita. Chamava-se Teresa.
Recordou o seu belo rosto moreno, os doces olhos castanhos, as suas mãos de longos e finos dedos, que se moviam roçando o seu rosto com a suavidade de uma borboleta. A voz doce com que lhe murmurava “Amo-te” ou a loucura com que partilhava os momentos de paixão no leito, ficaram-lhe gravadas na alma. Foi uma época mágica.
Às vezes Mário pensava que nesses dois anos viveu aquilo que mais se aproximaria do amor.
Porém naquela altura estava tão cego pela ambição, que não havia, no seu coração lugar para mais nada.
Limitava-se a juntar tudo o que podia, Trabalhava muitas horas. Não só no banco, como em casa, onde fazia trabalhos de tradução





Aproveito para atualizar as notícias. O marido Graças a DEUS está melhor e tenho esperanças de que em breve virá para casa. O meu olho continua em tratamento, a próxima consulta como já vos disse é só dia 2 de Agosto. A tendinite no braço tem-me dado muitas dores pesar do Ibuprofeno do Dualgan, e do Sirdalud. O médico disse-me para dar o máximo de repouso ao braço. Mas como dar descanso ao braço direito?
Bom ainda não comprei o pc, mas estou com o portátil da minha nora. Andei  às voltas com o Smartphone para fazer a reedição mas não fui capaz.

16 comentários:

noname disse...

Claro que gostamos de ler as suas histórias, que lhes sentimos a falta, quando faltam :), mas agora o importante é a saúde, de um e de outro, sem ela não temos histórias ahahahahah

Cuidem-se
Beijinhos

Pedro Coimbra disse...

Como já lhe disse tem que se dar tempo ao tempo.
Por mais que queiramos apressar as coisas tudo tem o seu tempo.
Bfds

Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Suas histórias são maravilhosas, mas sua saúde em primeiro lugar, cuide-se!
Beijos carinhosos!

Joaquim Rosario disse...

Bom dia
Continuação de rápida recuperação para vocês .
O conto está a ficar como sempre interessante !
JAFR

Maria João Brito de Sousa disse...

Lido o novo capítulo, resta-me desejar que tudo continue a correr pelo melhor com o seu marido e que a sua tendinite vá melhorando tão rapidamente quanto possivel.

Abraço, Elvira.

Emília Pinto disse...

Querida Elvira, fico feliz por saber que o teu marido está melhor e que irá para casa brevemente. Espero que os seus problemas de saúde também passem depressa, pois devem incomodar muito. Um beijinho e muita força, Amiga.
Emilia

Os olhares da Gracinha! disse...

Passei para acompanhar a história e desejar tudo de bom e de bem!!! Bj

chica disse...

Acompanhando e desejando tudo de bom pra vocês: maridão, teu braço, teu olho e tudo junto ,rs... Estarei em férias por uns dias e sempre que der apareço por aqui,mas na certa, não todos os dias...beijos, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

As melhoras para todos minha amiga e aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Cidália Ferreira disse...

Adorei o episódio!

Ainda bem que o seu marido está a recuperar! O seu braço está como a minha perna, que nunca mais recupera. Dar descanso, como? Ainda mais? Ando desanimada. Isto passa.

Quantas vezes passei no mesmo caminho. (POETIZANDO)
Beijos e um bom fim de semana.

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira


O que lhe faz falta é mesmo o Amor.

O dinheiro não compra tudo...está visto.

Procurarei seguir esta história sem muitas interrupções. :)

Desejo-lhe rápidas melhoras.

Bj

Olinda

redonda disse...

Ainda bem que marido está melhor e espero que logo, logo, venha para casa e ainda bem que nora emprestou PC
Estou a gostar da história. Porque é que ele não ficou com a menina da Faculdade? Será que vão voltar a encontrar-se?

um abraço e as melhoras da vista e do braço

Edumanes disse...

Como já li. Vou passando por aqui, para acompanhar o desenrolar dos acontecimentos mais uma vez!

Quanto ao seu marido as notícias são mais animadoras e ainda bem que assim é. As melhoras do seu braço amiga Elvira. Bom fim de semana. Um abraço.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Fico feliz em saber que o seu marido está melhor e que em breve irá para casa.
Quanto à história ainda está no início, mas promete.
Continuação das melhoras do seu marido.
Tente também descansar a sua vista.
Beijinhos,
Ailime

lis disse...

Oi Elvira
As poucos e com paciência porque sempre achamos que é lento vai se encaixando a vida e normalizando. Torcendo por isso,ok
E o conto continua indo bem.

teresa dias disse...

Continuo a gostar da história do Mário.
E gostei de saber que o seu marido está a melhorar.
Calma, tudo irá ficar bem.
Beijo.