Seguidores

27.9.19

VIDAS CRUZADAS - PARTE XVII

No dia seguinte acordou cedo. Tinha dormido vestido sobre a cama. Despiu-se e tomou um duche retemperador. Depois olhou-se ao espelho demoradamente. Não por vaidade, mas tentando descobrir algum sinal da doença que o minava. Mas não. Tinha um ar saudável capaz de fazer inveja a qualquer um. Fez a barba, e escolheu uma roupa simples e desportiva. Olhou o calendário. Era sexta-feira. O médico daria consulta às sextas? Tinha que ir lá rapidamente. Pegou uma maçã e saiu para a rua. A mãe dissera que vinha logo de manhã, de táxi. De Santarém ao Barreiro, não demorava muito. Logo, logo estaria aí, pensava enquanto comprava o jornal. E não se enganou, pois ao voltar encontrou a mãe no momento da chegada. Não se conteve e depois de a abraçar pegou-lhe ao colo e rodopiou com ela como não fazia há muito. Finalmente em casa, a mãe queria saber de tudo. Como estava a tia, se tinha gostado da terra, se tinha encontrado alguma cachopa bonita, um nunca mais acabar de perguntas. E andava à sua volta mirando-o, como se de um monumento se tratasse.
E ele falou. Contou como gostara da terra, e da tia. Falou da dona Célia, do pequeno Pedro e da Rita. E desta, falou com tal entusiasmo que a mãe adivinhou logo a paixão no seu peito. Quando ele se calou a mãe ficou em silêncio olhando-o. Depois levantou-se e dirigiu-se à cozinha, tentando ocultar uma lágrima, que teimosa queria escapar dos seus olhos. Pedro percebeu porque a mãe não queria fazer comentários. Ela julgava que ele se declarara e não era correspondido. O almoço decorreu em silêncio.A mãe entristecida com o suposto desgosto do filho, e este só pensando na sua visita ao médico. 



10 comentários:

Pedro Luso disse...

Olá, Elvira!
Mais uma ótima narrativa em “Vidas Cruzadas”, na sua linguagem clara e direta. A realidade da vida é contada de forma muito agradável. Parabéns!
Um abraço, Elvira.
Pedro

Pedro Coimbra disse...

Desencontros que em breve se esclarecerão.
Bfds

Joaquim Rosario disse...

Bom dia
Os dias de angustia são tao maus que é difícil de descrever .

JAFR

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história...

Isabel Sá  
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar e aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Maria João Brito de Sousa disse...

Já com a leitura em dia, deixo-lhe um abraço, amiga.

Edumanes disse...

Entre o Pedro e a Rita,
terá nascido um grande amor
como naquela paisagem florida
na margens do Rio Vouga, nasceu uma flor.

Tenha um bom fim de semana amiga Elvira. Um abraço.

Sam Seaborn disse...

Mais um texto de colar ao visor (do ecrã ou do telemóvel). O enredo avança e nós queremos respostas (sorrisos)

Abraço e um bom fim de semana

Cidália Ferreira disse...

Tenho em mim que tudo vai correr bem!

Beijos bom fim de semana.

Ailime disse...

Agora vamos aguardar se o médico (depois decerto de alguns exames) dará a boa noticia que Pedro espera e nós também;))!!
Beijinhos,
Ailime