Seguidores

20.9.19

VIDAS CRUZADAS - PARTE XI


A capacidade que as mulheres da família tinham de  adivinhar-lhe os pensamentos era coisa que sempre o intrigara.
E já se tinham passado três dias. Três dias em que  se tinha embrenhado pelas redondezas, procurando nas margens do rio, na sua extrema beleza esquecer o que o atormentava. Apenas uma vez fora até ao largo da aldeia, demasiado concorrido, com todos aqueles turistas que procuravam a saúde na virtude das águas do local, e nos tratamentos termais oferecidos pelo enorme balneário. Suspirou fundo, sentou-se no banco que parecia chamá-lo, abriu o livro que trouxera consigo e tentou embrenhar-se na leitura sem todavia o conseguir. E enquanto o olhar se perdia na limpidez e quietude das águas do rio,  a memória continuava a recordar a descoberta da casa da tia, quando chegara há três dias. O resto da casa não era muito diferente. Por todo o lado móveis escuros e pesados, molduras antigas, panos de laboriosas e delicadas rendas, provavelmente feitas à lareira, nas longas noites de inverno . Na sala havia uma carpete esquisita, que a tia lhe dissera ser feita de retalhos de pano, e tecida em tear manual na aldeia. Carpete de trapos, mantas de trapos.
 Uma casa de banho junto aos quartos, com um enorme lavatório incrustado num móvel escuro, encimado por um grande espelho também emoldurado de escuro, num contraste berrante com as loiças e azulejos, completamente brancos. Para seu uso, dissera a tia. Ela usava sempre a outra. A outra era muito semelhante, mas em vez de banheira tinha um chuveiro, envolto num pesado cortinado, e um ralo no chão para esgotar a água. Tanto a tia como a empregada "que é mais família do que empregada, pois sempre aqui viveu, desde o tempo em que a mãe, era empregada dos meus avós" -dissera a tia, utilizavam essa casa de banho. E continuara "As banheiras são perigosas, quando a idade carrega e faltam as forças".
Na hora do jantar vieram as reclamações, porque, cansado da viagem, e tendo comido alguma coisa numa paragem no caminho, não lhe apetecia comer.



Para quem leu as notícias, eu ainda não sei quando será o transplante. Ainda tenho duas consultas agendadas e tenho vários exames para fazer, pelo que  nomeadamente o eletro e o eco ao coração.

17 comentários:

noname disse...

Os ares são bons, quem sabe fazem bem ao moço :-)

Boa noite, Elvira

Pedro Coimbra disse...

Esses testes são normais e necessários nesse tipo de situação.
Nada para ficar assustada.
Bfds

Maria João Brito de Sousa disse...

Espero que muito em breve possa dar-nos boas novas sobre esses exames e sobre a cirurgia de transplante.

Forte abraço, Elvira.

Os olhares da Gracinha! disse...

Pondo a leitura em dia!!! Bj

teresa dias disse...

Elvira, tem apenas de aguardar com calma.
Tudo irá correr bem.
Beijo.

Tintinaine disse...

Vai correr tudo bem, Elvira. Haja fé !!!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a gostar e aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Sam Seaborn disse...

A recuperação vai acontecer com o bom "ar", com outro ritmo de vida (esperança do leitor)

Quando ao resto, beijinhos e a calma possível

isabel disse...

Minha querida espero que mantenha a sua calma e o universo se encaregará do melhor para si!

Larissa Santos disse...

Gostei do episódio:))

Hoje:-Cumplicidade mutua do nosso sentimento. |Poetizando e Encantando|

Bjos
Votos de uma óptima Sexta-Feira

esteban lob disse...

Qué todo siga su curso, querida Elvira, con fe y legítima ilusión.
A la distancia, te envío mis mejores deseos.

Abrazo.

Janita disse...

Vamos ver se a Providência Divina lhe coloca no caminho uma jovem alegre e simpática...:)

Um abraço, bom fim-de-semana.

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Tenho esperança nessas águas para curar a doença do Pedro.
Quanto a minha Amiga, vá em frente sem receio, tudo correrá bem.
Um beijinho e agradável fim de semana.
Ailime

Meu Velho Baú disse...

A falta de apetite está a tornar-se preocupante :((
Pode ser que os novos ares façam milagres
Beijinhos

Edumanes disse...

Quanto ao Pedro, embora se tenha mudado por algum tempo para a casa da tia na região do Vouga. Não será essa mudança que o fará esquecer a doença que o atormenta?
Quanto aos exames que a amiga Elvira tem de fazer e o transplante de córnea. Torço para que corra bem e se Deus quiser vai ser com sucesso.
Bom fim de semana. Um abraço.

Anete disse...

Surpresas boas vêm para Pedro... Sua saúde dará uma virada e tanto...

Quanto aos próximos passos no seu tratamento, Elvira, prossiga confiante, a vitória certamente está sendo providenciada pelo bom Deus. Creio!
Bjs e bom fim de semana...

Cidália Ferreira disse...

Quem sabe não encontra por ali a cura para o seu male??
-
Lembranças dum passado sorridente. {Poetizando e Encantando}
Beijos e uma boa noite