31.1.18

A VIDA É...UM COMBOIO - PARTE XXIII







- Deves estar a perguntar-te porque te estou a contar tudo isto. Mas já vais entender a razão. Esta manhã, enquanto percorria a herdade com Alfredo, comecei a pensar que a vida é muito injusta, Ele, que eu considero como um irmão de criação, tem levado toda a vida a trabalhar no duro, e nada tem. Eu que nada fiz por isso, acabo de herdar uma enorme fortuna. E pensei que deve haver uma maneira de corrigir um pouco essa injustiça, doando metade da herdade ao Alfredo, legalmente, mas com a condição de que ele continue a gerir a minha parte, já que eu não poderei fazê-lo e não conheço mais ninguém em quem confie. Como advogada, podes dizer-me se posso fazê-lo?
- Claro que  podes. Mas, cumpre-me alertar-te que te vais desfazer de uma parte considerável do teu património. És solteiro, mas um dia podes casar, ter filhos. O que vais doar, seria também deles.
- Não será o dinheiro, aquilo que os meus filhos, se os tiver, mais precisarão de mim. O que eles mais vão precisar, será do amor que lhes der, da companhia que lhes fizer nos momentos em que dela necessitem, dos exemplos e da preparação que lhes der para a vida. Falas com o teu colega, e marcam uma reunião para tratarmos do assunto? Gostava de tratar de todos os documentos, de modo a dar-lhe esse presente no dia dois de Maio, que é a data do seu quadragémimo aniversário.
- Na segunda-feira falo com o Carlos e digo-lhe da tua urgência. Estamos quase no final de Abril, essas coisas são demoradas, talvez não seja possível, para essa data. Depois telefonamos-te.
- Ok. Agora talvez seja horas de regressarmos. Não que a tua companhia não me seja muito agradável, mas há mais de dez minutos que o Martim se sentou naquele tronco, o que quer dizer que já deve estar cansado de brincar com o cão.
-Vamos, Martim? - Perguntou Amélia ao chegar junto do filho.
O garoto levantou-se mas em vez de se pôr ao lado da mãe como seria natural, colocou-se ao lado de Paulo, os olhos ansiosos, perscrutando-lhe o rosto, numa pergunta muda. O homem agarrou a pequena mão e apertou-a suavemente.
-Tudo bem campeão, prepara-te para marcar muitos golos na festa.
- Hurra! Obrigado, mãe.
- Agradece ao Paulo. Foi dele a ideia, não foi?
-Ok. Obrigado aos dois. Anda, Rex, vamos contar à avó - disse desatando a correr em direção a casa.
- É tão fácil fazer uma criança feliz. Vês, é o que te quis dizer há pouco? Estas são as pequenas coisas que os fazem felizes. Vamos, acompanho-te a casa.


21 comentários:

noname disse...

Temos um bonitão com H maiúsculo :-)
Gostei de mais esta reviravolta eheheheh

Beijinho

Cidália Ferreira disse...

Adorei o episódio. Borboletas nos estômago e a adivinhar o final, loool

Quadragémimo

✿ chica disse...

Ele será um ótimo pai,quando puder! mUITO BOM! BJS, CHICA

Cantinho da Gaiata disse...

Belo Homem a espera, gostei não é para todos.
Ainda vamos levar muitos episódios até saber mais um pouco do enlace deles? Claro a amiga não faz por menos.
Beijinhos.

Manu disse...

Altruísmo e desapego, é que me vem à ideia ao ler este bonito texto.

Abraço

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
O Paulo, um Homem com muito bons sentimentos.
Vai dar um óptimo pai.
Beijinhos,
Ailime

Roaquim Rosa disse...

boas
tudo leva o seu tempo e esta historia não foge á regra. Mas tudo leva a crer que vai ter um bom final independentemente do que ainda poderá ainda acontecer
JAFR

Tintinaine disse...

Temos um pai que merece o filho que tem e também um filho que merece o pai que lhe saiu na rifa.
Ela ainda vai agradecer ao irmão.

© Piedade Araújo Sol disse...

Elvira

um conto leve e bonito e com um terminus que desejo se concretize

estou a gostar bastante

beijinhos

:)

Os olhares da Gracinha! disse...

Por certo será um bom pai!!!bj

Anete disse...


Boas novas por aqui! O coração do Martim já foi conquistado e o da Amélia logo estará comprometido...
O mundo dá voltas e nos apresenta surpresas incríveis...
Um abç

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Quem trabalha no duro nunca passa da cepa torna. Está mais do que visto. Paulo reconhece que herdou uma fortuna sem nada ter feito para isso. Quer dar uma parte dela ao seu amigo. Assim é que Paulo. Verdadeiro amigo do seu amigo!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

aluap Al disse...

Nem tudo será um mar de rosas, mas creio que no futuro vão ser os três felizes!
Um abraço meu.

Rui disse...

:)... Tudo bem e "sem pedras no caminho" !
E a Amélia só desvendará o segredo após o casamento (quase certo), aposto ! :))
Abraço, Elvira

Janita disse...

Homem bom e justo esse Paulo!
Será bom que ela, um dia, abra o coração e lhe conte toda a verdade.

Um abraço e venha de lá mais.

Kique disse...

Aqui estou mais um dia para ler este seu conto com prazer
bjs
Kique
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

Pedro Coimbra disse...

E quando eles estão felizes, nós estamos felizes.
Abraço

Larissa Santos disse...

Bom dia. As coisas ajeitam-se. Estou a gostar. :))

Hoje:- Perdida no Sonho... Nudez Imaculada.
.
Bjos
Votos de uma feliz Quinta-Feira

Marina Fligueira disse...

¡Hola Elvira!

Un bello texto que refleja buenas vibraciones entre los protagonistas de esta historia.
Si es verdad que hay quien trabaja mucho y duro, y no progresa, o no lo hace tanto como otros que sin tanto esfuerzo consiguen una fortuna. Cuando es heredada ya es como que le cae del cielo, de todas formas, esto de las fortunas sean grandes o pequeñas, requieren una buena administración, sino la fortuna vuela como los pájaros.

Me ha encantado, da gusto leerte, gracias por tu buen hacer y perdona mi tardanza voy muy despacio para todo.

Te dejo mi inmensa gratitud y mi gran estima.
Un abrazo largo y se muy -muy feliz.

Lucia Silva disse...

O retorno às atividades escolares me atrasaram na leitura dessa bela e emocionante história, mas estou de volta para por as leituras em dia. Amei os rumos que a história está tomando.
Beijos carinhosos!