Seguidores

27.1.18

A VIDA É...UM COMBOIO - PARTE XVIII



 Durante boa parte da manhã, Paulo cavalgou pela herdade, ouvindo as explicações de Alfredo, sobre as últimas aquisições do tio, foi apresentado aos trabalhadores, que preparavam as terras para as próximas sementeiras do milho e da beterraba. Ajudou a reparar uma cerca danificada e por fim, volta das onze horas despediu-se e regressou a casa, seguindo o curso do rio Nabão, recordando os tempos em que nele tomou banho em criança ou pescou, na companhia de Alfredo, sempre sob a vigilância de Casimiro. Pensava no que tinha ouvido nessa manhã. Seria possível que o seu tio tivesse amado a sua mãe, de tal modo que tivesse renunciado a ter uma família, em prol do filho da mulher que amara? De súbito, Paulo avistou uma figura de criança, sentado numa pedra perto do rio. Entretinha-se a jogar pequenas pedras à água, e a olhar os círculos que elas formavam. A seu lado, um belo exemplar de pastor alemão.
Ainda um pouco distante, a figura pareceu-lhe familiar, e não vendo nenhum adulto por perto, decidiu aproximar-se.  Atento o cão, começou a ladrar, e a criança virou a cabeça para ele. Paulo parou o animal, e sem desmontar, disse:
- Ora, ora, se não é o meu amigo Martim! Posso aproximar-me ou o teu amiguinho não é de confiança?
O pequeno levantou-se e segurando o cão pela coleira, fez-lhe uma festa na cabeça, murmurando.
- Quieto, Rex. O Paulo é meu amigo.
Paulo desmontou, prendeu o cavalo a uma árvore e aproximando-se deixou-se cair junto do menino que tinha voltado a sentar-se.
- Que fazes por aqui, campeão? Os teus pais sabem que vieste para o pé do rio?
- A mãe sabe. Venho, desce pequeno. Não tem perigo, queres ver?
Levantou-se e caminhou em direção da margem do rio. Mal deu dois passos, o cão agarrou-lhe na perna das calças e começou a puxá-lo para trás.
- Estou a ver. Um guardião de peso. Mas, costumas vir para aqui?
- Sim. Desde que me lembro, venho muitas vezes, nos fins-de-semana, e férias, passar um tempo com a bisavó Maria.  Vive naquela casa além. E tu? Moras por aqui?
- Aqui e em Lisboa. Aqui tenho uma quinta, sabes. Mas tu pareces triste. Gostavas mais de estar na cidade?
- Não. Gosto de estar aqui. Estou triste, porque as aulas vão acabar, vai haver uma festa, com torneio de futebol entre pais e filhos, e eu não tenho com quem ir.
- Porquê? O teu pai, não pode ir?
- O meu pai morreu. A mãe diz que viajou, mas eu sei que morreu. Ela não me quer dizer para eu não ficar triste. Nunca o vi, sabes? E é triste, que nunca possa entrar nos jogos, por não ter pai.
Paulo sentiu a tristeza do garoto como se fosse sua. Depois de uns minutos em silêncio, perguntou:
- E não podes levar um amigo, um familiar?
- Sim, mas quem? O meu tio vai viajar para Cabo Verde.
- Acho que encontrei a solução. Se a tua mãe deixar, convidas-me e eu entro no jogo contigo.
- Farias isso por mim?
-Claro.
-Vou falar com a mãe. Mas como te encontro depois?
- Fala com a tua mãe, e dás-me a resposta aqui, logo à tarde. Está bem assim?
-Está, - disse o garoto, abraçando-se ao seu pescoço num impulso.



Para quem quiser continuar a ver o meu passeio por Alcobaça, pode fazê-lo AQUI



24 comentários:

Diana Fonseca disse...

Parece que já arranjou companhia. Que bom.

Lucia Silva disse...

Eita a história está rumo ao romance e o destino contribuindo!!!
Abraços afetuosos!

Cantinho da Gaiata disse...

Vai começar a história a sério, estou amando.
Beijinho grande e bom sábado.

✿ chica disse...

Que bom! As coisas se encaminhando bem e o menino ficará feliz! bjs, chica

Os olhares da Gracinha! disse...

É sempre um bom ter um amigo!bj

Isa Sá disse...

A passar por cá para conhecer mais uma história e desejar bom fim de semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Tintinaine disse...

Está dado o primeiro passo. Daqui em diante tudo será mais fácil.

Cidália Ferreira disse...

Uau!! Começasse a ver uma luz ao fundo do túnel! Looool Muito bom!

Next

Beijo. Bom fim de semana.

Roaquim Rosa disse...

bom dia
quanta imaginação para nos deixar mais ansiosos.
adoro os pormenores .
JAFR

Larissa Santos disse...

Começa-se a ter borboletas de ansiedade pelo final kkkkkkkkk

Bjos
Sábado feliz.

António Querido disse...

Acompanhando os passos da história!

BOM FIM DE SEMANA COM O MEU ABRAÇO.

Rui disse...

ahahah... BINGO !!! ... Isto dos "desafios" até me vai dando um certo "treino" !... Já temos companhia para o jogo ! :))

Abraço e bom fim de semana Elvira.
Espero que já tenha "espantado" os seus males recentes !?... :))

Gil António disse...

Passando a fim de desejar um feliz fim de semana
.
* Doce paisagem do teu sorriso, qual azul do Mar *

Boa tarde

Cidália Ferreira disse...

Ups: Queria dizer; Começa-se.. :))

Beijos. Bom fim de semana.

Vanessa disse...

Interessante e que nos prende a atenção!
Um ótimo fim de semana!

Socorro Melo disse...


Um lindo encontro.

Bom fim de semana! Bjinhos

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está a ir pelo bom caminho a história.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Edumanes disse...

Voltarei aqui amanhã para saber qual a decisão da mãe de Martin, perante o oferecimento de Paulo para acompanhar o filho ao torneio de futebol!
Tenha um bom fim de semana amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

noname disse...

O primeiro jogo de pai e filho, sem que nenhum dos dois saiba eheheheheh

Beijinho Elvira

Kique disse...

Por aqui continuo a acompanhar esta grande novela
Bjs
Kique
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

Janita disse...

Tal como eu previa, o encontro já se deu e o convite foi feito, resta saber se a mãe, teimosa que é, permite! :)

Quanto ao seu passeio por Alcobaça, já lá voltei, como manda a tradição, e gostei muito.

Um abraço, bom Domingo.

Pedro Luso disse...

Mais um belo texto desta tua narrativa viva e realista. Vamos aguardar o próximo capítulo.
Parabéns minha amiga Elvira.
Uma ótima semana.
Meu abraço.
Pedro

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
A história está emocionante!
Gosto muito.
Beijinhos,
Ailime

Gaja Maria disse...

O destino já tratou de os juntar :)