15.1.18

A VIDA É ... UM COMBOIO - PARTEV


Martim observava a potente moto negra, completamente fascinado.
Enquanto isso, Paulo observava-o. Não pode deixar de reparar no brilho de admiração nos olhos negros do menino. Também na cor negra dos seus cabelos e na pele morena. Pensando que não se parecia em nada com a mãe voltou-se para Amélia.
- Vê-se que o seu filho, gosta de motas.
- Muito. Desde bem pequenino, sempre as preferiu, em detrimento de outros brinquedos.
De súbito, Paulo baixou-se, pegou em Martim e sentou-o na mota.
- E então, campeão, qual é a sensação? -Perguntou ao menino.
- Uma maravilha. Um dia, ainda vou ter uma assim, mãe.
- Falamos nisso quando chegar esse dia, Martim, - respondeu a mãe com um sorriso.
- Devias experimentar, sentar-te aqui, - disse o garoto
- Deus me livre e guarde. Essas coisas metem-me medo. Agradece ao senhor, estamos a atrasá-lo. Vamos embora.
Paulo agarrou o menino e voltou a poisá-lo junto da mãe. Fez-lhe uma festa na cabeça e disse:
- Gostei de vos conhecer. Não se esqueça que tem que levar o carro à oficina. O pneu sobressalente só serve como um remedeio para seguir viagem.
-Não esquecerei, como não esquecerei a sua ajuda. Muito obrigado, - disse Amélia estendendo-lhe a mão que ele se apressou a apertar.
Com o toque, a mulher sentiu que o seu coração se alterava, e sem poder suportar o olhar penetrante dele, desviou o olhar, sentindo o rosto afogueado pelo rubor.
Paulo pensou que aquela mulher era muito interessante, e que gostaria de a conhecer melhor. Abanou a cabeça, como se assim afastasse aqueles pensamentos. Afinal a mulher usava aliança, portanto era casada e tinha um filho, não era pessoa em quem ele pensasse para uma aventura. Ainda que as pessoas pensassem, que era um aventureiro, que nada levava a sério, ele sempre respeitara as mulheres casadas. Soltou-lhe a mão, dizendo:
- Podem seguir viagem. Eu vou atrás de vocês até à cidade, para o caso de precisarem de ajuda novamente.
- Mais uma vez muito obrigado. Vamos Martim, daqui a pouco é noite.- Disse Amélia, pegando a mão do garoto e encaminhando-se para o carro.
Ligou o motor e o veículo arrancou e passou por Paulo que já se encontrava sentado na sua potente Kawasaki.
Uma hora mais tarde, entrava na cidade. Paulo que seguira sempre atrás do carro, acelerou então, fez um aceno de despedida ao passar pelo carro e seguiu por uma rua à direita. Amélia continuou em frente em direção ao centro, e à sua casa.

30 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
essa dela ter aliança é algo que desconhecemos e pode haver aí alguma surpresa.
mas como a vida é um comboio tanto pode ter muitas paragens como muitas carruagens .
JAFR

Tintinaine disse...

Um pouco de romance logo ao pequeno almoço não faz mal a ninguém. E motas foi também uma das minhas doenças da juventude, mas já ficou lá tão para trás que mal a recordo.

Larissa Santos disse...

Instigante. Ansiosa para o final kkkkkk

Bjos


Boa Segunda-Feira

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com muito interesse.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

António Querido disse...

Continuo a passar, mas a navegar, desde que fiz um salto mortal na do meu sogro nunca mais andei de mota, em Moçambique tive uma para me levar mais longe em aventuras, vendi-a a um primo meu antes de partir.

Também antes de atracar quero deixar o meu abraço.

✿ chica disse...

Na certa poderiam ter trocado telefones pelo menos...Mas um reencontro talvez possa acontecer...Adorando ler! bjs praianos,chica

No Reino do Infinito disse...

Elvira, estou rendida e viciada nas suas excelentes histórias, são empolgantes, intrigantes bem desenvolvidas e com um ou outro mistério que me faz querer ir descobrindo o possível desfecho.
Então este tema Motard, que adoro e vivo na vida real!
Infinitos viciados:)

Cidália Ferreira disse...

Hummmm não sei a volta que lhe vai dar, mas, estou cá na minha...Há destinos que se cruzam...

NEXT...


Beijos e uma excelente semana

paideleo disse...

Xa temos o primeiro contacto.
Agora vén o seguinte que non sabemos como será.

Majo Dutra disse...

E cá vamos... no comboio da vida e da interessante história...
Abraço
~~~

Rui disse...

Comboio em andamento acelerado, a viagem é longa, mas parece haver agora, algo que o vá fazer andar mais lentamente ! ... Temos "amor à vista" ! :)

Muito interessante, Elvira ! :)

noname disse...

É como digo, a coisa começa morna mas vai aquecendo aos poucos, deixando os leitores na expectativa. Gosto disso :-)

Beijinho

A Nossa Travessa disse...

Querida Elvirinhamiga

Eu bem dizia que a dança recomeçaria. Já está. Mais um folhetim, mais um desejo que cada PARTE regresse depressa. Esta estória não desmerece das outras que publicaste. Mas a procissão só agora começou a sair do adro...

Qjs do teu amigo Henrique, o Leãozão


Há bastantes dias que não venho ao SEXTA-FEIRA pois dentro das diversas e graves maleitas que já conhecesses (filho da puta de ano!!!) desta feita coube-me a mim a chatice:baixei ao Hospital de Santa Maria com uma pneumonia agravada, (há virus e bactérias a esmo nem eu nem os médicos descobrimos qual foi o sacana) onde estive onze dias ao fim deles foi-me dado alta!!!!!

_____

Ontem é só Memória disse...

Quero mais!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

aluap Al disse...

Não trocaram n.ºs de telm., será numa próxima oportunidade?

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Quanto a esse mistério, ainda, encapuzado. Por aqui irei, sim, continuar. Para ficar a saber o que estou pensando.
Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Cantinho da Gaiata disse...

Essa de usar aliança deixou-me incrédula, porque será?
Coisas da amiga Elvira, sempre a deixar uma deixa para ficarmos curiosos.
Estou a adorar.
Beijinho grande.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
A história está com contornos muito interessantes que me fazem antever mais uma das suas magníficas narrações.
Beijinhos,
Ailime

Gaja Maria disse...

Passaram-se vários anos, podia ter casado...

Kique disse...

Cada vez mais interessante
Bjs
Kique
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

Diana Fonseca disse...

Espero que a aliança não seja o que ele pensa.

Lucia Silva disse...

Em cada capítulo o interesse aumenta e a ansiedade em ver o desenrolar dos fatos (romance) que com certeza vai surgir ou já surgiu.
Beijos!

Pedro Coimbra disse...

Uma breve separação que vai dar lugar a um tórrido reencontro.
Abraço

Roselia Bezerra disse...

Ola, querida amiga Elvira!
Uma história curiosa . Fui lendo capítulos anteriores pois estou de férias quase não vindo ao blog.
Um conto diferente dos que já te li...
Seja muito feliz e abençoada!
Bom de paz e bem

Roselia Bezerra disse...

Beijinho de paz e bem

lua singular disse...

Oi Elvira,
Essa aliança é uma fraude.
Tem coisas por aí
Beijos
Lua Singular

Os olhares da Gracinha! disse...

Isto promete e espero que ... haja um feliz final!!!bj

Berço do Mundo disse...

Voltei para acompanhar os desenvolvimentos da história, que li com muito prazer e, no final, lá se foi o sorriso. Então que foi isso? Uma pneumonia? Espero que esteja melhor, Elvira!
Um abraço. Cuide-se
Ruthia d'O Berço do Mundo