Seguidores

1.6.19

UM PRESENTE INESPERADO - PARTE XI



 Porém o namorado tinha regressado dois meses depois do casamento e não pretendia desistir dela nem do filho. E ela só se mantivera em casa durante aqueles meses, enquanto arranjavam casa e a preparavam para se mudar. Terminava pedindo-lhe que a perdoasse e que não lhe dificultasse o divórcio.
Perdoar? Como é que um homem podia perdoar a mulher, que fez dele motivo de chacota para o bairro inteiro? Um misto de sentimentos tomou conta dele. Raiva, vergonha, humilhação. Como era possível ter sido tão trouxa? Mais uma vez, valeu-lhe a compreensão dos pais, que o ajudaram e apoiaram até ao divórcio. Depois ele sentiu que tinha de partir por uns tempos. Queria afastar-se de amigos e conhecidos, que disfarçavam sorrisinhos de gozo quando o viam. Assim, quando soube que uma firma estava a pedir mecânicos para Angola, foi lá e não lhe foi difícil conseguir um bom contrato por cinco anos. Partiu pois numa manhã de Março, poucos dias antes de fazer vinte e dois anos, deixando a mãe lavada em lágrimas. Porém o pai compreendeu e apoiou-o. Apesar da sua pouca idade Ricardo era um excelente mecânico. Desde menino sempre gostara de mexer nos carros e quando saía da escola, em vez de ir jogar à bola com os outros miúdos do bairro, ia para a oficina do pai, ver como ele trabalhava, aprendendo a conhecer o canto do motor, e o significado de cada uma das suas desafinações. Depois já adolescente, trabalhou durante as férias escolares na oficina, e mais tarde todo o tempo que durou o seu casamento. Tinha por isso um bom conhecimento do trabalho, era aplicado, e simpático e em breve ganhou a simpatia do patrão, e dos colegas. Apesar do fascínio que África exercia sobre ele, Ricardo fazia uma vida recatada, gastando apenas a pequena parte do ordenado necessário à sua sobrevivência e transferindo para Portugal tudo o que a firma lhe permitia. Já nessa altura tinha o sonho de criar uma firma de aluguer de carros de luxo.
Terminado o contrato, regressou a Lisboa, apesar do vantajoso prolongamento do contrato, que a empresa lhe propunha  . Tinha quase vinte e sete anos, a cabeça cheia de sonhos, mas nenhum de amor.
Alugou uma pequena garagem, comprou o seu primeiro carro que lhe levou grande parte do seu pecúlio, e anunciou na Internet o aluguer do mesmo. Começou sozinho, com um único carro, sendo mecânico e motorista. Foi um êxito, as encomendas eram superiores ao que ele pensava, e assim ao fim de um ano, comprou o segundo, e contratou o seu primeiro motorista, Sérgio, que mais que um empregado era um verdadeiro amigo. Os anos foram passando, o negócio prosperando cada vez mais, e agora doze anos depois, ele tinha uma dúzia de carros de luxo, e dez motoristas-mecânicos que podiam conduzir os clientes a qualquer parte, mas estavam aptos a reparar de imediato o carro se surgisse alguma anomalia. 
De súbito voltou-lhe à memória aquela criança e o imbróglio em que o tinham metido. Mas ele iria exigir a retirada do seu nome do registo dela, logo que tivesse em mãos o resultado do teste de ADN. E só não exigiria uma indemnização, porque pelo que viu daquela casa, a mãe, ou tia da criança não teria como a pagar.
Estava desejoso, que o seu amigo Artur lhe trouxesse o relatório da investigação que estava a fazer.

22 comentários:

noname disse...

Isto promete :)

Bom fim de semana, Elvira

Janita disse...

Com isto e com os actos, só lá para segunda ou terça-feira o laboratório entrega os exames. Será que o Ricardo pediu com urgência?
Se não pediu deveria ter pedido.:)

Grande vigarice aprontaram ao rapaz. Há mulheres que são do piorio.

Um abraço, Elvira.

Joaquim Rosario disse...

Bom dia
A vida por vezes é madrasta !
Bom fim de semana
JAFR

Mariazita disse...

Bom dia, amiga
Estou com dificuldades em acertar com o tamanho da letra...
Ainda estou a tentar em colocar um tamanho "NORMAL". Espero conseguir ainda neste século 😁😩
Volte mais logo, por favor.
Eu também voltarei aqui. Agora estou com um problema difícil entre mãos...

MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Maria João Brito de Sousa disse...

Não faço a menor ideia do que irão ditar os resultados do teste de ADN, mas intuo que Ricardo seja mesmo o pai biológico da criança, contra todas as evidências que, até agora, habilidosamente nos apresentou, Elvira.

Um forte abraço

Tintinaine disse...

Oh, vida madrasta! A Elvira mete os rapazes em cada alhada! O golpe da barriga parece que continua a ter adeptas e é melhor que os rapazes aprendam a defender-se.

Olinda Melo disse...


Que grande imbróglio! E agora como é que vai ser?
Estou a ficar muito ansiosa... :)

Bom fim-de-semana, Amiga.

BJ

Olinda

Teresa Isabel Silva disse...

Também estou muito curiosa com os resultados desse relatório!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

chica disse...

Tenho minhas dúvidas aqui com esse resultado...Mas a coisa está bem boa de ler! bjs, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar e promete esta historia.
Um abraço e um bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Larissa Santos disse...

Rapaz muito sofrido e traumatizado:))

Hoje:- Quem me dera voar nas palavras de alento. [Poetizando e Encantando]

Bjos
Votos de um óptimo Fim-de-Semana

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde!
Na minha cabeça começa a fazer-se luz.E será que o empregado Sérgio, não andaria com Susana, (para passar tempo) dando o do seu patrão?? Hummmmm Estou a gostar!

Beijo e bom fim de semana.

Cidália Ferreira disse...

* "Dando o nome"

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Muito intensa a história!
Estou a gostar imenso.
Um beijinho.
Ailime

Ailime disse...

Voltei atrás para lhe desejar um ótimo fim de semana.
Ailime

Edumanes disse...

Ansioso pelo relatório referente à investigação e também do resultado do exame ADN. Se o resultado for positivo. Como é que ele irá conseguir descalçar essa meia?

Bom fim de semana amiga Elvira. Um abraço.

aluap disse...

Cá para mim o Ricardo tem um irmão gémeo que enganou a Susana.
Um abraço e aproveito para desejar as melhoras do cunhado e as suas também.

teresa dias disse...

Também eu fico à espera do relatório do amigo Artur...
Elvira, este "presente" é viciante.
Beijo.

Meu Velho Baú disse...

Oh. então o rapaz sofreu um bom bocado :((
Agora espero o resultado do teste
Beijinhos

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz, querida amiga Elvira!
Não ter sonho de Amor faz da vida uma coisa muito sem graça, com razão ele é assim.
Tenha dias abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Gaja Maria disse...

Vamos ver no que dá

Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Ora penso que a criança não é dele, ora penso que é. Continuo a ler para ver os mistérios desvendados.
Beijos!