16.6.16

MANEL DA LENHA - PARTE LXXXIX


                                            Um dos cartazes eleitorais de 1986

Desta vez a recidiva foi mais leve, a Gravelina não chegou a ficar em coma. É medicada, e fica em observação durante 72 horas, findas as quais lhe dão alta. Segundo os médicos terá sido mais a aflição e a emoção do que via na TV, do desastre, que a fez piorar e não propriamente uma recidiva do AVC. É-lhe mudado o anticoagulante e corrigida a medicação e é dada à filha a recomendação de que ela não deve ver certos programas, que a emocionem, ou a enervem. 
Dado o carácter forte dela, e a sua teimosia, será difícil evitá-lo, mas a família tem que tentar.
Em Outubro há eleições que o PSD ganha com maioria relativa, dando origem ao X governo constitucional, liderado por Cavaco Silva, que toma posse a 6 de Novembro. E nas autárquicas de Dezembro, o PSD reforça a sua liderança do país, agora também a nível local, nas autárquicas.
No Natal, o Manuel juntou na sua ceia, não só filhos e netos, como  a cunhada. Nesta altura a Gravelina, já consegue controlar o corpo e manter-se sentada. Também já consegue comer pela sua própria mão, mas não vai à mesa. Não controla ainda o maxilar, por vezes deixa cair a comida na roupa e tem vergonha de comer junto da família. Não há quem a demova. Ela come na sala, num carrinho mesa que o filho lhe fez, para ela comer mais confortável sentada na cama ou no sofá. Para lhe fazer companhia, o marido decide comer com ela na sala.
Dias depois, no início de 86, Portugal e Espanha entram para a Comunidade Europeia. 
Quase no final do mês houve eleições Presidenciais, que pela primeira vez na história recente da democracia, obrigaram a uma segunda  volta. Excluídos Salgado Zenha, e Maria de Lurdes Pintassilgo, o embate final é entre Mário Soares e Freitas do Amaral. 
A segunda volta, será marcada para 16 de Fevereiro,  e Freitas do Amaral leva uma grande vantagem sobre Mário Soares que nas sondagens não ultrapassa os 8% das intenções de voto.  Porém durante a campanha, Mário Soares é agredido na Marinha Grande, e isso criou uma tal indignação ao país que mudou o rumo da história.
Em casa do Manuel, a mulher começa a controlar a urina e pode assim largar as fraldas. Porém ela ainda não consegue andar, é na cadeira de rodas que vai para a sala, ou para a casa de banho, e não o consegue fazer sozinha. A filha compra um bacio alto, mas ela não tem estabilidade para o usar e o mais certo será cair.  Engenhoso como sempre foi, Manuel pega numa cadeira de madeira antiga, pesada e estável, arranca-lhe o assento, colocando-lhe no lugar, uma tampa de de assento sanitário, ficando a parte de baixo, tipo caixa, onde encaixou o bacio. Com esta cadeira ao lado da cama, a Gravelina podia largar as fraldas, o que era muito bom não só para a pele, como para o orçamento da casa, já que as fraldas representavam um gasto considerável. 
Para que ela não corresse o risco de cair, o filho fez uma barra de ferro que colocou ao pé da cama, a fim de que com o braço direito ela compensasse nesse apoio a força e o movimento que não tinha na perna esquerda.

13 comentários:

Majo Dutra disse...

~~~
Comovente, comovente.
Como é bom ter homens habilidosos na família!
Compreendo por que foi o Manuel da Lenha tão amado.
~~~ Abraço ~~~

Pedro Coimbra disse...

Esse incidente da Marinha Grande ainda hoje está por explicar completamente.
Soares ganhou por ter levado pancada, Eanes por ir apagar fogos.
Bfds

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

O ano de 86 foi realmente muito importante na nossa história recente.
Um abraço e bom fim de semana.
Andarilhar

Isa Sá disse...

A passar para acompanhar a história.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Edumanes disse...

Na casa do Manuel da Lenha, gente humildade, trabalhadora e habilidosa. Na política gente manhosa, valeu a Mário Soares ter ido à Marinha Grande fazer campanha, para com um emporrãozinho ter chegado a Presidente da República!

Tenha um bom fim de semana amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Blog da Gigi disse...

Abençoado final de semana!!!!!!!!! Beijos

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Gosto da sua escrita. É como se tivesse a obsevar os protagonistas e cada detalhe da história.
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

Elisa Bernardo disse...

Andei um pouco ausente estes dias mas já estou por aqui:)
Beijinhos

Anete disse...

Fatos de Portugal e também da família de Manuel/Gravelina... Adaptações p um melhor conforto na fase de tratamento, sim, muito amor e dedicação do marido e filhos... Quanta compreensão é preciso!
Gostei de ler os últimos capítulos...
Um bom e feliz sábado, Elvira.
Bjs

aluap Al disse...

Da aldeia, os meus pais e outros familiares vieram nesse ano ver um comício a Lisboa!

A história de vida do Manuel da Lenha é mesmo comovente.

Beijinhos e tudo de bom.

LopesCa Blog disse...

Com engenho e arte vai-se a toda a parte"

Blog LopesCa | Facebook

Portuguesinha disse...

Muito bonita essa união, essa cumplicidade e essa engenhosidade.
Um por todos e todos por um.
Como as famílias deviam todas ser.

Odete Ferreira disse...

Maravilhoso como foram superando os obstáculos... Grandes provas de amor, amiga!
Quanto aos acontecimentos políticos, é bom recordar.
BJo