5.6.16

INTERVALO PARA QUEM SOFRE DE...

                                                  

                                             INSÓNIA

A noite vai alta.

No céu, sem nuvens, as estrelas observam curiosas. Num prédio igual a tantos outros, alguém abre lentamente uma janela. Angustiada a figura masculina,  interpõe-se por momentos, entre a luz da rua, e as sombras do quarto. Perpassam-lhe pela memória os acontecimentos daquele sábado. Como se estivesse no cinema, assiste ao filme da sua vida. Na verdade, ela, a Vida nunca fora fácil para ele. Tudo o que era e o que tinha arrancara dela à força.
O tempo passa, o filme chega ao fim. O sono não veio. Um carro passou rápido, quebrando por momentos o silêncio quase religioso em que a noite mergulhara. Abanando a cabeça, como quem sacode pensamentos dolorosos, o homem deu meia volta e afastou-se da janela. Um raio de luar, veio qual amante atrevido, pousar no corpo da mulher, que nua, na cama, dorme docemente...
Como atraído por um íman, o homem  olha-a. E sobressalta-se. Como se só naquele momento desse pela presença feminina. Ou talvez quem sabe, vê-la assim, nua, banhada pelos raios lunares, qual deusa adormecida, tivesse despertado o Amor, que as preocupações diárias, tinha sepultado no seu subconsciente. A paixão incendiou-lhe o peito, o desejo adormeceu-lhe as preocupações.
Naquele momento deixou de existir o mundo lá fora. Nada além daquele quarto, daquela mulher, e do amor que sentia por ela lhe importava. Ansioso, caminhou para a cama. As suas mãos, frenéticas perderam-se naquele corpo tão conhecido, reinventando carícias, ansiando perder-se nele.
A mulher acordou. Soltou um gemido, e enlaçou o corpo masculino. Não sabia que horas eram, mas que importava isso? O momento era aquele. E deixou-se submergir no mar de paixão, que a envolvia.
Pela janela, a lua enlaçou os dois amantes, como protegendo aquele Amor.



22 comentários:

Tintinaine disse...

Gostei do novo visual e da história de amor também.
Foi bom para variar!

Majo Dutra disse...

~~~
Muito bom, Elvira!

Tem uma habilidade rara para construir um conto.

Mais uma vez, os meus parabéns pelo dom.

~~~ Abraço. ~~~
~~~~~~~~~~~~~~~

✿ chica disse...

Histórias de amor...Lindas sempre são e tu contaste maravilhosamente! bjs, chica

Ana S. disse...

Olá Elvira!
Os momentos são para serem aproveitados sem reservas.
boa semana
abraço

Fê blue bird disse...

Deixei-me envolver, como se estivesse a ver um filme, tal o seu dom descritivo amiga Elvira.Parabéns!

Um beijinho e boa semana

Graça Sampaio disse...

Ui!! A nossa menina escritora a experimentar outros voos! Muito bem!

Beijinhos e boa semana.

Edumanes disse...

Intervalo de insónia,
dá prazer e faz sorrir
não sendo contraditória
beleza para descontrair!

Com o novo perfil,
se sentirá orgulhosa
mostrando belo pernil
essa garota jeitosa!

Tenha uma boa noite,
amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Gaja Maria disse...

Lindo Elvira. Lindo :)

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Interregno para coisas belas"?

Pedro Coimbra disse...

Desta ver um post muito sexy.
Boa semana

Isa Sá disse...

Por aqui escreve-se bem!
Uma ótima semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

É realmente um belíssimo remédio para as insónias.
Um abraço e boa semana.

Anete disse...

Caliente romance!
O amor, se cativado, torna-se belo!...
Uma boa semana, Elvira. Bj

O meu pensamento viaja disse...

Elvira, um belo flash (excelente para combater insónias!) :-)

Ana Freire disse...

Um texto que nos agarra da primeira, à última palavra... Adorei, Elvira!!!
Tal como gostei do novo Layout do blog... já se sente a frescura do Verão, por aqui... ainda que o tempo lá fora, permaneça indeciso...
Beijinhos! Boa semana!
Ana

Janita disse...

Belo conto, Elvira!
Que importa o mundo lá fora quando o Universo está ao alcance do seu/dele, abraço?
Será que se a mulher estivesse de camisa de noite ou pijama, o sortilégio de Amor teria sido o mesmo? Os raios de luar ao incidirem no seu corpo teriam tido nele o mesmo efeito? Duvido...
Atenção, amigas...pelo sim pelo não, durmam sempre em pelo...

Um abraço e boa semana! :)

Rui Espirito Santo disse...

Benditas insónias (desta vez) ! :))
Um belíssimo conto, muito bem imaginado e escrito e com as palavras necessárias !
Parabéns !!

:))

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há insónias que valem a pena. Principalmente, quando há uma boa narradora para as divulgar.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Elvira.
Inspirador remédio para insónia, minha amiga.
Não pude deixar de rir com o "conselho" da amiga Janita "durmam sempre em pelo" =)
Por acaso era o que me estava a ocorrer a finalizar a leitura: como estava a mulher a dormir nesse à-vontade! ( e a ilustração que foi tão bem escolhida! - olha a pose da senhora - estaria de facto a dormir, ou estava a representar o papel da "bela e nua adormecida"?).
Belo conto, gostei muito.

* Agradeço-lhe o seu comentário, com direito a um poema belíssimo, que muito me encantou, Elvira.
bj amg

Odete Ferreira disse...

Parabéns pela narrativa.
Caso para dizer: destas insónias é para ter inveja!
:)

Vieira Calado disse...

Uma narrativa com muito propósito!
Quanto ao meu blog de videos, aí vai o link que leva lá, directamente. https://vieiracaladolivrosvideo.blogspot.pt/2016/06/elegia-natureza.html

Mas esta coisa do google + e os blogs não joga muito certo... Eu não atino!
Beijinhos!

Elisa Bernardo disse...

Gosto tanto da forma como escreve...obrigada por nos dar tanto Elvira.
Um beijinho