26.9.18

ENTRE O AMOR E A CARREIRA - PARTE XI



“Longe da vista, longe do coração” costuma dizer o povo e neste caso assim aconteceu. Ela cansou-se e trocou-me por um vizinho.
Não sei o que ficou mais ferido. Se o coração, ou o orgulho, mas o certo é que a minha fé nas mulheres que já tinha ficado abalada por causa da minha madrasta, ruiu por completo.
Durante os anos seguintes, tentei esquecer, voltando a dedicar-me de corpo e alma à minha profissão, oferecendo-me como voluntário para tudo quanto era missão no exterior. 
Há quatro anos, de volta a Portugal, fui ao casamento de um amigo, também militar. Na altura, andava meio deprimido, já tinha ultrapassado os trinta anos e era o único do grupo que ainda não tinha formado família.
Durante a festa do casamento, bebi demais, e depois quando a festa acabou, decidi ir acabar a noite num bar. Lembro-me de me ter sentado a beber, junto de uma ruiva muito atraente, mas não me recordo de nada mais, a não ser, de ter acordado no dia seguinte, num quarto de um hotel com a tal ruiva.
Um mês depois, ela procurou-me no quartel. Apresentou-me umas análises e disse-me que a engravidei naquela noite, e queria dinheiro para fazer um aborto. Não deixei que o fizesse. Em vez disso propus-lhe casamento. Mais tarde viria a descobrir, que nunca lhe passou pela cabeça abortar, só o disse para que eu tomasse a atitude que tomei. Parece que um homem embriagado, nas mãos de uma mulher experiente não despe só o corpo, desnuda também a alma. E Marisa tinha experiência de sobra. Foi um casamento rápido. Tão rápido como o nosso, embora muito diferente. Apesar de não amar Marisa, pelo bem-estar do meu filho, estava disposto a fazer tudo para que a união resultasse. Depois disso acabaram-se as missões, queria estar perto dela quando o bebé nascesse. 
 Porém quando Marisa estava no sexto mês, tive que substituir um oficial que fora ferido em serviço no Kosovo. Parti pois, e um mês mais tarde, recebi uma carta anunciando o nascimento do Bernardo. Nascera prematuro aos sete meses. Quase dois anos depois, vim a descobrir que me traía, e que utilizava o meu dinheiro para sustentar o seu amante. Expulsei-a de casa, afirmando que com as provas que tinha ela não só não veria um tostão com o divórcio, como ia requerer a guarda do meu filho. Ela riu-se na minha cara e afirmou que o Bernardo não era meu filho, e que mo tiraria quando quisesse.
Fiquei de rastos. Amo aquele menino mais do que a mim mesmo. Apesar de não ser parecido comigo, Bernardo era muito parecido com a mãe, e há milhares de crianças que se parecem apenas com um dos progenitores. Por isso não quis acreditar que tinha sido enganado, mas um teste de ADN provou que o tinha sido. Mais tarde, o médico dele, respondendo a uma preocupação minha, pelo facto do Bernardo ser prematuro, disse-me que ele, era um bebé normal, nunca fora prematuro. Fui duplamente enganado. Marisa já estava grávida de dois meses naquela noite, no bar. O pai da criança devia tê-la abandonado e ela andava à caça de um papalvo que a sustentasse a ela e ao filho.
No entanto esta descoberta, não beliscou em nada o sentimento que eu tinha pelo menino, e vivi na angústia constante de o perder, até ler no jornal a notícia daquele acidente. 
Segundo a mesma, um grupo de amigos, realizou uma festa num barco. Calcula-se que durante a festa, muito álcool tenha sido ingerido pelos participantes. Perto da meia-noite, foram surpreendidos por uma tempestade. Três participantes caíram à água e apesar de todos os esforços, os seus corpos só foram resgatados três dias depois. Um deles era o de Marisa.


21 comentários:

Rejane Tazza disse...

Puxa! Que acontecimentos na vida dele!Marcantes! E vamos lendo e gostando! Bjs chica

lis disse...

Li os capítulos anteriores porque me perdi u pouco,sem comparecer. rs
Esse capítulo de hoje dá a real razão do homem amargo que Ricardo se tornou,tendo que tomar medidas não tão comuns nos dias de hoje.
Sofrido, vai tentando fazer o melhor para a felicidade dos filhos.Vamos ver como se comportará no dia a dia com a 'esposa'(entre aspas) rs
Um abraço e vamos seguindo que a história está apenas começando rs

Anete disse...

Confissões fortes... Quantas situações embaraçosas!
Um abraço e boa quarta-feira...

Pedro Coimbra disse...

Desculpe a insolência mas há aqui uma imprecisão - ele é o pai.
Pode não ser o espermatozóide, mas é o pai, algo muito mais importante e muito mais difícil.
Abraço

Larissa Santos disse...

Bom dia. Vida intensamente dramática teve, teve ele. Antigamente era assim, casavam gravidas e diziam que nascia prematuro. Este caso é um pouco diferente. Adorei o capitulo.:))

Bjos
Votos de uma óptima Quarta - Feira

Tintinaine disse...

Mas que grande embrulhada! Só mesmo a cabeça da Elvira para montar um esquema destes!
E com isto, o nosso herói cada vez acredita menos nas mulheres, até ao dia em que lhe apareça pela frente a tal ...!

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
Depois de tantas desilusões na vida , desde criança até a atual , também merece ser feliz e se calhar a felicidade bateu-lhe á porta sem ele contar.
Haver vamos
JAFR

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar e está a ficar interessante.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

noname disse...

Começam-se a desvendar os mistérios, das crianças, e do "pai", que o será de coração.

Bom dia, Elvira

Maria João Brito de Sousa disse...

Sempre atenta, Elvira. Abraço.

Quase Cinderela disse...

Estou a adorar :)
Beijinho

António Querido disse...

Chiça que este gajo tem a vida mais complicada que a minha!

Com o meu abraço.

Nequéren Reis disse...

Que ótima postagem sempre arrasando, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Janita disse...

Bem, depois disto, ninguém diga que a história é monótona...!!
E ainda falta vir a outra parte do menino de cor...ou será que já estou confusa? Bolas!!
Que romances ou filmes andará a Elvira a ler/ver para se inspirar?

:) Um abraço e bora lá teclar com força.

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde! Começo a entende-lo! Vida difícil...

Beijos e um excelente dia

Manu disse...

Que episódio tão violento, mas a verdade é que coisas destas acontecem.

Abraço Elvira

Meu Velho Baú disse...

Assim como há homens há mulheres com esse mau carácter e essa Marisa pertencia ao grupo
Estou seguindo com muita atenção
Beijinhos

Ontem é só Memória disse...

Capitulo muito revelador!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Cantinho da Gaiata disse...

Coitado do rapaz tanta desgraça junta.
Essa cabeça amiga Elvira não pára de nos surpreender.
Bjs

Gaja Maria disse...

Tão tragico mas interessante
Abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

Provavelmente algo que marcou imenso o seu coração!!!bj