25.11.16

ESTRANHO CONTRATO _ PARTE XXXII


Epílogo

O inverno acabara, a Primavera fazia-se sentir em todo o seu esplendor de cores e perfumes. 
Francisca acabara de adormecer as crianças e preparava-se para se deitar.   Afonso ainda estava no escritório, e ela sempre respeitava aquele espaço. Sabia que ele se refugiava ali para trabalhar. 
Olhou-se no espelho. Como estava diferente. Agora era uma mulher feliz, realizada. Tão diferente daquela  Francisca que foi casada com Jorge. Viu pelo espelho a entrada do marido e como se dirigia para ela. Sentiu os seus braços à roda da cintura, os olhos procuraram-se através do espelho.
-Amo-te! - Sussurrou-lhe ao ouvido.
Sem respondeu, voltou-se e ofereceu-lhe a boca entreaberta, pronta para o beijo.
Enlouquecia-o. Cada dia mais, como se fosse uma dependência. Pegou-lhe ao colo, e deitou-a na cama. Inclinou-se para ela.
- Espera, - disse ela colocando a sua mão no peito  masculino e empurrando-o suavemente. - Vamos conversar.
-Agora? - Em tom de lamento.
-Depois compenso-te. Prometo!
-Sendo assim, - parecia resignado.
-Sabes, o quartinho ali ao lado…
- O que é que tem? – Interrompeu impaciente
- Temos que trazer de novo para lá o berço. Vai ser preciso... 
Levantou-se de um salto
-Queres dizer…
- Que a família vai aumentar dentro de alguns meses.
Abraçou-a.
- Amo-te tanto! Tens noção de que me tornaste no homem mais feliz do mundo?
- Esforço-me por isso - sorriu sedutora.
-Amanhã trato do berço.
-Temos tempo. Ainda faltam uns meses. Antes, queria contar-te uma fantasia que tinha contigo quando lá dormia. Prometes que não te ris?
Beijou-a com paixão.
- Conta, - pediu com voz rouca
E ela contou. Devagar frisando cada pormenor da fantasia tantas vezes sonhada, exacerbando  e levando ao limite o desejo do marido.
Quando ela se calou, ele estendeu-lhe a mão, ajudando-a a levantar-se.
- Vai, - sussurrou. Vamos convertê-la em realidade.
Feliz, ela encaminhou-se para o outro quarto




                                                        FIM


Agora sim, chegou ao fim. Ou talvez não, quem sabe...  Como não sou indiscreta, deixo à imaginação de cada um o que se seguirá. Rsrsrs.
Falando sério, gostaria que os amigos que acompanharam esta história, me deixassem no comentário. a vossa opinião sobre ele. Dizer que gostaram só, não vale. Já o foram deixando nos comentários. Tenho consciência de que são os vossos reparos que me levam a ser um pouco melhor de história para história.
Um grande obrigada a todos. Estou de regresso, hoje mesmo passarei pelas vossas "casas".

39 comentários:

Bell disse...

Gostei um final cheio de amor.

bjokas =)

Rui Espírito Santo disse...

Não exagero se disser que adorei, Elvira. A sua forma de escrever é linda, agradável, minuciosa, terna, tende a manter-nos sempre na expectativa !
Há só um pormenor que já mencionei anteriormente (e que já expus as razões).
Achei (só isso) um pouco inverosímil o decurso de cerca de um ano !
Para alem disso achei o conto impecável em todos os aspectos !
rsrsrs... e claro, não vamos ao ponto de pretender "cuscar" a fantasia da Francisca ! rsrsrs

Um abraço e os meus parabéns !!!

rosa-branca disse...

Amiga Elvira, tenho estado afastada destas andanças, mas vim espreitar este seu maravilhoso trabalho. São 15,32 e acabei agora de ler tudinho(desde o primeiro episódio) e estava tão entusiasmada que ainda nem almocei hehehe. Adoro tudo o que escreve e cada vez se está a esmerar mais e a prova é este estranho contrato. Adoro, quando o amor vence todas as barreiras e é pena, que na vida real assim não seja. Falo por experiência, própria, infelizmente. Amei demais e fico à espera de mais e mais...Para quando um livro? Beijinhos muitos com o meu carinho sempre

Tintinaine disse...

Gostei muito. O conto vai evoluindo e mantendo sempre o suspense que faz a gente voltar no dia seguinte à procura da continuação. Se eu tivesse esse jeito para montar a trama, como a Elvira faz, também eu começaria a escrever contos.

AFlores disse...

Tudo está bem, quando acaba bem. ;)
Continuação de boa semana, tudo de bom.

maria disse...

Considero uma boa história, bem contada, com os "ingredientes" necessários, para prender o leitor e fazê-lo sentir diferentes emoções,porque tem: drama, paixão, amor,carinho,respeito,compromisso e suspense!
Realça a importância da família e tem algo que a mim me agrada muito... final feliz, sabemos que na vida real nem sempre é assim, mas que ao menos a ficção deixe um espaço para o Sonho... Obrigado, mais uma vez...gostei muito e venha o próximo!!!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Não lhe posso dizer que faria de uma outra maneira,
porque gosto muito da sua escrita e gostei da forma
como o romance terminou. A amiga tem uma boa imaginação
e desenvolve as suas histórias de uma maneira muito
agradável de ser seguida.
Portanto, apenas lhe dou os meus parabéns.
Bjs.
Irene Alves

O meu pensamento viaja disse...

Nada como um final feliz! Gostei muito.
Beijo

Majo Dutra disse...

~~~
Uma vez mais, Elvira, parabéns pelo talento,
pela criatividade, pelo empenho entusiasmado,
pelo trabalho paciente e dedicado.
Grande abraço.
~~~~~~~~

Anete disse...

Gostei muito, Elvira! Um conto contado com muita criatividade, suspense, humor e também com realismo... Gosto das cenas calientes que vc nos apresenta com doçura e sem vulgaridade...

Vamos adiante... Obrigada pelo carinho por lá... Volto já... Bjs

Pedro Coimbra disse...

Como já noutras situações prendeu do princípio ao fim, foi uma leitura simples e agradável.
Não é exactamente isso que se pretende?
Está de parabéns a autora.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante minha amiga e com um final feliz.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar

C.N. Gil disse...

Elvira, deixei o comentário no meu canto!

:)

Isa Sá disse...

A acompanhar a história. Aproveito para desejar uma ótima semana.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

António Querido disse...

Só com vocação se escrevem contos como a Elvira escreve! E então a imagem de hoje,UI...Fez-me voltar atrás no tempo 50 anos! Não faça caso deste maluco e aceite o abraço que lhe envio.

São disse...

Escreve bem , tem imaginação e começou a escrever estórias com finais felizes.

Tudo isso me agrada.

Beijinhos , amiga, e não deixe de escrever.

rendadebilros disse...

Num tempo em que as imagens que nos entram pela casa dentro são tão tremendas e amargas, é tão bom sonhar e deixar/fazer sonhar. Se algum ou outro momento do "livro" parece inverosímil? É possível. A verdade é que, muitas vezes, não se sabe o que se passa realmente na vida, no pensamento, nos desejos das pessoas e a vida de cada um ultrapassa em boa medida a ficção. OU dizendo de outra maneira: a ficção fica muitas vezes aquém da realidade, por ser esta mais rica, mais imprevisível, em que cada pessoa cada sentença que é como quem diz: cada pessoa cada maneira de pensar e agir e o que eu faria em determinada circunstância, ou pensaria que faria, outra pessoa ao meu lado acharia disparatado, invulgar, talvez escandaloso, talvez, perfeito, talvez anormal... Daí que um final feliz sabe a rosas! E finais felizes precisam-se. Parabéns! Muitos beijinhos.

Os olhares da Gracinha! disse...

Um final feliz!
Vamos à próxima história...bj

© Piedade Araújo Sol disse...

Elvira

segui atentamente todo este conto, e confesso que gostei.
o mundo anda com tanta falta de amor e tão conturbado que nos faz bem ler de vez em quando algo que nos conforta e nos leva a sonhar um pouco.
eu penso que quase todos os seus leitores, gostaram e estavam à espera deste final, quem embora previsível, foi um bom final.
não mexia mais neste conto, deixava assim.
obrigada e um beijo

:)

Dorli Ramos disse...

E para finalizar um presente para você: eu nunca tive filhos e não tinha absolutamente nada: adotei e aquele crioulo que traduz vídeos do inglês para o português é o meu filho.Hoje com 33 anos.
Casei com outro com 45 anos, fiquei viúva aos 37.
A vida é assim.....ela continua.kkkk
Amei o conto em capítulos, até que enfim cheguei ao seu final.
Beijos
Minicontista2

Ana S. disse...

Tudo está bem quando acaba bem!
A vida é feita de encontros e desencontros mas o que interessa é ter um final feliz.
Abraço

Janita disse...

Estive a ler os três últimos episódios que me faltavam e vi com alguma surpresa que esta bonita história de amor havia chegado ao fim.
Fiquei contente, muito mesmo.
Foi muito agradável a leitura destes episódios mais curtos do que o habitual nos contos da Elvira. Isso dá-nos mais espaço para memorizar os acontecimentos sem nos perdermos do principal.
Tal como quando termino a leitura de um livro, fico quase sempre com pena de me separar das personagens. Aqui aconteceu precisamente o mesmo.
Fiquei feliz pela felicidade da Francisca e do Afonso! :))
Parabéns à amiga Elvira pela prodigiosa imaginação e pelos bons momentos que nos oferece com a leitura dos seus ternos escritos.

Um abraço e continuação de boa semana.

Prata da casa disse...

Tudo está bem quando acaba bem.Uma novela doce e romântica que foi bem contada.
Bjn
Márcia

Edumanes disse...

Um contrato transformado em felicidade,
para além do que gostei, o que mais hei-de dizer
pode amiga Elvira dar a outro conto continuidade
para eu o ler, e com comentários lhe responder!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Leio habitualmente dois ou três episódios dos seus contos e o que mais aprecio é a fluidez da sua escrita e o suspense!
Está de Parabéns e continue.
Um beijinho.
Ailime

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Elvira! Confesso que se não tivesse gostado da história, não a teria acompanhado até o seu final. Tens uma forma especial de escrever que prende o leitor até o final da história, deixando-o com aquele quero mais, e com raiva por ter chegado ao fim. Parabéns amiga! Que venha o próximo.

Abraços,

Furtado

Catarina H. disse...

E chegou o final do conto e ainda bem que é feliz :)
Eu confesso que não tenho paciência para histórias que não acabem bem ou que, pelo menos, se retire alguma lição moral.
A Elvira tem uma escrita fácil de ler, despretensiosa, bastante agradável.
Como vai dividindo o conto em várias partes, deixa sempre algum suspense para o capítulo seguinte e isso é interessante.
Continue a partilhar connosco essa sua imaginação :)
Beijinhos

LopesCa Blog disse...

hehehe estive a ler o que ainda não tinha lido.
Gostei
Agora a acrescentar críticas não me sinto capacitada :)


Blog LopesCa | Facebook

Jaime Portela disse...

Não tenho reparos, gosto da narrativa e dos conteúdos das tuas histórias.
Por isso, continua ou escreve uma nova...
Bom fim de semana, querida amiga Elvira.
Beijo.

Gaja Maria disse...

Gostei muito desta história, estranha no início mas à medida que se ia desenvolvendo foi-me prendendo e ansiava por saber como terminava. Gosto da escritas, gosto das histórias. Continue Elvira. Beijinho

A Nossa Travessa disse...

Querida Elvirinhamiga

Isto não pode ficar assim, não pode acabar. Ou seja aqui pode, mas no romance ou na novela não pode, tem de continuar; deve. É pouco. Aqui no blogue é bom, foi bom; mas num livro vai ser óptimo; óptimíssimo; optimérrimo!!! Porta-te bem. Senão, lá em casa levas mais... :-)))))

A VELHA E O CÃO
Uma pausa na Saga da Alzira porque acabo de publicar um post diferente – sem ironia, sem galhofa, a atirar para o drama. Por isso, gostaria dos comentários naturalmente também diferentes. Muito obrigado. Como habitualmente a publicação é anunciada blogue a blogue; e o pedido de divulgação, também se agradece.
Qjs e/ou abçs Henrique, o Leãozão

lourdes disse...

Conto todo lido, gostei muito. Lê-se com entusiasmo do princípio ao fim.
Um final feliz...apesar de eu não acreditar muito em finais felizes, como sabes.
Bjs.

Olinda Melo disse...


Um final feliz, realmente! Infelizmente, minha amiga, não pude acompanhar a história pelos motivos que já conhece, de modo que não saberia formar uma opinião cabal sobre ela. Mas, pelo que tenho lido, pelos contos que nos tem oferecido tenho a certeza que terá escrito mais uma belíssima história de amor e de vida.

Bj

Olinda

aluap Al disse...

Acho que a história deste casal devia continuar ou pelo menos com os filhos.

Abraço.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Há uma coisa que aprendi
quando se escreve um conto
ele não vale pelo fim
mas pelo que se escreve ao seu longo

Este valeu, venha outro

Odete Ferreira disse...

Por necessidade de dar andamento a tarefas pessoais e familiares, nas últimas semanas não pude fazer muitas visitas a blogues; contudo, para ler o desenrolar da narrativa, sempre conseguia uma escapadela por vezes através do TM.
Este facto é sinal que tem o engenho suficiente para prender a atenção do leitor, além da coerência por que são pautados todos os ingredientes narrativos, tornando a trama consistente.
Hoje, lendo os últimos dois capítulos, acrescento que gostei muito do final.
Bjinho, Elvira :)
(Sobre o teu comentário deixado no meu texto "Passagem", deixarei lá um breve apontamento.)

Luis Coelho disse...

Bom dia Elvira
Gostei e pronto...não digo mais nada.
Porque gostei?
Isso é outra conversa. Escreve bem e sabe jogar com as palavras, a sedução, o encanto e o suspense...
Por último
Pouco me importa que tenha sido verdade,ou que seja imaginação. Sempre transformamos cada história em algumas coisas que conhecemos ou que também vivemos ou gostaríamos de viver. Isso é AMOR.

Berço do Mundo disse...

A chegada de três novas crianças a uma família é o melhor dos epílogos. Eu sou uma tradicionalista, adoro finais felizes!
Abraço
Ruthia d'O Berço do Mundo

Socorro Melo disse...

Elvira,


Para entender melhor a história de Ana e Simão, busquei conhecer Estranho Contrato e achei fantástica, muito bem construída, permeada de sentimentos nobres, de desafios, mas também de esperanças e culminou num grande amor regado a muita paixão. Perfeita. Se melhorar, estraga. Parabéns!